a-importancia-dos-ioc-texto-complementar

Foto: Nappy

Os cuidados e atenção na primeira infância, período da vida que vai da gestação até os seis anos de idade, são fundamentais para o desenvolvimento saudável. Nos primeiros meses de gestação o cérebro do bebê começa a se formar e ele já é capaz de perceber o toque, o bebê leva a mão no rosto e seu coração realiza em média 180 batimentos por minuto. Podemos dizer que aqui se inicia a mielinização, que faz parte do processo do desenvolvimento cerebral. A mielina, substância grossa e gordurosa, é responsável por proteger e aumentar a velocidade de comunicação entre os neurônios.

 É na primeira infância que o cérebro humano passa por um crescimento rápido e intenso e o desenvolvimento cerebral é influenciado pelas experiências da criança e do ambiente em que vive. Por isso, precisamos incentivar a família para que ofereça estímulos positivos ao bebê, desde a gestação. São nos primeiros anos de vida que o bebê mais precisa de atenção e muita ligação afetiva, como a troca de olhares e carinhos durante a amamentação, que reforça a ligação entre mãe e filho. Em cada mamada, o bebê e a mãe vão se conhecendo mais, se gostando mais. Esse é um ótimo momento para o líder observar como eles estão se relacionando durante a amamentação. Em geral, o bebê se acalma e se sente mais seguro quando os pais o pegam no colo, falam, cantam, rezam ou o embalam suavemente. A medida em que cresce, dar colo, olhar nos olhos, conversar e oferecer oportunidades são fatores essenciais para contribuir com o desenvolvimento saudável das crianças.

A Pastoral da Criança reforça a importância dos IOCs (Indicadores de Oportunidades e Conquistas) no desenvolvimento cerebral. Por meio de conversa entre o líder e a família, procura-se mostrar se o bebê e a criança encontram situações que promovem seu desenvolvimento na família e na comunidade. As oportunidades permitirão que a criança realize conquistas, ou seja, aprenda novas habilidades e se desenvolva. Nesse sentido, é bom lembrar a importância de um ambiente favorável em que a criança encontra as condições e oportunidades que necessita para o desenvolvimento pleno. Os adultos, na família e na comunidade, são responsáveis por criar esse ambiente tanto aos bebês, como às crianças.

Cada criança tem seu ritmo de desenvolvimento e precisa de estímulos positivos e estar inserida em um ambiente de amor, respeito e bons exemplos. Porém, se a criança apresentar dificuldades em seu desenvolvimento, quanto mais cedo forem identificadas, maiores serão as chances da criança ter uma assistência especializada, para que tenha o melhor desenvolvimento possível.

1519