dra zilda arns neumann pastoral da crianca

Homenagens à Dra. Zilda

Durante os 10 dias de comemoração de Nossa Senhora da Conceição, mais de 800 mil pessoas devem circular no morro que leva o nome da santa. Ontem a programação da maior festa religiosa do estado foi divulgada. O Imip e Zilda Arns são os homenageados da 106ª Festa de Nossa Senhora da Conceição, que começa no dia 29 de novembro. Este ano, a festa do morro vai arrecadar donativos para desabrigados das enchentes.

Leia mais...

O Movimento Humanos Direitos (Mhud) e o Grupo de Pesquisa Trabalho Escravo Contemporâneo do Núcleo de Estudo de Políticas Públicas em Direitos Humanos (Nepp-DH) da UFRJ realizaram, dia último dia 21, a entrega do Prêmio João Canuto 2010. O prêmio tem por objetivo dar visibilidade a empreendedores sociais e organizações dedicadas à defesa dos direitos humanos nas mais variadas esferas.

Leia mais...

Nesta quarta-feira (27/10/10) os diretores das escolas municipais e a equipe pedagógica da secretaria de Educação, juntamente com o Prefeito Osmar Rickli (PSDB), visitaram as obras de construção da nova escola no bairro Santa Cruz, zona rural do município. A visita serviu para o prefeito apresentar o projeto da nova escola.

Leia mais...

A herança de Dra. Zilda

Dom Murilo S.R. Krieger, scj
Arcebispo de Florianópolis

Não sei se Dra. Zilda Arns deixou algum testamento por escrito. Se o deixou, nem será preciso abri-lo, pois ela já o escreveu no coração de milhares de voluntários da Pastoral da Criança. Sua herança são as crianças mais pobres e abandonadas. Seus herdeiros somos nós, responsáveis, agora, pela obra que ela iniciou.

Ouvi-la falar era participar de uma rara lição de liderança e solidariedade. De liderança: líder é a pessoa que transmite entusiasmo – e isso ela sabia fazer como poucos. De solidariedade: transmitia dois ensinamentos fundamentais de Jesus Cristo. O primeiro deles: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo 10,10). Por isso, Dra. Zilda não podia entender que uma criança vivesse necessitada a seu lado, sem que se debruçasse sobre ela. Dedicou sua vida para que as crianças de qualquer religião ou país tivessem dignidade e amor. O segundo ensinamento de seu Mestre fazia seus olhos brilharem quando o repetia: “Todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes” (Mt 25,40). Morreu a serviço desses mais pequenos. Por sinal, a inspiração para esse serviço, que daria origem à Pastoral da Criança, foi de seu irmão, o Cardeal Dom Paulo. Ele sentia ser necessário fazer alguma coisa pelas crianças necessitadas. Mas fazer o quê? Sem ter uma resposta concreta a essa pergunta, passou o problema para sua irmã, médica pediátrica. O início da Pastoral da Criança foi humilde, perto de Londrina. Hoje, se estende por milhares de cidades e dezenas de países.

Muitos dirão: “Que pena que morreu, tendo tanto trabalho pela frente!” Não será essa expressão uma espécie de acomodamento? Não será mais lógico dizer: “Que herança que Dra. Zilda nos deixou! Quanto trabalho temos, agora, pela frente, para que outras crianças, pobres e necessitadas, tenham vida, e vida em abundância?...”

Publicado Quarta-feira, 13 de Janeiro do ano da Graça de 2010 por

 

Começa na próxima quarta-feira (29) e prossegue até o próximo dia 2, o 1º Simpósio Brasileiro da Pessoa Idosa, no Centro Universitário de João Pessoa (Unipê). O evento fará uma homenagem a médica Zilda Arns Neumann, 75 anos, que era coordenadora nacional das Pastorais da Criança e da Pessoa Idosa. Três vezes indicada ao Prêmio Nobel da Paz pelo Brasil, Zilda Arns era fundadora da Pastoral da Pessoa Idosa e morreu dia 12 de janeiro deste ano, durante terremoto no Haiti.

Leia mais...

Guerreira?
Lutadora?
Nada disso...
O céu não envia guerreiros e lutadores, envia centelhas de luz, envia anjos de paz...
Perdemos Dra Zilda?
Nunca.
Ganhamos, como humanidade, o exemplo de uma profissional integra e dedicada...
Um modelo a ser apresentado aos homens do futuro...
Um caminho...
Estamos tristes sim...
Mas por nossa tola incompreensão acerca do que é e de como funciona a Lei de Deus...
Mas foi cumprida a sua vontade, assim na Terra como nos céus...
Dra Zilda Arns sublimou sua existência terrestre, partindo de modo doloroso e triste e cumpriu assim sua missão nesse pedaço de tempo e espaço...
Que seja feita a vontade de Deus...
Sigamos...
Transformando lutas em trabalho...
Traduzindo enfrentamentos como disposição...
Palavras de paz, como me disse um dia nosso amigo Marcus Renato...
Dra Zilda,
Muito obrigado por sua história que enche nossa vida de orgulho e saudade.
 
 
 
Luis Tavares.

 

Agora prezados leitores

Novamente estou aqui

Pois quero falar um pouco

Do que houve no Haiti

Sofrendo quem mora lá

E também quem vive aqui.

 

No dia 12 de janeiro

Todo o Haiti sofreu

Um grande terremoto

Naquele país aconteceu

Destruindo muitas famílias

Poucos sobreviveu.

 

Leia mais...

 

“Amar é acolher, é compreender e fazer o outro crescer.” A afirmação é de “Zilda Arns” e retrata de maneira fiel as mulheres que receberam na quarta-feira (25), a medalha que leva o nome da autora da frase. A concessão da honraria foi feita em sessão solene da Câmara Municipal e a data foi escolhida em razão de marcar o dia do nascimento de Zilda Arns.

Leia mais...

Tu nos deixaste enquanto fazias o que mais gostavas: lutar por uma infância melhor, mais feliz, mais humana.

Ah, quanta saudade já estamos a sentir!

Saudade dos nossos Encontros com Coordenadoras e Líderes, mães voluntárias que iam aprender sobre  educação, saúde e bem estar da criança para transmitir às outras mães da Comunidade.

Saudade da tua voz doce, convincente, ensinando  àquelas mães quão importante é a  educação alimentar e nutricional das grávidas, a amamentação, o desenvolvimento integral das crianças até os 6 anos, quando 80 % do cérebro já se encontra formado!

Quanta saudade das conversas de fim de tarde onde tu, com teu jeitinho, colocavas o que ainda precisava ser feito, quando tu, incansável, nos induzias a sermos  mais tolerantes, a termos  mais compreensão, mais solicitude, mais doação, mais amor, pois só assim iríamos atingir nosso objetivo maior ou seja, proporcionar uma vida mais digna às nossas crianças.

Ah, que saudade do brilho do teu olhar quando percebias que, a cada ano, menos  crianças, morriam de desnutrição, menos crianças sofriam maus tratos, mais crianças recebiam cuidados especiais de saúde, educação, carinho, amor.

Ah, que saudade  dessa mulher incansável que no Dia da “Celebração da Vida”, quando as crianças são pesadas, ensinou às mães a baterem palmas quando constatavam que seus filhos não perdiam peso naquele mês! E mais palmas ainda quando conseguiam ganhar alguns gramas!

 

Nos Encontros realizados por esse Brasil afora, quantas vezes nos levantávamos e,  pela janela,  te víamos toda cheia de vida, iluminada pelo sol e por Deus, a caminhar pelos jardins de algum Seminário. Podemos  apostar que tu estavas a conversar com Ele sobre o que  irias ensinar naquele dia. E acreditamos que nessa hora, Deus cochichava em teus ouvidos as palavras certas com as quais tu irias cativar e  envolver as pessoas, incentivando-as a participar, cada vez mais, desse trabalho maravilhoso realizado pela Pastoral da Criança.

Perdemos a ti, Drª Zilda, mas saiba que teus ensinamentos, teus exemplos, tua ternura e tua fortaleza nos acompanharão em cada busca, em cada  luta,  em cada debate, em prol de uma vida mais digna para a nossa  criança,  para que ela cresça de forma harmoniosa, saudável e feliz.

Incansável Drª Zilda, descansa em paz, aquela paz que tu pregaste em teu derradeiro discurso quando tu falaste da conquista da paz nas famílias e nas nações, quando tu afirmaste que “a construção da paz começa no coração das pessoas e tem seu fundamento no amor que tem suas raízes na gestação e na primeira infância e se transforma em fraternidade e responsabilidade social”.

Descansa em paz, incansável Drª Zilda!

Ana Rosa

 

FAÇO UMA HOMENAGEM MERECIDA
PARA UMA MULHER DECIDIDA
QUE ATRAVÉS DE SEUS ESTUDOS
PODE SALVAR MUITAS VIDAS

DOUTORA FORMADA EM MEDICINA
COM MUITO AMOR, FÉ E CARIDADE
DEDICOU TODA SUA VIDA
PARA O BEM DA HUMANIDADE

COMO MÉDICA PEDIATRA E SANITARISTA
FOI QUE ELA PODE NOTAR
QUE COM AÇÕES BÁSICAS DE SAÚDE
CRIANÇAS E GESTANTES PODERIA CURAR

NESSE MOMENTO ELA PERCEBEU
A FALTA DE UM TRABALHO EDUCATIVO
POR ISSO MESMO ACEITOU NA HORA
O CONVITE DO CARDEAL ARCEBISPO

DOM PAULO EVARISTO ARNS, SEU IRMÃO
FEZ A IGREJA CATÓLICA ASSUMIR
(NA REUNIÃO DA ONU DE 1982)
QUE A MORTALIDADE INFANTIL
NO BRASIL IRIA DIMINUIR

COM AMOR, GARRA, ACÕES CONCRETAS...
MUITAS DIFICULDADES PELO CAMINHO
MAS SEMPRE COM ESPERANÇA
NASCIA UMA LINDA MISSÃO DE VIDA E FÉ.
FUNDARIAM A “PASTORAL DA CRIANÇA”

“EU VIM PARA QUE TODOS TENHAM VIDA
E A TENHAM EM ABUNDÂNCIA” *
ESSE FOI O LEMA ADOTADO
PELA PASTORAL DA CRIANÇA
* Evangelho (Jo 10.10)

FOI NO ESTADO DO PARANÁ
QUE O ÁRDUO TRABALHO COMEÇOU
E GRAÇAS AOS OPOIOS E VOLUNTÁRIOS
PELO MUNDO A FORA SE ESPALHOU

FORAM MAIS DE 25 ANOS
DEDICADOS A SERVIÇOS SOCIAIS
QUE GERARAM ÓTIMOS RESULTADOS
COM ELA À FRENTE DAS PASTORAIS

DOUTORA ZILDA ARNS NEUMANN
LUTOU POR UM MUNDO MELHOR
E NÃO SE CONTENTAVA COM POUCO
POR SER MUITO GENEROSA
ELA TAMBÉM FUNDOU
A “PASTORAL DA PESSOA IDOSA”

POIS OS QUE CHEGAM À MELHOR IDADE
MUITAS VEZES SÃO ESQUECIDOS
DEPOIS DE UMA VIDA INTEIRA DE TRABALHO
E PRA SOCIEDADE, MUITO TER CONTRIBUIDO

VIÚVA E MÃE DE CINCO FILHOS
Dra. ZILDA SERÁ UM EXEMPLO PERMANENTE
DE SOLIDARIEDADE, FÉ, AMOR E AÇÃO
PARA TORNAR A HUMANIDADE MAIS CONSCIENTE

INFELIZMENTE ELA SE FOI
SÓ DEUS SABE A RAZÃO
JÁ QUE ELA ESTAVA DE FÉRIAS
QUANDO  FOI PARA AQUELA MISSÃO*
*Palestra para implantar a Pastoral da Criança no Haiti

E ESSE É MAIS UM MOTIVO
PARA NOS INCENTIVAR
A CONTINUAR O SEU TRABALHO
E DESSE MODO, A HOMENAGEAR

PORQUE PARA DOUTORA ZILDA
SOLIDARIEDADE ERA MAIS QUE OBRIGAÇÃO
FOI O SEU LEMA DE VIDA
SUA DIVERSÃO, SEU ROBE, SEU “VÍCIO” E SUA PAIXÃO!

SÃO PESSOAS COMO A DOUTORA ZILDA
QUE ME FAZEM ACREDITAR
QUE O MUNDO PODE SER MELHOR
SE AGENTE SE EMPENHAR!

José Marcelo da Silva Dantas
LÍDER da Pastoral da Criança – João Câmara
Natal, Fevereiro de 2010