dra zilda arns neumann pastoral da crianca

 

Começa na próxima quarta-feira (29) e prossegue até o próximo dia 2, o 1º Simpósio Brasileiro da Pessoa Idosa, no Centro Universitário de João Pessoa (Unipê). O evento fará uma homenagem a médica Zilda Arns Neumann, 75 anos, que era coordenadora nacional das Pastorais da Criança e da Pessoa Idosa. Três vezes indicada ao Prêmio Nobel da Paz pelo Brasil, Zilda Arns era fundadora da Pastoral da Pessoa Idosa e morreu dia 12 de janeiro deste ano, durante terremoto no Haiti.


 Durante toda a sua vida, ela trabalhou para a redução da mortalidade infantil no País junto a milhares de voluntários e lutou pelos direitos do idoso. O evento será realizado no Auditório de Espaço Cultural do Unipê, no bairro de Água Fria, na Capital. As inscrições para participar do 1º Simpósio Brasileiro da Pessoa Idosa estão sendo feitas através do Portal Unipê (www.unipe.br/simposiopessoaidosa).

Além do seu trabalho reconhecido mundialmente com as crianças, Zilda também fundou a Pastoral da Pessoa Idosa, em 2004. A entidade capacita líderes locais nas comunidades para ajudar idosos a controlar as vacinas, evitar acidentes domésticos e identificar doenças físicas e emocionais. A médida morreu enquanto discursava em uma igreja do Haiti, para religiosos sobre direitos humanos.

Em agosto do ano passado, Zilda participou da abertura do 1º Simpósio Franco-Brasileiro da Pessoa Idosa, que aconteceu no campus do Unipê, promovido pela Instituição, em parceria com a Arquidiocese da Paraíba, Governo do Estado, Prefeitura de João Pessoa e Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Na ocasião, Zilda afirmou que mais de 5 mil idosos eram atendidos e acompanhados por mais de 700 voluntários da Pastoral da Pessoa Idosa na Paraíba. O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto e outras autoridades também estiveram presentes no evento.

Desafios
Envelhecer com saúde e garantir ao idoso todos os seus direitos, inclusive o direito à educação, assistência e renda, são grandes desafios da sociedade. Todas as etapas e problemas do envelhecimento, bem como propostas e soluções para uma velhice ativa e saudável serão discutidos durante o 1º Simpósio Brasileiro da Pessoa Idosa.

A violência contra a pessoa idosa, sexualidade e Aids na velhice e a acessibilidade arquitetônica como veículo de inclusão do idoso são alguns temas que serão debatidos durante o 1º Simpósio Brasileiro da Pessoa Idosa no Unipê.

“As discussões apresentadas serão direcionadas aos aspectos biopsicossociais da velhice e do envelhecimento, incluindo atenção à saúde, políticas públicas e direitos sociais, aspectos éticos, legais e educacionais da pessoa idosa. Esperamos profissionais, professores, alunos e outros interessados na área para debater juntos esses temas”, afirmou a professora do curso de Psicologia do Unipê, Regina Irene Diaz Moreira Formiga, integrante da Comissão Organizadora do evento.

Para a psicóloga Regina Formiga, especialista em Gerontologia, o envelhecimento da população tem proporções significativas e várias mudanças já estão sendo sentidas pela sociedade, confirmando a necessidade de uma constante revisão das políticas públicas voltadas para este segmento populacional. Segundo ela, não se trata apenas de garantir uma infraestrutura de saúde, mas de todo um conjunto de medidas que possam garantir o bem estar dos idosos, que contemplem os aspectos psicossociais, as relações de trabalho e estudo e o convívio familiar. Para a especialista, os cuidados com os idosos exigem uma rede completa de serviços e políticas públicas.