1274 alimentacao gestante entrevista

A alimentação correta ajuda muito a mulher a ter uma gestação saudável. Contribui também para o bebê se desenvolver com saúde e ter um bom peso ao nascer. E esse cuidado já pode iniciar antes mesmo da gravidez começar, quando a mulher decide se preparar para ter um filho.

A alimentação saudável envolve variedade, alimentos frescos e bem lavados. Também tem a ver com a diminuição do uso de sal e açúcar, bem como de itens industrializados – orientações que valem para qualquer pessoa, não apenas gestantes. Para saber mais sobre isso, confira a entrevista com a nutricionista Paula Pizzatto, da coordenação nacional da Pastoral da Criança.

Viva a VidaPrograma de rádio Viva a Vida
Programa de Rádio 1274 - 29/02/2016 - Alimentação da gestante


Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

Sul

Norte

Qual é a importância do ferro durante a gravidez? Que alimentos são ricos em ferro?

O ferro contribui para a imunidade da gestante e evita a anemia, em decorrência da deficiência desse nutriente. Os alimentos que são ricos em ferro podem vir de fontes animais e vegetais. As fontes animais seriam as carnes, principalmente, a carne vermelha, a carne de gado, aves e vísceras, como coração e fígado. E os alimentos de fontes vegetais de ferro seriam mais os da classe dos feijões: feijões, lentilha, ervilha, grão de bico. Também, os vegetais folhosos de tom verde-escuro. Essas fontes de ferro vegetal necessitam da ajuda da vitamina C e da vitamina A para uma melhor absorção pelo organismo.

Qual deve ser a correta alimentação durante a gravidez para a saúde da mãe e do bebê?

Alimentar-se bem significa: alimentar-se em quantidade e qualidade adequada. E comer o que a gente chama de “comida de verdade”: arroz, feijão, as carnes, frutas, legumes. Alimentos que são ricos em vitaminas, minerais, fibras, que vão trazer tudo o que o bebê e a gestante necessitam.

É verdade que a mulher grávida deve comer por dois?

Não. O que acontece, e é normal, é a gestante ter um apetite aumentado durante o período da gestação. Não significa que ela necessite comer por dois. Isso pode, inclusive, causar problema de aumento de peso. Ganhar muito peso durante o período gestacional não é adequado, pode trazer problemas, como diabetes e hipertensão, que são comuns durante o período de gestação, se a mulher não tomar os devidos cuidados.

1274 alimentacao gestante paula pizzatto

Paula Pizzatto - Nutricionista da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança

O que o SUS está fazendo para ajudar a mulher a ter uma gravidez saudável?

O SUS disponibiliza, gratuitamente, o suplemento de ferro nas Unidades Básicas de Saúde e, também, do ácido fólico. Existem, ainda, o programa da Rede Cegonha e a estratégia “Amamenta e Alimenta Brasil”, que auxiliam a gestante sobre o parto, pré-natal, aleitamento materno e introdução dos alimentos para os bebês.

Saiba mais: Por uma alimentação saudável desde sempre

Leia a entrevista na íntegra: 1274 - Entrevista com Paula Pizzatto - Alimentação da gestante (.PDF)

 

1274 alimentacao gestante outros assuntos

Por que é recomendado que gestantes tomem cuidado com alimentos crus?

Alimentos crus mal higienizados podem transmitir doenças e provocar intoxicações alimentares. Alguns exemplos são a toxoplasmose, a listeriose e a salmonelose. As informações a seguir tratam da primeira delas.

Toxoplasmose

A toxoplasmose é uma doença infecciosa, causada pelo protozoário Toxoplasma gondii.De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia, o ser humano adquire a infecção pelas seguintes vias: “ingestão de oocistos provenientes do solo, areia, latas de lixo contaminados com fezes de gatos infectados; ingestão de carne crua e mal cozida infectada com cistos, especialmente carne de porco e carneiro”.

Para as mulheres, o risco é de “infecção transplacentária, ocorrendo em 40% dos fetos de mães que adquiriam a infecção durante a gravidez”. Por isso, as gestantes, além de evitar o contato com gatos, devem submeter-se a adequado acompanhamento médico (pré-natal).

Saiba mais sobre esta e outras doenças: Cadernos de Atenção Básica ao Pré-natal (pdf)

Higiene dos alimentos

Confira o trecho sobre higiene dos alimentos que está na Portaria CVS ­6/99, de 10.03.99:

“A pré­-lavagem de hortifruti, quando existente, deve ser feita em água potável e em local apropriado. Para o preparo destes gêneros, deve ser realizada a higienização completa que compreende:

  • Lavagem criteriosa com água potável

  • Desinfecção: imersão em solução clorada por 15 a 30 minutos.

  • Enxágue com água potável.

Não necessitam de desinfecção:

  • Frutas não manipuladas;

  • Frutas, cujas cascas não são consumidas, tais como: laranja, mexerica, banana e outras, exceto as que serão utilizadas para suco;

  • Frutas, legumes e verduras que irão sofrer ação do calor, desde que a temperatura no interior atinja no mínimo 74ºC;

  • Ovos inteiros, tendo em vista que devem ser consumidos após cocção atingindo 74ºC no interior.

Produtos permitidos para desinfecção dos alimentos (princípio ativo / concentração):

  • Hipoclorito de Sódio a 2,0 – 2,5% / 100 a 250 ppm

  • Hipoclorito de Sódio a 1% / 100 a 250 ppm

  • Cloro orgânico / 100 a 250 ppm.

Diluições

  • Solução clorada a 200 – 250 ppm: 10 ml (1 colher de sopa rasa) de água sanitária para uso geral a 2,0-2,5% em 1 litro de água ou 20 ml (2 colheres de sopa rasas) de hipoclorito de sódio a 1% em 1 litro de água.

  • Álcool a 70%: 250 ml de água (de preferência destilada) em 750 ml de álcool 92,8 INPM ou 330 ml de água em 1 litro de álcool. A solução deve ser trocada a cada 24 horas”.

Problemas para o bebê

Essa doença ganha atenção especial quando adquirida durante a gestação, pois pode provocar malformações no feto, no útero. As consequências são graves para o bebê, como problemas cerebrais, de visão e outros órgãos, podendo levar à morte fetal ou prematuridade.  

Comendo fora de casa

Sendo assim, a gestante deve evitar comer alimentos crus em lugares que não conheça a procedência dos alimentos e não tenha a certeza de que estes são corretamente higienizados. Pensar em alimentos crus lembra saladas e frutas, mas não se pode esquecer das carnes cruas ou mal passadas, que também são veículos dessa contaminação. Há vários exemplos que trazem carnes cruas na culinária, como a comida japonesa (que oferece peixe cru), comida árabe (quibe cru), a carne de onça (carne de gado crua) ou ainda, o carpacio. Portanto, durante os nove meses de gestação, não custa redobrar os cuidados quando realizar a alimentação fora de casa.

Alternativas

Quando a gestante precisar alimentar-se fora de casa, não precisa deixar de comer frutas, verduras e carnes. Basta fazer as escolhas certas: optar por comer as saladas cozidas, frutas descascadas, carnes bem cozidas ou bem passadas e ovos com a gema dura.

Comendo em casa

Já em casa, é possível comer as frutas e saladas de que tanto gosta. Basta higienizá-las adequadamente. De acordo com as orientações da Vigilância Sanitária, certifique-se de que o local para o preparo esteja limpo e lave bem os alimentos em água potável corrente. Em seguida, deixe de molho na água, por aproximadamente 15 a 30 minutos, com um pouco de hipoclorito de sódio (água sanitária) – para cada litro de água, adicione uma colher de sopa de água sanitária.

Atenção: é importante olhar no rótulo se a água sanitária comprada pode ser usada para a higienização dos alimentos.

Cuidado com os animais

Tenha muita atenção caso possua horta em casa e, no mesmo terreno, existam animais. A contaminação pode estar no solo, areia e latas onde há fezes de gato e outros felídeos.  

Consultas de pré-natal

Sugere-se a realização de testes sorológicos na gestação, durante o acompanhamento pré-natal. Como é possível contrair a doença em qualquer momento durante a gravidez, é importante que a gestante faça os exames nos três trimestres.

Saiba mais: 10 passos para uma alimentação adequada e saudável (Guia alimentar para a população brasileira)


Mais recentes - Gestação