Gestante

Gestante

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    “Toda gestação dura 1000 dias”: saiba mais sobre a campanha da Pastoral da Criança

    1323 1000 dias mutirao ent

    Foto: Acervo da Pastoral da Criança

    A Pastoral da Criança incentiva todos os seus voluntários a realizarem o “Mutirão em busca das gestantes”, no qual os líderes escolhem um ou mais dias para visitarem as casas de suas comunidades à procura destas mulheres que estão esperando bebê. O mutirão acontece a cada três meses e tem como objetivo levar informações a respeito da gestação e dos primeiros 1000 dias de vida, instruir sobre a importância de realizar o pré-natal e animar as gestantes nesse momento tão especial.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    1000 dias que valem uma vida

    1287 1000 dias cpf1

    Dra. Marina, em consulta com uma criança acompanhada, conta com a presença e ajuda dos líderes para saber sobre o desenvolvimento das crianças 

    As crianças pobres que moram na região do Vale do Jequitinhonha, durante muito tempo, tiveram que conviver com a realidade de conhecer um pediatra do serviço público apenas em caso de extrema necessidade. Isso acontecia porque apenas um profissional em Almenara (MG) tinha que atender as crianças dos municípios da região. No total, a Diocese de Almenara é composta por 17 municípios. Mas essa realidade vem mudando aos poucos, especialmente no último ano, com uma ação da Pastoral da Criança em parceria com outras entidades e voluntários. Desde maio de 2015, o projeto Maternidade ganhou uma participação especial: da médica pediatra Marina Moreira, o que tem feito muita diferença para as crianças da região.

     

  • <br />
<b>Notice</b>:  Trying to get property of non-object in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    5 dicas para prevenção da mortalidade materna

    Maeefilhoamarelo

    Foto:Andrii Oleksiienko_Photoxpress

    1Realizar o pré-natal, isto é, ir a todas as consultas e realizar todos os exames necessários. Muitas vezes a realização de exames simples podem prevenir complicações e a morte da grávida e/ou do bebê. Por vezes, as mulheres correm riscos porque não sabem que têm pressão alta ou diabetes.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama!

    Mais um ponto positivo para o aleitamento materno. Diversos estudos científicos comprovam que não são apenas os bebês que se beneficiam da amamentação, mas as mães também. Por isso, é fundamental orientar as gestantes e mães de bebês recém-nascidos que o aleitamento materno é  fonte de saúde para elas também e auxilia na prevenção do câncer de mama.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A falta de medicamento no SUS

    1301 medicamentos cpf

    Foto: Shayne

    A saúde integral, direito garantido pela Constituição Federal, abrange tudo o que é necessário para prevenir e curar as doenças. O Sistema Único de Saúde (SUS) organiza a sua assistência farmacêutica através do Decreto Federal nº 7508, legislação que estabelece a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME). 

    Para ter acesso aos medicamentos previstos pelo RENAME, é preciso ser atendido pelo SUS e receber, do profissional de saúde credenciado ao Sistema, a prescrição.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A força do acompanhante, do pré-natal ao nascimento

    1283 marco legal outros assuntos

    Foto: Acervo da Pastoral da Criança 

    A lei nº 13.257, de março de 2016, conhecida como Marco Legal da Primeira Infância, trata dos direitos das crianças da gestação aos 6 anos de idade. O objetivo é garantir políticas públicas específicas e mais recursos financeiros para esse período de vida, que é central para o desenvolvimento humano.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A gestante

     

    a gestante

    Foto: Emily

    Preparando-se para a gestação

    A gestação é um momento muito especial na vida das mulheres, e o ideal é que elas se preparem para essa fase. Vários estudos mostram que é melhor a mulher engravidar entre os 18 e os 30 anos de idade, período em que há menor risco de complicações durante a gestação.

    Além disso, muitas pesquisas apontam que o que acontece nos primeiros 1000 dias de vida de uma criança - que vão do início da gestação até o final do segundo ano de idade - podem afetar sua saúde para sempre.

    É muito importante também que a mulher procure estar o mais saudável possível para a gravidez. Veja duas orientações essenciais para se preparar:

     

    Suplementação de ácido fólico

    Suplementação de ácido fólico

    O ácido fólico, também conhecido como vitamina B9 ou folato, é essencial para as mulheres antes da gravidez e para a gestante, pois previne a ocorrência de malformações no cérebro do bebê, além de ser importante para o seu crescimento e desenvolvimento.

    O suplemento de ácido fólico deve ser tomado o mais cedo possível, pelo menos 30 dias antes da data que se deseja engravidar. No Brasil, as Unidades Básicas de Saúde fornecem o ácido fólico gratuitamente para mulheres que planejam engravidar e para gestantes.

    A Organização Mundial da Saúde recomenda que as mulheres tomem a suplementação de ácido fólico antes e durante toda a gestação.

    Peso corporal

    Peso corporal

    Outro ponto a ser observado é o peso: tanto o baixo peso como o excesso dele podem levar a mulher a ter complicações durante a gestação. A mulher com baixo peso pode não estar se alimentando direito e por isso estar com baixas reservas de nutrientes importantes para o bebê. E a mulher com excesso de peso (sobrepeso ou obesidade) apresenta muita gordura no corpo. Este excesso de peso pode causar o aparecimento de muitas doenças, como diabetes e pressão alta. E essas doenças podem ser ainda mais perigosas durante a gestação.

    Se a mulher estiver abaixo ou acima do peso, ela pode fazer um planejamento, com meses de antecedência, para engordar ou emagrecer antes de engravidar. Para isso é necessário ter uma alimentação saudável e praticar exercícios, como caminhar regularmente.

    Saiba mais: Alimentação saudável durante a gravidez

    Todas as pessoas têm direito a viver com dignidade. Esse direito se inicia na concepção de uma nova vida. Por isso, a Pastoral da Criança começa suas atividades com as gestantes, que precisam ser acompanhadas desde o início da gravidez.

    Acompanhando desde o início da gravidez

    Assim que se tiver o resultado positivo em mãos, é importante acompanhar a gestação - dando início ao pré-natal e tendo o apoio de familiares e amigos.

    Alguns sinais que podem ajudar a mulher a descobrir se está grávida são:

    • falta de menstruação;
    • seios doloridos e aumentados;
    • mudanças rápidas de humor: num momento está alegre, em outro está triste;
    • enjoos e tonturas frequentes.

    “Naqueles dias, Maria partiu apressadamente para a região montanhosa, dirigindo-se a uma cidade de Judá. Ela entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou de alegria em seu ventre, e Isabel ficou repleta do Espírito Santo”.
    Lc 1, 39-41

    conhecendo o corpo femininoConhecendo um pouco o corpo humano

    Os órgãos genitais externos do homem chamam-se pênis e testículos. O órgão da mulher é chamado vulva. Tanto no homem como na mulher eles se estendem até o interior do corpo, onde não é possível enxergá-los. Os testículos e os ovários produzem as células reprodutoras, que permitem conceber bebês. A célula reprodutora do homem é chamada espermatozoide; a da mulher é o óvulo.

    O espermatozoide do homem sai pelo mesmo canal que a urina. Na mulher, os órgãos genitais são separados dos órgãos do sistema urinário. Quando a menina libera o primeiro óvulo, em geral, entre os 10 e os 14 anos, dizemos que ela deixou de ser criança. Agora, já é possível ela engravidar.

    O útero da mulher se prepara todo mês para a gravidez. Caso ela não fique grávida, o seu corpo desmancha o “ninho” preparado pelo útero, o qual sai na forma de menstruação. Isso ocorre, mais ou menos, 14 dias depois da ovulação.

    a fecundacaoA fecundação

    Para que um bebê seja concebido, é preciso que um espermatozoide se junte a um óvulo. A união dessas duas células forma o ovo, ou seja, a primeira célula do bebê. Nesse instante, nasce um novo ser.

    O óvulo é fecundado cerca de duas semanas antes da data esperada da menstruação. Três semanas depois da concepção, o coração do bebê já está batendo dentro do útero da mãe. Nesse período muitas mulheres ainda nem desconfiam que estão grávidas, pois a menstruação só está atrasada uma semana.

    O bebê cresce, dia a dia, no período de 40 semanas que costuma durar uma gestação. Na gravidez a mulher precisa ter mais cuidado com sua saúde e alimentação.

    conversando com a gestanteConversando com a gestante e sua família

    A gravidez é um período de muitas mudanças para a mulher. Ela pode ficar mais sensível, pois está passando por transformações no seu corpo e no seu humor. Por isso, deve ser tratada com carinho e delicadeza.

    Quando o companheiro e as outras pessoas da família entendem o que a gestante sente nesse período da gravidez, eles podem ajudar melhor no que for necessário para que ela tenha uma gravidez saudável e feliz.

    A primeira ajuda pode partir de amigos ou da própria família: é importante ouvir a gestante e seu companheiro, escutando o que eles têm a dizer sobre a gravidez. Muitos casais ficam felizes quando descobrem a gravidez, pois já se preparavam para ter um bebê. Outros casais, contudo, podem sentir medo, ansiedade, preocupação, pois não planejavam a gravidez naquele momento. Outros, ainda, se preocupam com as dificuldades que podem enfrentar ou têm medo de não conseguir cuidar bem do bebê. Mesmo que o casal já tenha outros filhos, é importante conversar, pois uma gravidez é diferente da outra.

    Algumas mulheres, quando engravidam pela primeira vez, podem ficar encabuladas ou achar que fazer o pré-natal não é importante, pois estão se sentindo bem. Gestantes que já têm outros filhos podem achar que não é preciso fazer o pré-natal novamente.

    É comum as adolescentes grávidas esconderem a gravidez, com medo da reação de companheiros, pais, familiares e amigos. Toda a família deve estar ciente sobre a importância do apoio e da compreensão deles para que a adolescente viva esse momento com serenidade, responsabilidade e amor.

    Saiba mais: Visita às famílias

    O bem-estar da adolescente grávida é muito importante para que ela possa se sentir segura e confiante, para o bom desenvolvimento da gravidez e para a saúde do bebê. E, portanto, ela precisará da ajuda de todos para valorizar a vida que carrega no ventre e se sentir responsável por ela.

    Pesquisas indicam que para reduzir a prematuridade, a dificuldade de crescimento do bebê no útero e a mortalidade infantil, ou seja, as mortes de crianças menores de um ano, deve-se dar mais atenção e apoio às gestantes:

    • pobres;
    • de cor parda ou preta;
    • sem companheiro;
    • com pouca escolaridade;
    • que têm dois ou mais filhos;
    • com menos de 18 anos ou mais de 30 anos;
    • com pressão alta ou diabetes;
    • que perderam bebê em gestação anterior ou algum filho com menos de um ano de idade;
    • que fumam e/ou usam drogas.

    lacos de amorLaços de amor

    Laços de Amor é um conjunto de cartelas feitas pela Pastoral da Criança para as gestantes. Seu objetivo é melhorar o envolvimento da gestante e da família com a gravidez, mostrar as necessidades da gestante, do seu bebê e incentivar que ela faça o acompanhamento pré-natal. A leitura e compreensão destas cartelas ajuda a criar uma ligação mais forte entre a gestante e o bebê que está para nascer

    Os primeiros mil dias e a nossa saúde

    Os cuidados com uma criança devem ser iniciados desde a gestação, assim ela pode ter condições favoráveis para crescer e se desenvolver desde sua concepção.

    Saiba mais: Toda gestação dura 1000 dias

    Alimentação saudável

    Todas as pessoas precisam de uma boa alimentação, em especial a mulher grávida e a que amamenta, a fim de se manter saudável para que seu bebê possa se desenvolver, nascer com peso adequado e crescer com saúde. Se a gestante se alimenta mal, ela pode ficar anêmica, desnutrida ou ganhar mais peso do que o necessário. Seu bebê pode nascer com baixo peso ou acima do peso, ter mais facilidade de ficar doente e demorar mais para se recuperar.

    Saiba mais: Alimentação saudável durante a gravidez

    Higiene

    A gestação é um momento especial. É importante que a mulher continue a se cuidar e se achar bonita nessa fase de sua vida.
    Saiba mais sobre a higiene da gestante

    Saúde bucal

    Na gestação podem aparecer cáries, quando se aumenta o consumo de alimentos com açúcar e quando se escova pouco os dentes. A gestante deve fazer a higiene diária da boca com fio ou fita dental, escova macia e creme dental, com calma e cuidado. Assim, ela fica com a boca saudável.

    Saiba mais em: Saúde bucal da gestante, mais saúde para a mãe e o bebê

    substancias perigosas na gestacaoSubstâncias perigosas na gestação

    É importante que a gestante saiba sobre as consequências do uso de drogas na gestação. As drogas, além de prejudicarem o desenvolvimento do bebê, podem criar nele dependência desde o nascimento.

    Saiba mais em: Substâncias perigosas na gestação

    Infecção urinária

    Com o crescimento do bebê, o útero começa a apertar a bexiga e, por isso, a gestante tem vontade de urinar toda hora.

    Saiba mais em: Infecção urinária na gravidez

    Anemia

    A anemia por falta de ferro no organismo causa diminuição na capacidade de aproveitar o oxigênio do ar que respiramos. Por isso os principais sintomas são cansaço, falta de vontade de fazer as coisas e pouco apetite.

    Saiba mais em: Anemia na gestante

    obesidade na gestacaoObesidade na gestação

    A obesidade na gestação pode levar a diversas complicações, tanto para a mãe como para o bebê. Gestantes obesas têm maior risco de ter pressão alta (hipertensão), pré-eclâmpsia, sangramento pós-parto e diabetes gestacional. O bebê pode nascer com peso maior do que o esperado, prematuro e ter mais chances de ficar internado.

    Apesar de a obesidade ser prejudicial, a gestante não deve fazer dieta para perder peso. Durante o pré-natal ela deve ser orientada sobre o ganho de peso e os principais cuidados com a alimentação. Nenhuma mulher deve perder peso durante a gestação.

    Dicas para manter bons hábitos alimentares

    Gestante, procure saber se na região onde você mora existem locais que vendem frutas e verduras frescos e baratos. O ideal é evitar ir ao supermercado com fome e fazer uma lista de compras antes: assim você vai comprar só o que realmente precisa!

    selo guia do lider1Procure fazer suas refeições em casa e acompanhada por outras pessoas. Desenvolva suas habilidades culinárias: crie receitas saudáveis!

    No momento de preparar os alimentos use pouca gordura, pouco sal e pouco açúcar.


    Estas orientações foram retiradas do Guia do Líder (.PDF)

     

     

     

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A importância das vacinas para crianças e gestantes

    criança com gestante

    Foto: PhDuet

    A saúde é o nosso bem mais precioso e preservá-la exige vários cuidados, entre eles: a vacinação. As vacinas são um dos métodos mais eficazes de defesa, ajudando o nosso organismo a criar resistência contra as doenças que podem atingi-lo.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A importância do ferro e da vitamina A na infância

    lentilhasA suplementação das crianças acontece a partir do sexto mês. Até os seis meses, o leite materno é o único alimento indicado para o bebê e é responsável por suprir todas as suas necessidades. Crianças nascidas com baixo peso ou prematuras podem ter indicação médica para receber o suplemento antes desse período. No caso do ferro, a suplementação pode acontecer até os dois anos. A vitamina A é indicada até os cinco anos.

    Mas a suplementação não substitui uma alimentação saudável e adequada. “A suplementação é para prevenir a anemia, mas não dispensa o cuidado com a alimentação”, lembra a nutricionista da Pastoral da Criança, Marcia Moscatelli de Almeida.  

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A missão de ser mãe

    foto entrevista

    Foto: Marcello Caldin e Malgorzata Replinska

    O Dia das Mães é uma das datas mais celebradas em todo o mundo. Por isso, neste dia, a Pastoral da Criança aproveita para homenagear essas mulheres tão importantes na formação das crianças. Sabe-se que não é fácil cuidar dos filhos hoje em dia. Muitas mães trabalham fora e milhares de outras sofrem com a falta de recursos para criarem seus filhos com a dignidade que merecem. Mesmo assim, é grande o amor, a coragem, a vontade de lutar e de vencer.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A missão de ser mãe, avó e líder

    1283 dias das maes cpf1

    Edna: líder, mãe e, agora, avó de Lorenzo

    Poliana Carolina Martins têm 27 anos e é líder da Pastoral da Criança desde 2011. Aprendeu com a mãe, Edna de Souza Martins, o ofício do voluntariado. E foi também a mãe, líder há 15 anos em Itabirito, Minas Gerais, a responsável por acompanhá-la durante sua primeira gravidez. Lorenzo nasceu há pouco mais de três meses, e desde que soube que ele iria chegar, a líder e avó começou a sentir de um novo jeito o acompanhamento das gestantes. “Fazer o acompanhamento dela foi mais emocionante ainda”, explica Edna.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    A presença do pai e da família na gestação

    Jason Wallace artg

    Foto: Jason Wallace

    Ser pai é um dos acontecimentos mais marcantes da vida, com muitas mudanças na vida do casal. A presença dele para o bebê é de fundamental importância, pois o pai tem a função de sustentação do ambiente em que a dupla mãe/bebê habita e amadurece, favorecendo o estabelecimento do vínculo saudável. A presença do pai no momento da gestação, parto e pós-­parto, auxilia a mãe nos cuidados com o bebê e favorece o estabelecimento do vínculo entre ambos, desde o início.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Aborto espontâneo: impacto psicológico

    mulher triste

    Foto: PixaBay 

    A perda de um bebê nas primeiras 22 semanas de gestação é um fato mais comum do que se imagina. 20% das gestações terminam de forma natural nesse período e as causas são inúmeras: genética, insuficiência hormonal, deslocamentos no útero, hábitos anteriores a gestação, entre outras.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Trying to get property of non-object in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Ação dos líderes comunitários ajudam a reduzir a mortalidade materna

    web abaetetuba pa2

    Líder em visita domiciliar à gestante

    O Brasil está entre os países que mais reduziram a mortalidade infantil nos últimos vinte anos. Neste mesmo período conseguiu uma redução de 50% da taxa da mortalidade materna, mas ainda assim está longe de atingir a meta do milênio. O trabalho dos milhares de líderes voluntários da Pastoral da Criança, contribuiu significativamente para estes resultados.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Acompanhamento na gestação: o cuidado que faz a diferença!

    Temas lid gest300px

    Líderes em visita à gestante

    Já foi o tempo em que se dizia: "No tempo da minha avó não tinha nada disso e as crianças nasciam bem e com saúde". Essa realidade mudou, felizmente para melhor. Hoje, o acompanhamento gestacional é mais do que uma necessidade da gestante, é um direito do bebê que vai nascer. No passado, por questões culturais, por falta de acesso ao serviço de saúde ou mesmo por não achar necessário, muitas mulheres não faziam o pré-natal. Se por um lado, a mãe natureza agia naturalmente em muitos causos, fazendo com que tudo chegasse a um bom termo, por outro não são poucas as histórias de morte materna e neonatal, de tétano umbilical e até de paralisia cerebral em decorrência de problemas no parto.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Alimentação para quem está amamentando

    gestante aguaHistoricamente sempre há quem diga que determinados alimentos podem estimular a produção ou diminuir leite da mãe, e que outros, se ingeridos pela mãe, fazem mal ao bebê. Entretanto, não existe comprovação científica em relação a isso. Por este motivo, a Pastoral da Criança adota a posição da Sociedade Brasileira de Pediatria e do Ministério da Saúde, que é orientar a mãe a observar se há algum efeito no bebê, como cólicas e alergias, quando a mãe ingere determinado alimento. “Se a mãe percebe a relação entre o incômodo do bebê e sua alimentação, é bom evitar o alimento e observar se o desconforto do bebê desaparece”, orienta a nutricionista da coordenação nacional da Pastoral da Criança, Paula Pizzatto. “O leite de vaca é um dos principais alimentos implicados no desenvolvimento de alergias alimentares", lembra o Caderno de Atenção Básica 23, do Ministério da Saúde.

    Outra orientação é que a mãe se alimente de forma saudável, pois a concentração de alguns micronutrientes no leite materno depende da dieta consumida pela mãe. Além disso, é preciso evitar o consumo exagerado de alimentos ricos em açúcar, sal e gordura, em especial a gorduras trans. Esta gordura está presente, principalmente, nos industrializados, como biscoitos recheados, comidas congeladas, sorvete, entre outros. Uma alimentação rica em gorduras trans “eleva a concentração desse tipo de gordura no leite materno com subsequente modificação na composição corporal do recém-nascido e aumento de massa gorda”, lembra o Manual de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria.

    É importante lembrar que não existe leite fraco, o leite materno contém todos os nutrientes necessários para o bebê. O que pode acontecer é uma pequena diminuição da produção de leite se a mãe fica mais cansada, ou tem algum aborrecimento. Neste caso, o ideal é que a mãe descanse e coloque o bebê para mamar mais vezes, pois quanto mais ele mama, mais leite a mãe produz.

    A mulher que amamenta deve abandonar completamente o uso de bebidas alcoólicas e fumo, pois essas substâncias podem transmitidas ao bebê através do aleitamento e prejudicarão seriamente sua saúde.

    Fontes:

    Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção Básica, Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Básica nº 23. Saúde da Criança: Nutrição infantil – Aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília, Ministério da Saúde; 2009, pag. 26. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/cab23

    Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. Manual de orientação. 3ª ed. revisada. Rio de Janeiro, 2012, pag. 26. Disponível em: https://www.sbp.com.br/publicacoes/para-a-familia/manual-de-orientacao-nutrologia/

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Alimentação saudável durante a gestação

    gestante se alimentando

    Foto: Dragana Gordic

    Gestante, você se alimenta bem? Para quais alimentos você dá preferência? Você sabe quais são os melhores alimentos para a sua saúde e do seu bebê? Essas são perguntas essenciais, afinal uma alimentação correta ajuda a mulher a ter uma gestação saudável e contribui para que o bebê tenha um bom desenvolvimento.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Alimentação saudável durante a gravidez

    frutas verduras e legumesTodas as pessoas precisam de uma boa alimentação, em especial a mulher grávida e a que amamenta, a fim de se manter saudável para que seu bebê possa se desenvolver, nascer com peso adequado e crescer com saúde. Se a gestante se alimenta mal, ela pode ficar anêmica, desnutrida ou ganhar mais peso do que o necessário. Seu bebê pode nascer com baixo peso ou acima do peso, ter mais facilidade de ficar doente e demorar mais para se recuperar.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Amamentação: problemas e soluções

    1389 aleitamento materno mae amamentando entrevista

    Foto: Acervo da Pastoral da Criança

    Amamentar o bebê é um gesto natural, de carinho e um estímulo a saúde do bebê e da mãe. No entanto, algumas mãe enfrentam dificuldades na hora de amamentar, como: o bico do peito rachado ou invertido, as mamas inchadas e duras e até mesmo, a demora na descida do leite.

  • <br />
<b>Notice</b>:  Undefined property: stdClass::$image_intro_alt in <b>/var/www/pastoraldacrianca.org.br/templates/pastoral-da-crianca-ja-directory/html/com_tags/tag/default_items.php</b> on line <b>83</b><br />

    Anemia na gestante

    anemia - gestante tomando suco

    Foto: Acervo da Pastoral da Criança

     É comum ouvirmos falar a palavra “anemia” por muitas mães e gestantes, como se fosse algo normal de ocorrer. Na verdade, é preciso tomar consciência de que é necessário diagnóstico correto e tratamento médico para combater a anemia, pois ela pode trazer diversas consequências para o desenvolvimento do bebê no útero materno e para o crescimento infantil.