Exames no pré-natal: garantia de uma gestação mais saudável

Quando uma mulher fica grávida são muitas as emoções e até mesmo situações que mudam em sua vida. Algumas sentem medo, outras ficam ansiosas, outras muito felizes. O certo é que um universo de dúvidas invade a vida de cada uma delas, principalmente se a mulher é, como se diz no meio popular, “mãe de primeira viagem”.

O que acontecerá? Será que o meu bebê está se desenvolvendo bem? Será que o que eu sinto é normal? Para responder a todas essas dúvidas nada melhor do que um pré-natal bem feito, ou seja, com no mínimo 6 consultas e com todos os exames solicitados realizados e as orientações médicas seguidas. A saúde da gestante e do bebê depende muito dos exames realizados durante o pré-natal. Esses exames trazem mais tranquilidade para o médico e para a gestante, pois se alguma doença for descoberta, é possível tratar a tempo. Tudo isso, com certeza, ajuda a garantir uma gestação mais saudável e feliz.

Rotina básica de exames laboratoriais na gestação

Exames de sangue:

Hemograma completo: mostra se a mãe apresenta anemia, ou dá indícios de infecção bacteriana ou viral: poderá ser repetido durante o decorrer do pré-natal se houver necessidade. A grávida é um pouco anêmica quando comparada a padrões normais, mas é importante estar atento a eventuais baixas exageradas da hemoglobina no sangue periférico. É solicitado entre a 1ª e 8ª semana de gestação.

Exame de grupo sanguíneo e fator Rh: este exame é importante para verificar a incompatibilidade sanguínea entre a mãe e a criança, quando confirmado essa incompatibilidade é feito um tratamento na 28ª semana de gestação. A incompatibilidade sanguínea causa a destruição dos glóbulos vermelhos no feto, o que representa grande perigo. Neste caso podemos contar com a imunoglobulina anti-Rh que previne a formação de anticorpos e deve ser administrada até três dias depois do parto. Existem alguns esquemas que preveem administrar uma dose pequena desse medicamento entre a 26ª e a 30ª semana de gestação. Isso aumenta a prevenção em torno de 2%, 3%.

Glicemia de jejum: é um exame para o diagnóstico de diabetes. Em casos específicos deve ser repetido durante a gestação e acompanhado da glicemia pós pradial ou curva glicêmica. É realizado em jejum de oito horas.

Sífilis (VDRL, TPHA): indica se a paciente apresenta infecção pelo Treponema pallidum ou houve infecção pregressa. A sífilis, quando não tratada na gravidez, leva a problemas gravíssimos no feto. Entretanto, se a paciente for medicada no início da gestação, o bebê não corre riscos. Este exame é realizado no 1º e 3º trimestre da gravidez.

Toxoplasmose: é possível detectar infecção ativa ou pregressa pelo contato com o protozoário da toxoplasmose. Este, quando existente, é responsável por alterações importantes no bebê. Quando tratada habilmente e em tempo, o feto deve nascer sem problemas. Realizado em jejum de oito horas no 1º e 3º trimestre.

HIV (vírus da imunodeficiência humana): mostra a presença do vírus que causa a aids. A gestante precisa autorizar sua realização. Realizado o exame no 1° e 3° trimestre da gestação.

Sorologia para hepatite B e C: a gestante com hepatite B pode transmitir o vírus ao feto que sofre uma inflamação no fígado. Existem meios de reduzir essa transmissão do vírus, por isso à importância do exame. que é realizado no 1° e 3° trimestre.

exames de gestante moradanova ce3Exame de urina

Urina I (com urocultura, se possível): determina se está ou não ocorrendo infecção urinária, que deverá ser tratada na gravidez. A infecção urinária é muito comum na gestação, principalmente pelas modificações anatômicas provenientes do aumento do útero e pelas alterações hormonais próprias da gravidez. Complicações caso haja infecção: aborto, parto prematuro e hipertensão gestacional. O exame de urina é realizado no 1º e 3º trimestre e qualquer indício de infecção acarreta a repetição destes exames.

Conteúdo vaginal (corrimento)

embora o corrimento vaginal, sem odor de cor clara seja normal, a pesquisa da bactéria Streptococus B Hemomolítico na “secreção” vaginal, na 37ª semana de gestação, é muito importante. A presença desta bactéria pode levar a complicações para mãe e para o bebê no pós-parto.

Eletrocardiograma

O eletrocardiograma fetal avalia o coração de um bebê durante a gestação. O médico recomenda este tipo de exame para saber se o coração do bebê tem algum problema cardíaco. Este exame pode detectar más-formações cardíacas, acompanhamento de bebês com problemas cardíacos, aconselhamento genético-cardiológico para os pais e planejamento do parto em hospital com suporte em cardiologia pediátrica e cirurgia cardíaca.

Ultra-sonografia obstétrica:

A primeira ultra-sonografia é realizado no início da gestação (no primeiro trimestre) para confirmar se a gestação é única ou múltipla, para determinar se o bebê está bem posicionado dentro do útero e para confirmar o tempo de gravidez.

A segunda ultra-sonografia, geralmente, é realizado por volta da 12º ou 13º semana e serve para o rastreamento de aneuploidias, ou seja, diversas síndromes, entre elas a síndrome de down.
Entre a 20º e a 24º semana, é interessante realizar a ultra-sonografia obstétrica morfológica, que visualiza, de forma detalhada, os diversos órgãos e sistemas do bebê.

Veja a lista completa de exames realizados na gestação

Leia a entrevista na íntegra: 1150 - Entrevista com Regina Reinaldin - Exames da gestante (.PDF)

 

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

1150 - 14/10/2013 - Exames da gestante

Sul
 
Norte
 

 

Quais exames são oferecidos na rede pública?

Exames gratuitos do governo:

Estes exames são solicitado para fazer o acompanhamento pré-natal.

• Grupo sanguíneo e fator RH (quando não realizado anteriormente)
• Sorologia para sífilis (VDRL)
• Urina tipo I
• Hemoglobina e hematócrito (Hb/Ht)
• Glicemia de jejum
• Teste anti-HIV com aconselhamento pré-teste e consentimento da mulher
• Sorologia para hepatite B (HBsAg)
• Sorologia para toxoplasmose
• Colpocitologia oncótica, quando houver indicação.

Com a Rede Cegonha, foram acrescidos os seguintes exames:

• Teste rápido de gravidez
• Teste rápido de sífilis
• Teste rápido de HIV
• Cultura de bactérias para identificação (urina)
• Acréscimo de mais um exame de hematócrito, hemoglobina
• Ampliação do ultrassom obstétrico para 100% das gestantes
• Proteinúria (teste rápido)
• Teste indireto de antiglobulina humana (TIA) para gestantes que apresentarem RH negativo

Exames adicionais para gestantes de alto-risco:

• Contagem de plaquetas
• Dosagem de proteínas (urina 24 horas)
• Dosagens de uréia, creatinina e ácido úrico
• Eletrocardiograma
• Ultrassom obstétrico com Doppler
• Cardiotocografia ante-parto

Como a Pastoral da Criança faz:

Dra. Zilda

“Você sabia que mais da metade das crianças que morrem no Brasil, antes de um ano, morrem antes de 28 dias e principalmente antes dos 7 dias de vida por problemas de gestação ou de parto? Se a gente conseguir cuidar bem das gestantes e encorajá-las a fazer o pré-natal, pelo menos seis consultas de boa qualidade, e ter acesso a um parto humanizado e de boa qualidade, já conseguiremos diminuir muito a mortalidade infantil.”.

Papa Francisco

“Peçamos ao Senhor que o nosso trabalho de hoje nos faça a todos mais humildes, mais mansos, mais pacientes, mais confiantes em Deus, para que, assim, a Igreja possa dar um belo testemunho às pessoas que vendo o Povo de Deus, vendo a Igreja, sintam vontade de vir conosco!”.

Nossas histórias

Mutirão da gestante alerta para a importância dos exames na gestação

O Ramo São João Batista, em Joinville (SC), aproveita o dia da Celebração da Vida para também realizar encontros com as gestante da comunidade. A coordenadora do ramo, Ana Salete Furnaleto, conta que as líderes promovem palestras sobre as doenças sexualmente transmissíveis – DST, com profissionais do Centro de Atendimento às Vítimas de Crimes – CEVIC. Carla Maria Roth, assistente social e Tânia Crescêncio, nutricionista da Secretaria de Saúde do Município, também participam do momento alertando para o perigo de transmitir algumas doença ao bebê se a mãe não fizer os exames e o tratamento corretamente.

Pastoral da Criança de Santa Rita do Pardo (MS) realiza palestra para gestantes

No mês de julho, a Pastoral da Criança de Santa Rita do Pardo, promoveu um encontro com as gestantes da comunidade. Na oportunidade, a enfermeira Hellen falou sobre a importância do pré natal, exames durante a gestação (sangue, urina e ultrassom), as mudanças no corpo da mulher, cuidados pós-parto, os cuidados com o recém-nascido, o teste do pezinho e dedinho, amamentação e o acompanhamento com o pediatra.

O encontro também tratou sobre a relação entre a mãe e o bebê, a catequese do ventre materno e dinâmicas para despertar a valorização pessoal. As gestantes puderam compartilhar experiências, esclarecer dúvidas e saber mais sobre os cuidados que devem ter durante a gestação.

No final do encontro as gestantes receberam da Pastoral da Criança o folder com os 10 Mandamentos para a Paz na Família e Laços de Amor.

 

Assuntos relacionados:

1429 preparacao parto url