Foto Marcello Caldin“O pré-natal deve começar assim que a mulher descobre que está grávida”.

Líder, para a gente entender mais sobre a importância do pré-natal vamos reforçar algumas orientações importantes, que devem ser passadas para todas as gestantes da comunidade.

 

A mulher está esperando um bebê. Um passo muito importante agora é procurar o serviço de saúde para iniciar o pré-natal. O pré-natal é a assistência na área da saúde prestada à gestante durante os nove meses de gravidez, visando evitar complicações tanto para a mãe como para o bebê durante o período de gestação e no momento do parto.

O pré-natal deve começar assim que a mulher descobre que está grávida. O atendimento proporcionado nessa consulta, e nas outras, deve ser registrado e monitorado no Cartão da Gestante, pelos profissionais envolvidos, utilizado nas unidades básicas de Saúde do país. Por meio desse monitoramento, é possível fazer o acompanhamento, o diagnóstico e o tratamento de doenças pré-existentes ou das que podem surgir durante a gravidez.

Existe uma lista de exames básicos que toda mulher que engravida deve fazer. A maioria deles são exames de sangue, feitos em laboratório, como o hemograma completo, para checar se a mulher está com anemia ou infecções; glicemia, para verificar a taxa de glicose no sangue; e algumas sorologias como HIV, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, sífilis e hepatite B e C, além de tipagem sanguínea e fator Rh. O médico deve ainda solicitar exames de urina e fezes.

Consultas


No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que sejam realizadas no mínimo seis consultas (uma no primeiro trimestre da gravidez, duas no segundo e três no terceiro). Durante o pré-natal, a gestante deve receber informações sobre seus direitos, hábitos saudáveis de vida (alimentação, exercícios, etc.), medicamentos que precisa tomar e os que deve evitar e as mudanças que ocorrem durante a gravidez, como a maior incidência de sono e alterações no ritmo intestinal. Também tem de receber informações sobre sinais de risco em cada etapa da gravidez, como lidar com dificuldades de humor, temores em relação à sua saúde e a saúde do bebê, enjoos, inchaço, manchas na pele, sinais de parto, etc.

Gestação de risco

Gestantes que já tinham doenças prévias ou que adquirem durante a gestação precisam de atenção redobrada. Líder, oriente as gestantes sobre os principais sinais de risco na gestação e o que fazer caso eles aconteçam. Gestantes de risco devem estar sempre alertas e ao menor sintoma devem procurar o serviço de saúde.

Regina Reinaldin
Assistente Técnica da Pastoral da Criança


Mais recentes - Gestação