A saúde da mulher continua como um tema de interesse para nossas comunidades. Ainda é muito alto o índice de mulheres que morrem no parto, que morrem de câncer ou de outras doenças que poderiam ser prevenidas se houvesse uma maior atenção à saúde da mulher.

          Por isso, precisamos estar conscientes e orientar as mulheres de nossas comunidades sobre as questões de saúde, especialmente na prevenção de doenças.

          Um dos problemas que mais incomoda a saúde da mulher refere-se ao HPV, que  significa Papilomavírus Humano. O papilomavírus possui predileção por pele e mucosas e provocam na região infectada alterações localizadas que resultam no aparecimento de verrugas, conhecidas como 'crista de galo', que aparecem na vagina e colo de útero.

          Conhecida desde a antiguidade, as infecções genitais pelo HPV chamaram atenção a partir da década de 80, quando se identificou a correlação destas lesões com o câncer de colo uterino.

          O Papilomavírus Humano é um vírus universal, que não tem  preferências, quer seja quanto ao sexo, idade, raça, localização. Seu diagnóstico de suspeita é feito através do papanicolau ou a colposcopia e o diagnóstico de certeza é feito através de biópsia da área suspeita. Esses exames são gratuitos no sistema público de saúde.

          Todas as mulheres, com ou sem atividade sexual, devem fazer o exames preventivos anualmente. Existem várias formas de tratamento,  e se for encontrada alguma doença cada caso é tratado de forma individual, conforme avaliação médica.

          Na saúde da mulher, o mais importante é prevenir! É preciso somar esforços para promover a saúde integral da mulher e reduzir os índices de mortalidade nas diversas fases e ciclos de vida da mulher. Sobretudo os problemas no pré-natal, como hipertensão, diabetes; os problemas decorrentes do parto e puerpério, como hemorragias e infecções, o câncer de mama e do colo do útero.

 


Mais recentes - Gestação