8º CÍRCULO

JESUS TRANSMITE VIDA PARA UMA MENINA

A missão de um líder, de uma líder da Pastoral

Mc 5,21-24.35-43

 

Acolhida

 

  • Canto Inicial.
  • Criar um bom ambiente. Dar as boas-vindas. Colocar as pessoas à vontade.
  • Breve memória do encontro anterior.
  • Invocar a luz dos Espírito Santo.

 

1. Um fato da Vida que nos faz pensar

Uma pesquisa científica da PUC-SP, a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, analisando a situação social das famílias, constatou que um dos problemas que os pobres enfrentam para poderem melhorar sua situação social é que eles só possuem amigos pobres. Isto quer dizer que eles contam com pessoas com baixa escolaridade, sem recursos financeiros, mas que pela proximidade, amizade e confiança são capazes de partilhar o que possuem e atender os seus amigos.

A Pastoral da Criança quer ser este amigo pobre, os seus líderes devem estar presente nas áreas mais humildes e poder ajudar todos os que precisam e procuram alguma coisa em favor das crianças. Você deve conhecer algum relato de como um líder e a Pastoral acompanharam uma criança e ajudaram a salvar uma vida. Nosso texto de estudo de hoje mostra um pai de família pedindo ajuda a Jesus porque sua filhinha estava muito doente. Este é um sinal de que Jesus era reconhecido como um líder nos casos de saúde e de crianças. As pessoas sabem a quem pedir ajuda e vão procurar as que estão mais próximas.

  • Conte para nós algum fato que marcou a sua vida ou da comunidade como líder da Pastoral da Criança, quando ajudou uma criança e sua família.
  • O que significa ser um líder, uma líder da Pastoral da Criança?
  • Quais as atividades de um líder, de uma líder da Pastoral?
  • Como fazer para que as pessoas da comunidade tenham cada vez mais confiança nos trabalhos da pastoral?

 

2. Um texto da Bíblia que ilumina a Vida

 

  • Preparação.
  • Introdução à leitura do texto: Nosso texto narra a ressurreição da filha de Jairo. Durante a leitura vamos prestar atenção na angústia de Jairo e nos gestos de Jesus.
  • Leitura lenta e atenta do texto: Mc 5,21-24.35-43.

Perguntas para a reflexão
1. De que você mais gostou neste texto? Por quê?
2. O que faz Jairo? Como entender suas atitudes?
3. Com que gestos Jesus transmite segurança para uma família angustiada?
4. O que ensinam as atitudes de Jesus para as lideranças da Pastoral?

 

3. Celebrar e partilhar a Vida em forma de oração

Sugestões para a celebração

  • Colocar em forma de oração tudo aquilo que refletimos sobre a Palavra de Deus, sobre nossa vida e nosso trabalho na Pastoral. Como refrão após cada prece digamos: ABENÇOA NOSSOS TRABALHOS, SENHOR!
  • Rezar um salmo. Sugestão: Rezar juntos a Oração do Líder da Pastoral da Criança que está na página 12 do Guia do Líder.

 

4. Voltar para casa e testemunhar a Vida Nova

  • Formular um compromisso pessoal e comunitário no trabalho da Pastoral.
  • Terminar o encontro com a oração do Pai-Nosso.
  • Canto Final.

Preparar o próximo encontro

  • No próximo encontro vamos meditar sobre a mãe cananéia que vai pedir ajuda a Jesus. O texto de estudo será Mc 7,24-30.
  • Distribuir as várias tarefas da acolhida e da leitura do próximo encontro.
  • Marcar data e local do próximo encontro.

AJUDA PARA O GRUPO

O texto que aprofundamos em nosso encontro de hoje mostra um pai desesperado buscando vida para sua filha de doze anos. Sua fé em Jesus faz com que ele supere todas as dificuldades, permitindo que Jesus cure sua filha. Jairo teve que manter a fé mesmo quando as pessoa chegaram com a notícia de que a menina já tinha morrido. A fé de Jairo está em crer que para Jesus a morte não é a última barreira intransponível. Jesus lhe diz: "Não tenha medo! Apenas creia!" As palavras de Jesus passam a ter um grande significado para Jairo. Ele pede que Jesus lhe acompanhe até sua casa. Sinal de que Jairo espera pela ação de Deus mesmo contra toda esperança.

Jesus caminha com um pai que busca vida para sua filha. Em nosso trabalhos pastorais também teremos que, muitas vezes, enfrentar tal situação. As pessoas esperam muito de nós. Muitas vezes ficamos pensando que não há mais nada a fazer. Jesus nos ensina que enquanto houver vida, há uma esperança. Também nós, em nosso trabalhos pastorais, devemos levar conosco aquelas palavras que Jesus dirigiu a Jairo; "Não tenha medo! Apenas creia!"

7º CÍRCULO

A VIDA DA FAMÍLIA DE NAZARÉ

E o menino crescia...

Lc 2,39-40.51-52

 

Acolhida

 

  • Canto Inicial.
  • Criar um bom ambiente. Dar as boas-vindas. Colocar as pessoas à vontade.
  • Breve memória do encontro anterior.
  • Invocar a luz dos Espírito Santo.

 

1. Um fato da Vida que nos faz pensar

A Pastoral da Criança da comunidade São Pedro, em Vila Velha/ES, a cada ano faz uma bonita celebração de Natal, agradecendo todo o desenvolvimento das crianças e famílias durante o ano. Neste ano, as famílias acompanhadas fizeram uma surpresa para as líderes, chamando muitas outras famílias que já foram acompanhadas e as crianças que agora já estão com mais de seis anos. Compareceu muitas crianças que já estão com 13 a 15 anos de idade e que já foram acompanhadas pela Pastoral da Criança. As crianças falaram como estão indo bem nos estudos, participando da Igreja, com boa saúde, felizes com suas famílias. A emoção das líderes era visto pelas lágrimas de felicidades, pois as crianças colocavam da importância da Pastoral da Criança na vida delas. Foi o melhor presente de Natal que se pode oferecer para uma pessoa da Pastoral da Criança, ver o desenvolvimento saudável das crianças.

A criança manifesta sua saúde nas brincadeiras, na curiosidade, na vontade em aprender e em participar da vida da casa. Ela também quer fazer tudo sozinha, demonstrando sua vontade. A criança vai descobrindo e aprendendo. Mas ela não pode fazer tudo o que quer. Os pais, os irmãos, a família e a comunidade devem mostrar que existem limites. Dura é a tarefa de educar uma criança. Vamos conversar sobre isto.

  • Como fazer para que nossas crianças tenham um desenvolvimento saudável e integrado?
  • Quais as informações presentes no Guia do Líder que ajudam a acompanhar o desenvolvimento de uma criança na nossa comunidade?

2. Um texto da Bíblia que ilumina a Vida

 

  • Preparação.
  • Introdução à leitura do texto: Nosso texto de estudo são quatro versículos que nos dão uma idéia de como era a vida da família de José, Maria e Jesus na casa deles em Nazaré. Durante a leitura vamos prestar atenção nas informações transmitidas pelo texto a respeito de desenvolvimento de Jesus. Leitura lenta e atenta do texto: Lc 2,39-40.51-52.

Perguntas para a reflexão
1. De que você mais gostou neste texto? Por quê?
2. A partir das informações do texto, como deveria ser a vida da família de Nazaré?
3. O que o texto fala do desenvolvimento do menino Jesus?
4. O que tudo isso ensina para nós hoje?

 

3. Celebrar e partilhar a Vida em forma de oração

Sugestões para a celebração

  • Colocar em forma de oração tudo aquilo que refletimos sobre a Palavra de Deus, sobre nossa vida e nosso trabalho na Pastoral. Como refrão após cada prece digamos: DAÍ-NOS VOSSA SABEDORIA, SENHOR!
  • Rezar um salmo. Sugestão: Salmo 127 (126) – Os filhos são uma herança do Senhor.


4. Voltar para casa e testemunhar a Vida Nova

  • Formular um compromisso pessoal ou comunitário no trabalho da Pastoral.
  • Terminar o encontro com a oração do Pai-Nosso.
  • Canto Final.

 

Preparar o próximo encontro

  • No próximo encontro vamos meditar sobre a vida que Jesus transmite para a filha de Jairo. O texto de estudo será Mc 5,21-24.35-43.
  • Distribuir as várias tarefas da acolhida e da leitura do próximo encontro
  • Marcar data e local do próximo encontro.

 

AJUDA PARA O GRUPO

A família é uma das instituições que mais sentiu os violentos processos de mudanças decorridos com a implantação do sistema neoliberal em nosso país. As violências praticadas contra a família visavam a desestruturação e a desagregação dos membros, possibilitando aumentar o número de pessoas individualizadas, possíveis consumidores. Nosso texto de estudo de hoje mostra que Jesus se volta para a sua família em busca de crescimento e de graça. Nesta vida de família o menino ia crescendo, ficando forte e cheio de sabedoria. Um bom ambiente familiar se faz necessário para que nossas crianças cresçam e se desenvolvam.

Nossas práticas pastorais devem sempre mais reforçar os laços familiares, promovendo um profundo espírito de comunhão entre as pessoas que residem de baixo do mesmo teto. Que a família possa ser um espaço de formação e de educação para nossas crianças e jovens. Formar pessoas conscientes, unidas em comunidade familiar, abertas para a partilha e para a solidariedade, tal deve ser nosso maior objetivo pastoral com as famílias.

6º CÍRCULO

JESUS ABENÇOA AS CRIANÇAS

A força de Deus sustenta os fracos

Mc 10,13-16

 

Acolhida

 

  • Canto Inicial.
  • Criar um bom ambiente. Dar as boas-vindas. Colocar as pessoas à vontade.
  • Breve memória do encontro anterior.
  • Invocar a luz dos Espírito Santo.

 

1. Um fato da Vida que nos faz pensar

O seu João mora num bairro da periferia de Cuiabá, com a mulher e 5 filhos. Manuel, o caçula, nasceu prematuro e com poucas chances de sobreviver nas condições precárias da família. Eles moram num barraquinho de lona nas margens de um córrego. No barraco não tem nem como ter higiene, porque vivem todos amontoados. O seu João e dona Ana, sua esposa, vivem de catar papelão, mas ela não está podendo mais acompanhar o marido e a situação de sobrevivência fica mais difícil. A família conta com a solidariedade dos vizinhos com a doação de comida, leite e roupas. Dona Ana levou o Manuel e os outros filhos para serem pesados e acompanhados pela Pastoral da Criança, lá ela recebeu a orientação dos líderes, a multimistura, como aproveitar bem os alimentos e uma líder começou a fazer a visita semanal para a família. No mês seguinte, dona Ana pode constatar que seus filhos estão mais alimentados, ganhando peso e esperança de uma vida digna.

As crianças são frágeis e indefesas. Elas precisam crescer num ambiente comunitário saudável. Precisam receber muitos cuidados e proteção. Precisam de alimentos e de vacinas. Precisam de criação e de educação. Com apoio, carinho e amor elas conseguirão se desenvolver e crescer. É missão da comunidade acolher e defender suas crianças.

  • Quais os principais compromissos dos pais para com seus filhos?
  • Quais os principais compromissos de uma comunidade para com suas crianças?
  • Que orientações devemos dar aos pais e às comunidades? O que diz o Estatuto da Criança e do Adolescente a este respeito?

2. Um texto da Bíblia que ilumina a Vida

  • Preparação
  • Introdução à leitura do texto: Nosso texto de estudo mostra Jesus acolhendo, tocando e abençoando as crianças. Durante a leitura vamos prestar atenção nos gestos e nas palavras de Jesus.
  • Leitura lenta e atenta do texto: Mc 10,13-16.
  • Perguntas para a reflexão
  • De que você mais gostou neste texto? Por quê?
  • Quais os gestos e as palavras de Jesus para as crianças de sua época?
  • Quais os gestos e as palavras que nós devemos fazer para as crianças de nossa época?
  • Na época de Jesus as crianças simbolizavam a fraqueza , ausência de poder e de ambição. E hoje, o que simbolizam nossas crianças?

3. Celebrar e partilhar a Vida em forma de oração

Sugestões para a celebração

  • Colocar em forma de oração tudo aquilo que refletimos sobre a Palavra de Deus, sobre nossa vida e nosso trabalho na Pastoral. Como refrão após cada prece digamos: ACOLHEI NOSSAS CRIANÇAS, SENHOR!
  • Rezar um salmo. Sugestão: Rezar a Oração da Acolhida, que está na página 91 do Guia do Líder.

4. Voltar para casa e testemunhar a Vida Nova

  • Formular um compromisso pessoal ou comunitário no trabalho da Pastoral.
  • Terminar o encontro com a oração do Pai-Nosso.
  • Canto Final.

Preparar o próximo encontro

  • No próximo encontro vamos meditar sobre a vida de Jesus com sua família em Nazaré. O texto de estudo será Lc 2,39-40.51-52.
  • Distribuir as várias tarefas da acolhida e da leitura do próximo encontro.
  • Marcar data e local do próximo encontro.

 

AJUDA PARA O GRUPO

Jesus chama as crianças para perto de si. Ele as acolhe, as abraça e as abençoa. A criança simboliza muitas coisas nos textos bíblicos. Pode ser símbolo da confiança, da inocência e da perfeição. Neste nosso texto de estudo, a criança simboliza, antes de tudo, os fracos, os pobres, os marginalizados. Aqueles e aquelas que não têm nenhum poder na sociedade. São os desprotegidos, os errantes, os explorados e os que não têm nenhum valor. No tempo de Jesus, as crianças não eram valorizadas, não tinham nenhum espaço dentro da sociedade. Jesus as acolhe valorizando sua presença e sua participação. Ele mesmo as levará para o templo, espaço sagrado vedado às crianças, onde elas cantarão os louvores a Deus (cf. Mt 21,15).

Nossa sociedade não valoriza as crianças. Nossa sociedade está cheia de rostos golpeados pela pobreza, pelo abandono, pelo desprezo e pelo ódio. Muitas são atingidas ainda antes de nascer. A desnutrição atingirá estas crianças por toda a vida , apresentarão deficiências físicas e mentais, não conseguindo níveis intelectuais adequados. Sem estudo nem preparação serão abandonadas à própria sorte. Muitas serão exploradas nas periferias das grandes cidades. Necessitamos urgente de políticas que valorizem nossas crianças, se quisermos um país mais justo e mais humano.


5º CÍRCULO

JESUS SE PERDE DE SEUS PAIS

As crianças perdidas nas grandes cidades

Lc 2,41-50

 

Acolhida

 

  • Canto Inicial.
  • Criar um bom ambiente. Dar as boas-vindas. Colocar as pessoas à vontade.
  • Breve memória do encontro anterior.
  • Invocar a luz dos Espírito Santo.

1. Um fato da Vida que nos faz pensar

Os noticiários dos meios de comunicação exploraram um triste fato. Uma mulher que não podia ter filhos entra numa maternidade, disfarça-se de enfermeira e rouba uma criança de apenas sete dias. Os pais da criança desaparecida começam uma luta de dezesseis anos em busca do filho perdido. Quando o encontram ele já é um adolescente. Pai, mãe e filho não sabem mais como recomeçar uma vida que foi brutalmente interrompida por uma mulher desesperada. Quando uma novela na televisão trouxe o problema de filhos e filhas desaparecidas, centenas de mulheres reuniram-se na Cinelândia, no Rio de Janeiro, com as fotos e os nomes das crianças desaparecidas.

  1. Você conhece algum caso de uma criança que desapareceu? Conte como foi?
  2. Quais as maiores ameaças que possibilitam o desaparecimento de uma criança?
  3. Que orientações devemos dar aos pais para evitar o desaparecimento de seus filhos?

 

2. Um texto da Bíblia que ilumina a Vida

 

  • Preparação.
  • Introdução à leitura do texto. O texto de estudo narra a romaria que a família de Jesus fez a Jerusalém. Durante a leitura vamos prestar atenção nas atitudes dos pais de Jesus na busca por seu filho desaparecido.
  • Leitura lenta e atenta do texto: Lc 2,41-50.
  • Perguntas para a reflexão:
  • O que mais lhe chamou a atenção neste texto? Por quê?
  • Quais as atitudes dos pais de Jesus na busca do filho desaparecido?
  • Com que palavras Maria revela sua angústia pelo desaparecimento de seu filho?
  • O que tudo isso ensina para nós hoje?

3. Celebrar e partilhar a Vida em forma de oração

Sugestões para a celebração

  • Colocar em forma de oração tudo aquilo que refletimos sobre a Palavra de Deus, sobre nossa vida e nosso trabalho na Pastoral. Como refrão após cada prece digamos: PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS, SENHOR!
  • Rezar um salmo. Sugestão: Salmo 8 – O louvor das crianças afasta o inimigo.

4. Voltar para casa e testemunhar a Vida Nova

  • Formular um compromisso pessoal ou comunitário no trabalho da Pastoral.
  • Terminar o encontro com a oração do Pai-Nosso.
  • Canto Final

Preparar o próximo encontro

  • No próximo encontro vamos meditar sobre as mães que pedem a bênção de Jesus para seus filhos. O texto de estudo será Mc 10,13-16.
  • Distribuir as várias tarefas da acolhida e da leitura do próximo encontro.
  • Marcar data e local do próximo encontro.

AJUDA PARA O GRUPO

O texto que aprofundamos no encontro de hoje mostra Jesus perdendo-se de seus pais por ocasião de uma peregrinação a Jerusalém. O objetivo primordial do texto é mostrar que Jesus deve se afastar de sua vida familiar para assumir sua missão. As palavras de Jesus neste episódio mostram que sua missão primeira é a fidelidade aos planos do Pai e não sua vida familiar aqui na terra. Mas, ao mesmo tempo, mostra que Jesus deve se preparar para sua missão assumindo a vida de família e aguardar o momento propício para iniciar sua missão. Desta forma ele volta com seus familiares para Nazaré, permanecendo obediente a eles e assumindo a vida de família. Todo o trabalho de Jesus começa em casa.

Talvez hoje, em nossa sociedade, a família seja a instituição mais bombardeada pelos meios de comunicação. Os laços familiares, que sempre nos parecerem muito firmes e sólidos, estão s desmanchando com uma rapidez incrível. Vemos hoje que os idosos não têm mais garantias de que seus filhos irão cuidar deles na velhice. Os filhos se voltam contra seus pais e mães. Os noticiários mostra um aumento nos crimes dentro das famílias, geralmente associados ao consumo de drogas. As incertezas da vida familiar estão jogando nas ruas uma grande quantidade de jovens, rapazes e moças, sem rumo nem perspectivas. Os apelos de consumo e de individualização acentuam mais ainda este processo. Recuperar a vida familiar e a família como espaço de vida e de identidade é um dos grande desafios de nossa época.

Leia mais...