placa de transito com adulto e criançaAcidentes na infância: o alerta que salva!

Já diz o velho ditado: com criança, todo cuidado é pouco! Por isso, é preciso estar sempre alerta. É preciso prestar atenção em todos os ambientes, internos e externos, e identificar o que pode significar uma potencial causa de acidente para poder agir de modo preventivo.

De acordo com o último estudo realizado pelo Ministério da Saúde, realizado em 2007, as causas externas representavam a primeira causa de óbitos de crianças na faixa etária entre 1 a 10 anos no País, sendo que as principais causas de óbitos em crianças de 0 a 10 anos foram os acidentes de transporte (29,3%), seguidas pelos afogamentos (21,0%) e outros riscos à respiração, como engasgamento com o próprio vômito e por corpo estranho (15,4%). No mesmo ano, as agressões (violências) foram responsáveis por 6,9% dos óbitos em crianças na referida faixa de idade*.

Saiba mais: Acidentes domésticos

*Fonte: Ministério da Saúde – Cadernos e Atenção Básica nº 33, página 185. Publicação 2012).

Como a Pastoral da Criança faz

Todos juntos pela segurança das crianças

Os acidentes domésticos na infância são muito comuns e merecem uma atenção especial dos pais e responsáveis, que devem saber como proceder nos momentos de dificuldade. Para conversar sobre os cuidados que devemos ter com nossas crianças, para não serem vítimas destes acidentes convidamos a Regina Reinaldin enfermeira da Pastoral da Criança.

regina reinaldin enfermeira da pastoral da crianca

 Regina Reinaldin - Enfermeira da Pastoral da Criança

Por que acontecem tantos acidentes domésticos?

As crianças, os adolescentes e os idosos são os que mais sofrem acidentes. As crianças sofrem por serem pequenas e frágeis e por não saberem ainda o que é perigoso. Os adolescentes se expõem aos acidentes por que se arriscam facilmente sem pensar nas consequências. Os idosos sofrem acidentes, muitas vezes, por problemas físicos, por não enxergar direito, por tontura ou por que não ouvem bem. Cada membro da família pode fazer a sua parte para evitar estes acidentes, a dica é olhar em volta, em cada cômodo da casa, e tentar perceber o que pode ser perigoso.

Quando pensamos em acidentes domésticos a palavra principal é prevenção. Manter uma atenção redobrada sobre a criança, e no caso de acontecer algum acidente, além do socorro imediato, procure sempre um hospital ou posto de saúde.

Quais são os tipos de acidentes mais comuns com as nossas crianças?

Engasgos, asfixia, quedas, queimaduras, envenenamentos por remédio ou produtos de limpeza, afogamentos, acidentes de trânsito, até mesmo por arma de fogo e muitos acidentes causados por catástrofes naturais como deslizamentos ou enchentes.

Saiba mais: Principais causas acidentais de mortalidade infantil

Afogamento de crianças podem acontecer muitas vezes num piscar de olhos, num único descuido. O que é importante ressaltar sobre afogamento?

Os afogamentos acontecem em grande escala. Eles podem acontecer em tanques, em bacias e baldes com água, piscinas, em cavas ou até mesmo em rios e no mar.

Alguns cuidados são fundamentais para diminuir o risco de afogamentos. Importante é não perder as crianças de vista nos ambientes em que há água por perto. Especialmente aquelas que não sabem nadar. Os responsáveis pelas crianças devem evitar ingerir bebidas alcoólicas, porque mesmo no raso, podem perder a noção de profundidade.

Nesses casos, é importante chamar os bombeiros, tão logo seja possível, pois eles têm treinamento especializado neste tipo de salvamento.

Veja a entrevista na íntegra (PDF): Entrevista com Regina Reinaldin - Acidentes na infância

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança. Ouça o programa de 15 minutos na íntegra
Programa de Rádio 1167 - 10/02/2014 - Acidentes na infância
{audio socialshare:no}1167 Acidentes na infância sul|/images/audios/programasvivaavida2014/sul/1167acidentesnainfancia.mp3; 1167 Acidentes na infância norte|/images/audios/programasvivaavida2014/norte/1167acidentesnainfancia.mp3{/audio}

Os acidentes domésticos são muito comuns e mesmo com todo o cuidado alguns alimentos, objetos, lugares e situações apresentam riscos, principalmente para as crianças. Veja abaixo algumas dicas para prevenir os acidentes mais comuns na infância.

Banho e afogamento

banhos e afogamentos

Banho e afogamento

Cuidado com tanques, piscinas descobertas, banheiras, poços de água, baldes e bacias. Procure deixar a criança longe desses locais e objetos. Na hora do banho, nunca deixe a criança sozinha na banheira. Deixe todo o material de higiene, toalha e roupa da criança separados antes do banho. Caso precise se ausentar, retire a criança da banheira, enrole na toalha e leve junto.

Perigos na cozinha

acidentes na cozinha criançaPerigos na cozinha

Quando a criança começa a engatinhar, ficar em pé e caminhar, é comum seguir a mãe. Nunca deixe a criança sozinha na cozinha e procure sempre deixar a porta fechada para evitar acidentes. É comum as crianças sofrerem queimaduras por causa do fogão e forno ligado, com água e panelas quentes. Deixe sempre os cabos das panelas voltados para dentro do fogão.

Tomadas e fios elétricos

tomadas e choques eletricosTomadas e fios elétricos

Cubra as tomadas com protetores e tire os fios elétricos do alcance das crianças, pois podem provocar choques elétricos. Ensine as crianças, desde pequenas, que não se deve colocar o dedo ou outros objetos nas tomadas.

 

Intoxicação

envenenamentos remédiosIntoxicação

As crianças são curiosas e adoram mexer em tudo. Para evitar esse tipo de acidente, evite armazenar produtos de limpeza em garrafas PET de refrigerantes; não deixe produtos tóxicos ao alcance e guarde remédios em lugares altos e fechados. Caso ocorra a ingestão de algum produto, não ofereça nada para a criança e não provoque o vômito. A criança deve ser levada imediatamente ao pronto-socorro e os pais devem levar uma amostra da substância ingerida.

Engasgos

 

criança com brinquedo na bocaEngasgos

Crianças pequenas costumam levar objetos estranhos à boca e é comum ocorrerem engasgos ou sufocamento. Para evitar, não deixe objetos pequenos por perto, verifique a indicação etária dos brinquedos e descarte os brinquedos quebrados. Caso ocorra o engasgamento, estimule a criança a tossir e só tente retirar o objeto se estiver à mostra. Caso contrário, leve imediatamente a um pronto-socorro.

Cortes

 

criança chorandoCortes

Não deixe ao alcance das crianças facas, canivetes, estiletes e outros objetos que  possam ocasionar cortes ou perfurações. Caso ocorra o acidente, lave o local com água corrente e tente estancar o sangue com um pano limpo. Não coloque remédios ou receitas caseiras, pois podem infeccionar ou dar alergia. Leve a criança até um médico que definirá se o corte precisará de pontos ou não.

 

Os meses quentes de verão e de férias são, geralmente, sinônimo de muito calor. Neste período é importante alguns cuidados para que as crianças não sejam vítimas de acidentes, algumas vezes são fatais.

Os afogamentos e queimaduras pelo sol lideram os casos de acidentes com crianças e adolescentes nesse período. Mas, com atenção e alguns cuidados, é possível aproveitar o sol e o mar (piscina), sem risco para a saúde.

Afogamentos

ilustra afogamentos 01Afogamentos

No Brasil, afogamentos são a segunda causa de morte e a oitava de hospitalização, entre os acidentes na faixa etária de 1 a 14 anos. Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2011, mais de mil crianças com idades entre zero de 14 anos morreram afogadas no País.

É importante lembrar que os perigos de afogamentos não estão apenas nas águas abertas, como o mar, represas e rios. Para uma criança que está começando a andar, três dedos de água representam um grande risco, e pode se afogar em bacias, baldes, banheiras e vasos sanitários.

Dicas de prevenção de afogamentos:

Muitos casos de afogamentos acontecem com pessoas que achavam que sabiam nadar. As crianças também tem essa ideia errônea e se arriscam mais. Diferentemente dos adultos, as partes mais pesadas do corpo da criança pequena são a cabeça e os membros superiores, por isso elas perdem facilmente o equilíbrio ao se inclinarem para a frente.

As mortes por afogamentos podem ser evitadas com atitudes simples de cuidado e prevenção. Veja algumas dicas:

- Supervisão total e constante de um adulto responsável
- Uso de coletes salva-vidas pelas crianças em piscinas, mares e rios
- Não armazenar água em baldes, banheiras e outros utensílios
- Manter cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos trancados ou com alguma proteção que não permita “mergulhos”
- Grande parte dos afogamentos com bebês acontecem em banheiras. Nesta faixa etária, até dois anos, vasos sanitários e baldes podem ser perigosos. Nunca deixe as crianças, sem vigilância, próximas de pias, vasos sanitários, banheiras, baldes e recipientes com água. Mantenha o banheiro sempre fechado.

Queimaduras solares

ilustra queimaduras 01Queimaduras solares

A insolação decorre da exposição direta e excessiva aos raios solares, causando queimaduras e desidratação, já que as células são destruídas e o líquido que fica entre elas é eliminado. No verão, o suor e a respiração mais intensa também favorecem a perda de água. Nas crianças, por terem a pele mais fina e sensível, a desidratação acontece mais rapidamente.

Cuidado com o mormaço

Não é apenas os dias de sol e céu limpo que oferecem risco de insolação. O mormaço dos dias nublados também é um risco para a saúde. As pessoas acreditam que, como não tem sol, não tem risco para a saúde. Nos dias nublados o nível de radiação solar pode chegar a 70%, o que é suficiente para causar danos.

Outro perigo é achar que estando embaixo do guarda-sol não existe risco. Mesmo sem a exposição direto do sol, o perigo existe, pois a areia reflete os raios solares, o que eleva a temperatura do corpo e acelera a perda de água.

Sintomas

Os principais sintomas da insolação são a pele avermelhada e quente, dor de cabeça, tontura, pulso forte e rápido, sede intensa e falta de ar. Em casos mais graves podem ocorrer vertigens, vômito e perda da consciência.

Dicas de prevenção

Para prevenir o problema, alguns cuidados são fundamentais:

- Usar filtro solar com FPS (Fator de Proteção Solar) acima de 30. 
- Aplicar o filtro solar pelo menos 15 minutos antes da exposição ao sol e reaplicar a cada duas horas.
- A exposição ao sol deve ser feita no início da manhã e no final da tarde. Evitar o horário entre 11h e 17h, quando os raios solares estão mais intensos.

Como agir nos casos de insolação em crianças

A melhor opção, nos casos de insolação e queimadura solar, é colocar a criança em local fresco e arejado, abrigado do sol e ofertar bastante líquido e soro caseiro. Aplicar toalhas molhadas com água fria e procurar um serviço de saúde. Não aplicar pomadas e remédios caseiros.

 

 

selo guia do lider1

Intoxicações ou envenenamentos e afogamentos

Algumas dicas para evitar intoxicações ou envenenamentos são simples e podem ser aplicadas no dia a dia. Oriente a família para que:

  • mantenha produtos de limpeza e medicamentos fora do alcance da criança;
  • nunca troque produtos de limpeza de sua embalagem normal para outras embalagens, como garrafas plásticas. A criança pode se confundir;
  • quando precisar dar remédio para a criança, não diga que é balinha (rebuçadas) ou doce;
  • tenha cuidado com plantas que possam ser tóxicas.

crianca 3 anos acidentes afogamentosSe acontecer uma intoxicação, deve-se procurar o hospital imediatamente, levando também a embalagem do produto ou o que causou a intoxicação. Assim o tratamento fica mais rápido e eficiente. Não se deve provocar o vômito, pois existe risco de a criança aspirá-lo e isso causar pneumonia.

Para prevenir afogamentos, os pais devem ser orientados a não deixar seus filhos sem que um adulto esteja cuidando.

Em casa, logo após o uso, é preciso jogar fora a água de baldes e vasilhames. Os tanques de lavar roupa também oferecem perigo, assim como rios e cavas. Por isso, é preciso muita atenção dos pais ou de quem cuida da criança.

A família também deve estar atenta ao risco da criança engolir objetos ou pequenos alimentos, que, se forem para o pulmão, podem causar pneumonia grave. É bom ter cuidado também com chicletes (pastilhas), pipocas, balas (rebuçadas), caroços, pirulitos (sambapitos) e moedas.

Estas orientações foram retiradas do Guia do Líder (.PDF)

Saiba mais SBP: Segurança

 Foto: Mariska van Brederide

Fotos: 1.István Benedek; 2.Renata Osinka; 3.Alessandro paiva; 4.Marcello Caldin; 5.Anna Karwowska; 6.T. Rolf.

Mais recentes - Criança