mamando com dois anos

 João Paulo e Nair - Seguindo o exemplo dos irmãos mais velhos, o caçula, aos 2 anos de idade, ainda mama.

João Paulo da Silva comemorou dois anos de idade em maio deste ano e ainda mama no peito da mãe. Ele é o terceiro filho de Nair Ferreira da Silva, que completa 44 anos em agosto. Sua irmã do meio, Alessandra, já tem 15 anos e o irmão mais velho, Rodrigo, está prestes a atingir a maioridade.

Nair é acompanhada pela Pastoral da Criança, em Sorocaba (SP), desde a primeira gestação. As crianças mamaram exclusivamente no peito até os seis meses de idade e cresceram saudáveis. E, a partir da idade indicada, passaram a ter uma alimentação rica em legumes e verduras.

"Eles aprenderam a comer salada, comem de tudo! Minha irmã evitava dar refrigerante e nunca aceitou que fumassem perto das crianças. Ela sempre foi muito prudente na criação dos meus sobrinhos", conta Padre José Amaro Silva – irmão de Nair, que já participou de uma capacitação na sede nacional para atuar como padre assessor da Pastoral da Criança em sua Paróquia.

Além do cuidado com a saúde da família, Nair é um exemplo de solidariedade e incentivo ao aleitamento materno. "Enquanto amamentava os dois primeiros filhos, ela também doava para o banco de leite, pois tinha muito", conta Pe. Amaro.

Enfrentando as dificuldades para garantir o aleitamento materno

Vale lembrar que a saúde da mãe reflete diretamente no desenvolvimento da criança, mesmo depois da gestação. Uma mãe que cuida de sua alimentação, mantém hábitos saudáveis e está bem disposta (física e emocionalmente) estimula a produção do leite materno e fortalece a relação com seu filho.

Dra. Zilda

“A amamentação exclusiva até seis meses é um direito da criança. Se possível, as mães devem continuar dando de mamar até dois anos ou mais, para que a criança fique mais ágil, tenha uma psicomotricidade melhor e muito mais talentos.”

Papa Francisco

“Um objetivo de todos os dias: transmitir um pouco da ternura de Cristo a quem mais precisa”.

Ermina Maidel – agente comunitária e coordenadora da Pastoral da Criança na Paróquia São João Bosco, no Bairro Alto, em Curitiba (PR) – conta uma história que demonstra como as atitudes simples são importantes para a saúde. Ela conheceu uma mãe que, ainda com o segundo filho recém-nascido, apresentava indícios de depressão, estava fraca e desanimada. Durante a visita domiciliar, a voluntária percebeu que havia pouca coisa na cozinha e que a família não estava se alimentando adequadamente. Ermina, então, mobilizou a comunidade e conseguiu providenciar algumas frutas e verduras, fez sucos e deu outras dicas para que a mãe pudesse recuperar a disposição. Neste caso, também se destaca a questão emocional, pois o apoio e a segurança do acompanhamento realizado pela coordenadora fizeram toda a diferença para o bem-estar da mãe e da família.

Em outras situações, por falta de informação, outros alimentos são inseridos na dieta do bebê antes do tempo. "Eu visitei um recém-nascido que chegou do Hospital e já estava tomando o leite materno como complementar, recebendo outro tipo de leite", relata Ermina. Ao perceber que precisava de mais orientação, a voluntária explicou a importância do aleitamento materno e os benefícios desse alimento, que é o mais completo para a criança. "Às vezes, quando chega para a primeira consulta no médico, a mãe já não está mais amamentando. Então, a Pastoral da Criança é muito importante", afirma.

Ermina comenta ainda sobre as mudanças de hábito da vida moderna, que dificultam a amamentação exclusiva nos seis primeiros meses do bebê. "Às vezes, ainda no terceiro mês, as creches começam a fazer um período de adaptação com a criança, para que a mãe possa voltar a trabalhar no mês seguinte, ao final da licença maternidade. Algumas mães ficam muito tempo ligadas ao celular ou computador. E muitas não têm mais o costume de fazer uma caminhada, pegar um sol", completa.

Celebração da Vida com informação

Ciente da importância do aleitamento materno, Ermina teve a iniciativa de incluir uma orientação sobre esse assunto no momento de Celebração da Vida. A partir de agosto, os encontros contarão com a presença da enfermeira Sueli Jacinto, que sempre apoia as ações da Pastoral da Criança e atua no programa Mãe Curitibana, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba.

E SDG Icons NoText 033º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável

“Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”.

O aleitamento materno traz benefícios para toda a sociedade. É por meio da amamentação que o bebê recebe todos os nutrientes para crescer e se desenvolver plenamente. Amamentar contribui para a boa saúde e bem estar da mãe e do filho. Além de ser uma ação que colabora para a redução da fome e para o consumo responsável, uma vez que é produzido naturalmente. Desse modo, o aleitamento materno abrange diversos objetivos do Desenvolvimento Sustentável, proposto pela ONU.

Logo museu da vida horizontal 012

banner2

banner2

educacao etica3

Viva a Vida2

banner rouanet


Oi Visitante, quem é você?