JORNAL HOJE (SP) • REPORTAGEM • 18/1/2010 • 13:15:00 • GLOBO

 

 

O soldado fez imagens do momento em que Porto Príncipe desabou. Ele estava em frente à igreja e a escola onde morreu a fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns.

 

Ele narra um pouco do que aconteceu. A assistente da Zilda Arns que também estava lá relembra o momento. As imagens foram conseguidas com exclusividade pelo Fantástico. 

 

Assistente / Zilda Arns: “Nessa hora subiu uma poeira branca, depois que tudo caiu no chão, que cobriu tudo. Esse poeirão durou uns dois ou três minutos. Foi a hora que me senti sufocada, como se fosse morrer e eu não tinha ar para respirar, era só poeira”. 

 

Soldado: “Acabou de desmoronar a igreja, quase caiu em cima da gente. Dá uma olhada na poeira. A movimentação é grande e com certeza tem feridos. Tinha muita gente aqui, não deu tempo de todo mundo sair não”. 

 

Assistente / Zilda Arns: “Foi um momento de desespero, de pânico. Eu andava para lá e para cá na rua para ver se encontrava a doutora Zilda. Como muitas pessoas que estavam na palestra já tinham saído, já estavam lá fora, elas me perguntavam da doutora Zilda e eu não sabia onde ela estava”. 

 

Soldado: “O desespero é grande do pessoal. Muito, muito grande...”