dra zilda arns neumann pastoral da crianca

 

Uma das maiores redes de solidariedade do mundo vai receber homenagem pelos seus 25 anos de missão em todo o Brasil

Uma Sessão Especial será realizada pela Assembléia Legislativa da Bahia, a partir das 9 horas desta sexta-feira (5), para homenagear a Pastoral da Criança, por seus 25 anos de missão em favor da vida. A homenagem foi proposta pelo deputado Yulo Oiticica (PT), que destacou o trabalho do organismo social da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB) no combate à desnutrição e à mortalidade infantil em todo o Brasil e na Bahia, onde atua há mais de 22 anos.

 

Também uma Moção de Aplauso foi inserida na ata dos trabalhos da Assembléia Legislativa. Para o Deputado “não há como negar que muito ainda há por fazer, mas o desafio que a Pastoral da Criança tomou como sua responsabilidade, a redução da desnutrição e da mortalidade infantil no Brasil, cumpriu e tem cumprido com a mais alta dignidade, e não só aqui, mas em tantos outros países onde já se instalou”.

“Há um quarto de século esse trabalho foi iniciado e já reverteu quadros cumulados de séculos inteiros. Sua grandiosidade merece todas as homenagens e honrarias que se puderem render-lhe. Assim, cabe ao Parlamento baiano comunicar à sociedade inteira o seu reconhecimento e agradecimento à Pastoral da Criança do Brasil, nas figuras de seus fundadores, de seus administradores e de seus corajosos agentes, pelo irrefutável auxílio que presta ao Estado na construção de uma sociedade mais justa e igualitária, onde os valores e princípios humanos superam as dores causadas pelas distinções sociais.”, declarou o deputado Yulo Oiticica.

 

Na Bahia

 

A Pastoral da Criança conta com apoio de uma rede com mais de 32 mil voluntários nas mais de 6.500 comunidades espalhadas por 390 municípios onde está implantada. A maioria dos voluntários são mulheres que atuam como líderes nos locais onde moram, orientando as famílias, dando assistência à saúde física e espiritual, exercendo papel fundamental na defesa da vida dos mais pobres.

Coordenada na Bahia pela missionária Zofia Kusy, a Pastoral está presente em todas as dioceses da Bahia, atendendo mensalmente cerca de 220 mil crianças de 0 a 6 anos, com suas 171 mil famílias e aproximadamente 15 mil gestantes num universo de 1.032.476 crianças pobres, segundo o IBGE.

 

Amor à vida

 

Tudo começou em 1982, em uma reunião da ONU sobre a paz mundial, na Suíça. James Grant, na época diretor executivo do UNICEF, que sugeriu ao Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns a criação de um projeto de Igreja para combater as altas taxas de mortalidade infantil no Brasil, provocadas principalmente pela diarréia.

Em seu retorno, Dom Paulo procurou sua irmã, a Dra. Zilda Arns Neumann, e propôs-lhe que desenvolvesse o projeto. A CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil indicou seu atual presidente, Dom Geraldo Majella Agnelo, na época Arcebispo de Londrina, para acompanhar a Dra. Zilda Arns no desenvolvimento do trabalho.

Em 1983, foi criada a Pastoral da Criança, como um projeto piloto implantado na Paróquia de São João Batista, município de Florestópolis, Arquidiocese de Londrina, norte do Paraná. Neste pequeno município, onde 74% do trabalho era realizado por lavradores bóias-frias, morriam 127 crianças para cada mil nascidas vivas. Após um ano de atividades, o trabalho de amor e dedicação dos líderes comunitários fez este índice cair para 28 mortes para cada mil crianças nascidas vivas.

Em 1984, a Dra. Zilda Arns Neumann foi convidada a apresentar o trabalho aos Bispos do Brasil, em Assembléia Geral da CNBB, em Itaici, estado de São Paulo. Com este apoio, a Pastoral da Criança cresceu, e há dez anos está em todos os cantos do país.

 

Ecumênica

 

Trata-se de um organismo de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, de atuação ecumênica, isto é, aberta a pessoas de todas as religiões. Também não faz distinção de etnia, cor, sexo, opção política ou nacionalidade. O voluntário da Pastoral da Criança realiza mais do que um trabalho junto às famílias que acompanha: ele tem uma missão de Fé e Vida, de fraternidade cristã, de amor e de co-responsabilidade social.

 

Família e comunidade

 

A base de todo o trabalho da Pastoral da Criança são a família e a comunidade. A dinâmica consiste em capacitar líderes comunitários, que residem na própria comunidade, para mobilização das famílias nos cuidados com os seus filhos. Uma metodologia que tem três grandes momentos de intercâmbio de informações que ajudam no fortalecimento da solidariedade. São as visitas domiciliares mensais, realizadas pelos líderes a cada família acompanhada; o dia da Celebração da Vida, quando cada comunidade se reúne para pesar todas as suas crianças e se transforma no momento de celebração da vida; as reuniões mensais entre os líderes de uma mesma comunidade, para refletir e avaliar o trabalho realizado no mês anterior e para reforçar a soma de esforços para superar as dificuldades.

 

Desenvolvimento integral

 

Em todas as comunidades atendidas, coloca-se em prática um conjunto de ações que vão daquelas voltadas para a sobrevivência e desenvolvimento integral da criança até a melhoria da qualidade de vida das famílias carentes, tanto no plano físico e material como no espiritual. Entre essas ações destacam-se: Apoio integral às gestantes; Incentivo ao aleitamento materno - a primeira escola do amor e da paz; Vigilância nutricional; Alimentação enriquecida; Controle de doenças diarréicas; Controle de doenças respiratórias; Remédios caseiros; Estímulo à vacinação de rotina das crianças e das gestantes; Brinquedos e Brincadeiras; Educação para Paz; Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis; Saúde Bucal; Catequese do ventre materno aos seis anos de idade.

 

Informações:
Ladeira dos Aflitos, 52 - Dois de Julho
Telefax: (71) 3328-4147 - 3328-6127
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Ass. de imprensa
Jonildo Gloria – (73) 9998-3837
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Publicado em 02/12/08