Em centenas de municípios, a mãe ou o responsável pela criança recebe o medicamento na Unidade Básica de Saúde, depois da consulta, e só oferece a primeira dose para a criança ao chegar em casa. Em outras situações, precisa buscar os medicamentos receitados em uma Unidade Central de Medicamentos, desperdiçando horas de tratamento que podem significar um internamento hospitalar evitável e, o que é pior, a morte da criança.

Com a oferta da primeira dose de antibiótico logo após a consulta, ainda no posto de saúde, poderia se evitar uma parte significativa das cerca de 139.045 mil mortes anuais de pessoas por infecções respiratórias no país, registradas pelo MS/SVS/CGIAE - Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM, do Ministério da Saúde.  Segundo dados do Datasus, de um total de 6.105 mortes de crianças de 1 a 4 anos em 2014, as infecções respiratórias foram responsáveis por 15,72%  dos óbitos,  a segunda causa de morte nesta faixa etária  no país. As doenças respiratórias respondem por 4% das mortes de crianças menores de 1 ano. Fonte: MS/SVS/CGIAE - Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM.

No Brasil, aconteceram 204.082 internamentos de crianças menores de 4 anos por pneumonia, em 2015, a maior parte na Região Sudeste (71.053 mil) e no Nordeste  (58.603 mil). Com a oferta do antibiótico logo após a consulta, muitos destes internamentos seriam evitados. Em 2009, quando a campanha Antibiótico primeira dose imediata começou, eram 354.292 internamentos nesta faixa etária, o que representa uma diminuição de 42%. nos ultimos 6 anos. Fonte: Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS).

A prevenção inclui: aleitamento materno exclusivo e alimentação saudável (que ajudam no fortalecimento do sistema imunológico), qualidade do ar dentro de casa e imunização por meio de vacinas.

Articuladores

Os 1.043 Articuladores da Pastoral da Criança junto aos Conselhos de Saúde visitam mensalmente 1.485  Unidades Básicas de Saúde (UBS) em 2015, em 807 municípios. Entre as unidades visitadas, 64% delas tinham antibiótico em estoque, mas somente 39%  declararam dar a primeira dose do medicamento para a criança na própria UBS.

Tabela 

Fonte:Sistema de Informação da Pastoral da Criança. Relatório Extrato de Indicadores, Abrangência por níveis Brasil, Ano 2015, Folha de Acompanhamento Digitada até 11/08/2016 às 13:55 horas. Disponível em -- http://www.pastoraldacrianca.org.br  - [2016 Ago 11 ] 



Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades

E-mail:*