gestante prematuroA agilidade dos meios de comunicação atuais sempre nos surpreendem com notícias de nascimento de prematuros. A sobrevivência tem sido cada vez maior entre bebês que nascem muito antes do tempo previsto. O que ocasiona tantos nascimentos prematuros e, consequentemente, de baixo peso? Bebês que nascem antes de completar 37 semanas de gestação podem ser considerados prematuros e as causas são diversas: infecção urinária, idade da gestante, fumo, estresse, cesariana pré-agendada, gestações gemelares... O fato é que as maternidades estão cada vez mais registrando o nascimento de bebês prematuros, o que se torna uma preocupação não só para neonatologistas e pediatras, mas para as famílias que não raramente tem que contar com mais de 40 dias de internação do bebê antes de que ele tenha condições de ser levado para casa.

Como a Pastoral da Criança faz:
Exemplo duplo de amor e compromisso com as crianças

A situação está se agravando. De acordo com o Sistema de Informações de Nascidos Vivos, do SUS e Ministério da Saúde, no Brasil nascem 931 prematuros por dia ou 40 por hora, indicando uma taxa de prematuridade de 12,4%, o dobro do índice de alguns países europeus.

A sociedade como um todo deve discutir seriamente a questão, pois não é só recuperar o bebê que nasceu prematuro e de baixo peso, mas também pensar a saúde dessa criança no futuro e na vida adulta. Por isso, todo esforço é válido para prevenir o nascimento de prematuros. Um pré-natal de qualidade e bem feito já é um bom começo!

regina-reinaldin-enfermeira-da-pastoral-da-crianca

 Regina Reinaldin - Enfermeira da Pastoral da Criança

“Ter o acompanhamento pré-natal é um ótimo instrumento pra controlar os fatores de risco que envolvem uma gravidez”, afirma Regina.

Atualmente, o bebê que nasce prematuro tem muito mais chances de se desenvolver normalmente, graças aos cuidados especiais e intensivos que recebe, tanto dos profissionais de saúde como da família e da comunidade. O bebê prematuro, quase sempre, é considerado um recém-nascido de risco. Por isso, ele precisa receber muitos cuidados para evitar maiores complicações. Para esclarecer algumas dúvidas sobre o bebê prematuro e de baixo peso, confira a entrevista com Regina Reinaldin, enfermeira da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança

Quando um bebê é considerado prematuro e como ele é?

É o bebê que nasce com menos de 37 semanas. Ele é considerado prematuro ou pré-termo. Quanto ao peso de nascimento, denominam-se os bebês com menos de 2kg como de baixo peso. Com menos de 1kg e meio, são de muito baixo peso. E aqueles com peso menor de 1kg são chamados de extremo baixo peso. Por isso, eles devem ficar na incubadora.Geralmente esses bebês têm baixo peso ao nascer, pele fina, brilhante, rosada, veias visíveis, pouca gordura, pouco cabelo, orelhas finas e moles, cabeça desproporcionalmente maior que o corpo, musculatura fraca e pouca atividade corporal, poucos reflexos de sucção e deglutição.

A infecção urinária é uma das causas que pode fazer o bebê nascer prematuro. Como ocorre? Como a gestante pode evitá-la?

As infecções podem ocorrer pela presença da glicose na urina da mulher grávida. Temos que lembrar também que, durante a gestação, a resistência da mulher fica mais baixa, sendo mais fácil o ataque de qualquer micro-organismo. As toxinas liberadas pelas bactérias desse tipo mais grave de infecção urinária podem causar contrações no útero, levando ao trabalho de parto prematuro, abortamentos, hipertensão arterial, morte do bebê e até da mãe, quando a infecção se torna severa e generalizada. Existem algumas medidas que a gestante deve realizar para a prevenção da infecção urinária, como beber bastante líquido durante todo o dia. Outra recomendação é ir ao banheiro com frequência e é fundamental que a gestante cuide bem da sua higiene pessoal.

Saiba mais:
Parto natural, normal ou cesárea: entenda as diferenças e recomendações

Outra causa do nascimento de prematuros é o parto cesário?

11 em cada 100 partos são prematuros no Brasil. O abuso das cesarianas pode estar entre as causas desses dados alarmantes divulgados pelo Unicef. Quando o bebê nasce duas semanas antes da data prevista, ele tem 100 vezes mais probabilidades de ter dificuldades respiratórias e também as complicações para a mãe aumentam.

Veja a entrevista na íntegra (PDF): Entrevista com Regina Reinaldin - Bebês prematuros

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

1208 - 24/11/2014 - Bebês prematuros

Norte

Sul

bebe prematuro

Os bebês prematuros, principalmente os que nascem antes de 35 semanas de gestação ou que são muito pequenos, necessitam de cuidados especiais. Eles poderão permanecer no berçário, internados na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) ou na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN). Como os bebês prematuros têm dificuldade de controlar a temperatura corporal, a respiração e a alimentação, são colocados em incubadoras ou berços aquecidos. Além do respirador, que é importante para garantir o fornecimento de oxigênio, eles recebem a alimentação adequada por meio de um tubo a ser colocado no estômago ou por uma veia.

Comunicação

Comunicação

A comunicação dos pais com a equipe da UTI é muito importante. Os pais têm direito de saber tudo que envolve o estado de saúde do bebê. A equipe da UTI tem que estar preparada para orientar a família e esclarecer as dúvidas quando os acompanhantes não entendem as orientações. Tem quer ser explicadas novamente, para que a família tenha segurança para apoiar o bebê da melhor forma. Afinal, o apel dos pais é de estar do lado do seu bebê no hospital e lutar com ele. Não é fácil ficar dias, às vezes mais de um mês, dentro de um hospital vendo o sofrimento do filho.

Existe uma técnica que se chama canguru, em que os pais têm contato pele a pele com o bebê. É incentivada, se o médico liberar. Ela ajuda no aquecimento e na oxigenação do bebê, assim ele vai ficar calmo e a produção do leite materno é favorecida.

Saiba mais: Pais prematuros

Aleitamento e exames

Aleitamento e exames

O aleitamento materno de um prematuros é mais difícil pela imaturidade e por estar em um hospital. Estar internado pode dificultar a formação do vínculo mãe-filho, que é importantíssimo para a amamentação. Vale lembrar que o leite materno é a melhor alimentação para o bebê.

Quanto aos exames, procedimentos e tratamentos que a equipe da UTI poderá utilizar ao cuidar do bebê, estão: sangue, urina, fototerapia, transfusão, exames oftalmológicos e auditivos, radiografia, ecocardiograma, ultrassom cerebral, tomografia computadorizada e até exames mais minuciosos, como a ressonância magnética.

Tempo

Tempo

O tempo que o bebê deve permanecer na UTI varia conforme seu estado. A equipe médica vai avaliar esta necessidade.

Pais e profissionais

Pais e profissionais

É importante ter uma sala de descanso para as mães, deixar tirar fotos, permitir o livre acesso dos pais 24h, ter uma cadeira ao lado do berço, assistência de um psicólogo para a família, orientar os pais antes da primeira visita (apresentando a equipe pelo nome, para ficarem seguros de que seu bebê está bem cuidado) e incentivar as mães, se possível, a fazer pequenas tarefas na UTI, como medir a temperatura da criança e trocar uma fralda, por exemplo.

Toda UTI tem que ter uma equipe preparada para que o bebê e a família tenham garantido o melhor atendimento. Esta equipe é comporta por: neonatologista, pediatra, enfermeiro, assistente social, psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, cardiologista, neurologista, oftalmologista e nutricionista.

Antes da alta da UTI, é importante que a mãe, ou o outro responsável, passe por um treinamento básico sobre como cuidar do bebê em casa

E em situação de perda de um bebê, dar a informação aos pais de maneira cuidadosa, tranquila, clara, sem pressa, em ambiente reservado.

pe de bebe prematuro

É maravilhoso poder levar seu bebê para a casa, depois de tanta espera. O bebê que passou algum tempo na unidade de tratamento intensivo é frágil e é normal que os pais fiquem preocupados. Sempre que houver dúvida, procurar a equipe da maternidade ou o pediatra, para receber mais orientações.

O bebê recebe alta quando está se alimentando bem e ganhando peso (pelo menos 1,75 quilo). Se ele tiver nascido antes de 30 semanas, entretanto, pode ser que só volte para casa na época da data prevista para o parto, ou até mais tarde.

Alimentação

Alimentação

Lembre-se que a amamentação é a melhor fonte de nutrientes para o bebê. Dê o peito sempre que seu filho quiser e acorde-o para mamar, se ele estiver dormindo há mais de quatro ou cinco horas e durante a noite. Estas mamadas noturnas são necessárias para recuperar o tempo perdido. Alguns bebês podem precisar receber oxigênio ainda em casa. Nestes casos, a família vai receber as orientações de como fazer e o equipamento necessário.

Qualidade do ambiente

Qualidade do ambiente

Cuidado com a presença de fumaça de cigarro em casa, pois ela eleva o risco de morte súbita (a morte de repente e sem causa aparente). A fumaça do cigarro também aumenta o risco de o bebê ter asma e infecções, então ninguém pode fumar em casa.

Faça o máximo para não expor o bebês a infecções. Quando vier uma visita, evite que peguem o bebê no colo. Este simples cuidado protege o bebê.

Não superaqueça o bebê na hora de dormir, evitando o excesso de roupas. Use mantas e cobertores abaixo da linha da axila, para que o bebê não se enrole neles, coloque o bebê para dormir de barriga para cima, mantenha as vacinas sempre em dia, deixe a casa bem arejada e limpa, lave a mãos sempre que for pegar o bebê. Pessoas gripadas ou resfriadas não podem visitar o bebê, porque o risco de infecção é maior. Também é melhor deixar os passeios para mais tarde, nas primeiras semanas deve-se evitar.

Pais, levar seu bebê para casa pode parecer difícil, com todas as adaptações ao seu novo papel de mãe, de pai e as atividades de casa, preocupações… Então, mantenham a tranquilidade, demostrem muito carinho e segurança para esta linda vida que agora faz parte da família. E, sempre que tiverem dúvidas ou se sentirem inseguros, procurem o serviço de saúde para orientar o que e como fazer.

Saiba mais SBP: Neonatologia

Leia também:
O bebê até um mês
Saúde do bebê
O bebê na primeira semana de vida