obesidade e pastoral da criancaAtualmente, em todos os países e meios de comunicação, um dos temas prevalentes é o da obesidade. De acordo com um estudo do Ministério da Saúde, quase metade da população brasileira está acima do peso. Segundo o estudo, 42,7% da população estava acima do peso no ano de 2006. Em 2011, esse número passou para 48,5%. O combate à obesidade ultrapassou o âmbito da saúde e se insere fortemente também nos âmbitos da estética e das relações interpessoais. O fato é que ser obeso não é nada fácil na sociedade atual, principalmente para crianças e adultos jovens.

Em estudo realizado pela Faculdade de Educação Física da Unicamp e pela Universidade Salgado de Oliveira, de Goiânia*, as pesquisadoras deixam claro esse sofrimento: “Ao desenvolver esse projeto, conseguimos mergulhar no dia a dia de um adolescente obeso e verificar o quanto o seu trilhar diário é difícil e preconceituoso. Na verdade é uma luta diária para vencer todos os obstáculos que a sociedade impõe, sejam eles na própria casa, na rua onde mora, na escola onde frequenta, na igreja e assim por diante. Ao ouvi-lo, se tem a certeza que a sociedade não sabe lidar e nem tem compreensão com os obesos”.

Outro fator relevante é que o acesso ao alimento aumentou, reduzindo os casos de desnutrição. Contudo, o que parece uma conquista, comparado com um passado de fome e carência de alimentos, não veio acompanhado de um programa de educação nutricional. Talvez por isso, o Ministério da Saúde está lançando o novo Guia Alimentar da População Brasileira (edição 2014), com a finalidade de orientar os brasileiros sobre os cuidados com a saúde e como manter uma alimentação saudável e balanceada.

infografico obesos no brasil

Fonte

1274 alimentacao gestante paula pizzatto

Paula Pizzatto - Nutricionista da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança

"Bebê gordinho não é mais sinal de saúde", afirma Paula Pizzatto, nutricionista da Pastoral da Criança

Um dos principais trabalhos realizados pela Pastoral da Criança é o acompanhamento nutricional, isto é, uma avaliação do peso e altura das crianças em todo Brasil. O acompanhamento nutricional começa durante a  gestação, através  de uma alimentação saudável e um pré-natal de qualidade. Para saber como a Pastoral da Criança realiza este trabalho, nossa entrevistada é Paula Pizzatto, nutricionista da Pastoral da Criança.

O que é a ação acompanhamento nutricional das crianças?

A Pastoral da Criança sempre fez o acompanhamento nutricional das crianças, através da pesagem no Dia da Celebração da Vida, agora a cada três meses, os líderes além de pesar medirão a altura da criança e conversarão com a família sobre os resultados obtidos.

Se a criança não está se desenvolvendo bem o que fazem os líderes da Pastoral da Criança?

Os líderem conversam com a família, passam as orientações e sempre incentivam a família a levar a criança para consultar com o médico na UBS. A Pastoral da Criança conta com uma série de materiais educativos. No acompanhamento nutricional, nós temos as Cartelas de Orientações, as quais são entregues aos pais ou responsáveis logo após o resultado do estado nutricional da criança ser lançado pelo computador. Essas cartelas trazem algumas informações simples e importantes em relação à alimentação, estímulo à prática de atividade física para as crianças, principalmente nos casos que as crianças encontram-se com excesso de peso. São materiais para que os líderes tenham um embasamento para orientar as famílias.

A Pastoral da Criança também está orientando as gestantes sobre a importância dos cuidados nos primeiros mil dias de vida da criança. Estes primeiros mil dias de vida são fundamentais?

É nos primeiros mil dias de vida da criança que pode-se prevenir tanto a desnutrição quanto a obesidade. Esses mil dias compreendem o período de gestação até o segundo ano de vida.

Ter alimentação adequada e ingerir muitos líquidos, podem fornecer os nutrientes adequados para seu filho. Depois que a criança nasce, deve-se dar o leite materno nos primeiros 6 meses e logo após, fazer a introdução adequada dos alimentos. Neste período a criança estará aprendendo seus hábitos alimentares. Se essa fase dos primeiros mil dias é feita com bastante atenção e cuidado você estará evitando muitos problemas para o futuro.

Saiba mais: Como os cuidados nos primeiros mil dias de vida podem ajudar em nossa saúde para sempre!.

Confira a entrevista na íntegra: 1173 - Entrevista com Paula Pizzatto - Acompanhamento Nutricional (.PDF)
Confira a entrevista de Nelson Arns Neumann

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

1173 - Acompanhamento Nutricional - 21/03/2014

Sul
 
Norte
 

Foto: Marcello Caldin/ Pastoral da Criança