O médico precisa esperar pelo exame de Raio X para afirmar que a criança está com suspeita de pneumonia e iniciar o tratamento?

Não. Na maioria das pneumonias comunitárias, inicia-se o tratamento imediatamente e reavalia-se a situação da criança na Unidade de Saúde, após um período de 24 e 48 horas.


Quando a criança precisa ser internada por pneumonia, ela deveria tomar a primeira dose na Unidade Básica de Saúde antes de ser encaminhada para a internação?

O tempo entre a transferência, internação e o início de tratamento pode levar horas. Por isso, recomenda-se que o médico avalie a possibilidade de dar a primeira dose de antibiótico na Unidade Básica de Saúde antes de encaminhar para o hospital.


Quando não é possível a presença do farmacêutico nas Unidades Básicas de Saúde para dispensação do antibiótico, pode haver a supervisão do profissional farmacêutico e a entrega ser feita por outro profissional de saúde treinado?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exige o profissional farmacêutico em todas as farmácias. Porém nas Unidades de Saúde sem farmácia, mas que dispõem de um conjunto de medicamentos supervisionados, não há necessidade.


O que acontece quando a pessoa não faz o tratamento com o antibiótico até o fim e não completa as doses definidas pelo médico?

Nesse caso, as bactérias do paciente podem vir a desenvolver resistência ao antibiótico, o que é um problema de saúde pública, pois o uso indiscriminado e incorreto de antibióticos vem crescendo a cada dia.


A bula do Antibiótico Solução (Amoxicilina) descreve que o medicamento deve ser dissolvido com água filtrada ou fervida fria. É possível orientar que o antibiótico pode ser dissolvido com água potável?

Sim. Lembramos que a água de torneira, fornecida pelas empresas de saneamento, são adequadas para beber e para se diluir os medicamentos. Não há necessidade de ferver ou filtrar esta água.


Em algumas situações, pode haver reações alérgicas ao antibiótico. Alguns profissionais de saúde, por não serem médicos, poderiam alegar ter receio de dar a primeira dose por temer reações alérgicas?

Essas reações graves, embora raras, existem. E devido a isso, o correto é que a primeira dose seja dada em uma unidade básica. Por isso as Unidades Básicas de Saúde deveriam dispor de insumos adequados para atender às reações alérgicas na primeira hora após a aplicação de fármacos. É sempre melhor ter reações no serviço de saúde do que ter em casa.


De que maneira o profissional de saúde pode verificar se a mãe ou o responsável entendeu o processo de tratamento?

Pedir que repita tudo o que foi dito anteriormente. Ao utilizar copinhos ou seringas dosadoras, pedir que aponte até que ponto deve ser a dose indicada.


Após a primeira dose, como ajustar o tempo para administrar as outras doses do antibiótico?

Converse com o médico sobre os intervalos e como adequar o horário a partir da primeira dose ministrada na Unidade de Saúde. Nunca alongar (ultrapassar) o horário estabelecido para o antibiótico. Nas primeiras doses é possível diminuir os intervalos, para dar mais conforto à criança. Assim é possível evitar acordar de madrugada, correr o risco de perder o horário e deixar de fazer o tratamento corretamente. O ajuste é feito sempre com a orientação do médico.


Quem consultou com um médico particular ou através do plano de saúde tem o direito de receber a primeira dose imediata na Unidade Básica de Saúde?

Não. Somente quem foi consultado e recebeu receita médica através da Unidade básica de Saúde tem direito a receber o antibiótico gratuitamente. Quem recorreu ao médico particular ou o plano de saúde pode comprar o antibiótico com preços mais acessíveis através da farmácia popular.


Na Unidade Básica de Saúde não foi dado o antibiótico, o que posso fazer?

Você deve se mobilizar e tomar providências. Em um primeiro momento reclamar na UBS, e mesmo protocolar uma pedido de explicação na secretaria de saúde e em ultima instancia procurar os direitos no Ministério Público.


A primeira dose do antibiótico pode continuar sendo ofertada na Unidade Básica de Saúde (UBS) após a aprovação da Lei 13.021/14?

A Lei 5.991 de 1973 garante que o antibiótico e outros medicamentos sejam dispensados nas Unidades Básicas de Saúde por meio do Dispensário.



Saiba mais sobre o termo de compromisso da Secretaria aqui.

Veja os materiais da campanha aqui.

Se na sua UBS não está sendo dado o antibiótico, informe a Pastoral da Criança aqui ou através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.