Antibiótico: Primeira Dose Imediata

historiaantibioticoAntibiótico é um medicamento capaz de atuar sobre microorganismos mono ou pluricelulares, causadores de infecções. Se as primeiras substâncias descobertas eram produzidas por fungos e bactérias, atualmente os antibióticos são sintetizados em laboratórios farmacêuticos e têm a capacidade de impedir, dificultar ou eliminar o avanço de certos quadros infecciosos.

A descoberta dos antibióticos provocou uma verdadeira revolução na medicina, contribuindo de modo preponderante para a saúde e o aumento da expectativa de vida da população em geral. Seu uso possibilitou o tratamento de doenças que até então eram consideradas de difícil cura, tais como a tuberculose, pneumonia, meningite, sífilis, crupe, gangrena, entre
outras.

A penicilina foi descoberta por Alexander Fleming, em 1928, que reparou que numa determinada cultura de bactérias, contaminada por uma determinada espécie de fungos, as bactérias não se desenvolviam. Alexander Fleming iniciou suas pesquisas em Londres, buscando substâncias capazes de matar ou impedir o crescimento de bactérias nas feridas infectadas dos soldados, durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), na qual muitos deles morreram em consequência da falta de tratamento adequado para as infecções provocadas pelos ferimentos profundos ocasionados em combate.

Em 1940, Howard Florey e Ernst Chain conseguiram produzir penicilina com fins terapêuticos em escala industrial, inaugurando um tempo que ficou conhecido pela medicina como “a era dos dos antibióticos”.

Atualmente, os antibióticos são utilizados na luta contra infecções bacterianas. O antibiótico pode ser bactericida, quando elimina a bactéria ou bacteriostático, se interrompe a sua reprodução. Mas é preciso atenção (e aqui vai um alerta): seu uso indiscriminado e sem controle médico faz com que surjam cepas de bactérias resistentes a estes medicamentos.

Existem mais de 5.000 tipos de antibióticos no mercado e centenas de similares, que são fabricados por diversos laboratórios farmacêuticos. Os mais conhecidos são: penicilinas e seus derivados, cefalosporinas, macrolídeos, tetraciclinas e aminoglicosidos.

Crianças com suspeita de pneumonia precisam receber o antibiótico o quanto antes.

 

A Pastoral da Criança, em parceria com o Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), lançou (dia 4 de julho) em Curitiba a campanha "Antibiótico: primeira dose imediata". O objetivo da campanha é orientar os gestores municipais de saúde, e principalmente a sociedade, sobre a necessidade de ministrar a primeira dose de antibiótico nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) logo após a consulta, em especial nos casos de crianças com suspeita de pneumonia.

 
Leia mais...

Boletim REBIDIA

Quanto mais cedo começar o tratamento, mais fácil é a cura. nº 34

Dicas

Crianças com suspeita de pneumonia devem receber antibiótico quanto antes! nº 48

Documentos

Termo de compromisso com a campanha: antibiótico, primeira dose imediata

Cartazes

. Santinho

. Cartaz 460x640

. Cartaz 297x420

. Jornal - Pastoral da Criança, edição 176 Julho/2011

Outdoor

. outdoor_campanha (pdf)

Coletiva

. Apresentação - (PDF)

 Banners para internet

Banner internet-120x600 Banner internet-468x60 Antibiotico-120x240A Antibiotico-120x240B Antibiotico-170x170 Antibiotico-180x150A Antibiotico-180x150B

 

Spot (rádio) para programa “Viva a Vida” e outros veículos

Vídeos:

Vídeo da Campanha:

Clique aqui para fazer download deste vídeo

Antibiótico Primeira Dose Imediata: Alexandre Padilha, Ministro da Saúde

Antibiótico Primeira Dose Imediata: Antonio Carlos Nardi, Secretário de Saúde do município de Maringá, Paraná

{music}images//audios/Campanha_Spot_pneumonia{/music}

Se o médico receitar antibiótico é direito da criança receber a primeira dose no ato da consulta

Dentre as suas várias ações, a Pastoral da Criança tem uma campanha permanente chamada “Antibiótico: primeira dose imediata”, que tem o objetivo de alertar a população sobre a importância de ministrar a primeira dose de antibiótico nas unidades básicas de saúde logo após a consulta, em especial, nos casos de crianças com suspeita de pneumonia. “Quanto mais cedo começar o tratamento, mais fácil é a cura” é a mensagem da campanha que está fazendo uma grande mobilização da sociedade, com voluntários e articuladores da Pastoral da Criança nos conselhos municipais de saúde de todo o país. Por meio de diversos materiais (cartazes, banners, vídeos, programas de rádio, entre outros), elaborados para conscientizar a população sobre a importância da administração do antibiótico em casos de infecções respiratórias agudas, aqui você ficará sabendo mais detalhes sobre essa iniciativa que está ajudando a salvar muitas vidas, especialmente com relação à pneumonia, uma das principais causas de morte de crianças até 1 ano.

Médicos e profissionais de enfermagem devem garantir que a primeira dose de antibiótico seja dada ainda no posto de saúde e instruir os pais a darem todas as doses corretamente em casa.

A pneumonia é uma infecção respiratória grave. Se a criança não receber o tratamento certo e a tempo, pode morrer. Por isso quando a criança apresentar algum sinal de infecção respiratória, a mãe, pai ou familiar deve ser orientado para que:

  •   leve ao médico o mais rápido possível;
  •   continue a amamentar;
  •   dê os medicamentos na dose, nos horários e pelo tempo recomendado pelo médico;
  •   volte ao serviço de saúde no dia marcado ou a qualquer momento, se o bebê não apresentar melhora ou piorar.

Um estudo sobre a estratégia Atenção Integral às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) mediu a prevalência de prescrição e de administração da primeira dose de medicamento para menores de cinco anos levados à consulta médica por doença nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) no município de Rio Grande (RS). No resultado, ficou evidente que esta não é uma prática comum nas UBS deste município. Acesse o estudo "A administração da primeira dose do medicamento nos serviços de saúde: um estudo com menores de cinco anosde idade no extremo-sul do Brasil” (pdf).  

selo guia do lider1

Pneumonia

A pneumonia é mais perigosa nos bebês:

  • Com menos de dois meses de idade;
  • Que nasceram com menos de dois quilos e meio;
  • Que não mamam no peito;Que estão desnutridos;
  • Que não estão com as vacinas em dia.

Algumas condições do ambiente fazem o ar ficar poluído e facilitam pegar esse tipo de doença. São as casas em que não entra sol, não é renovada a entrada de ar, têm poeira e fumaça de carro, fogão à lenha ou poluição de carros, fábricas e das queimadas.

O hábito de fumar perto da criança aumenta as chances de ela ter problemas respiratórios, como bronquite, inflamação de ouvido, sinusite, asma e pneumonia.

infeccao respiratoria bebe dois mesesTem dificuldade para respirar:

  • Ruído esquisito ao respirar (estridor);
  • Aparecem as costelas quando puxa o ar (tiragem subcostal)

Quando o bebê apresenta algum sinal de infecção respiratória, a mãe deve:

  • Levar ao médico o mais rápido possível;
  • Continuar a amamentar;
  • Dar os medicamentos na dose, nos horários e pelo tempo recomendado pelo médico;
  • Voltar ao serviço de saúde no dia marcado ou a qualquer momento, se o bebê não apresentar melhora ou piorar.

Se a criança demonstrar algum sinal de perigo, elas devem ser levadas imediatamente para o hospital. As Infecções Respiratórias Agudas (IRA) são um dos principais problemas de saúde entre as crianças menores de cinco anos.

Reconhecer os sinais de perigo e começar logo o tratamento ajudam a diminuir a gravidade da doença e pode evitar a morte por pneumonia.

Por isso, a recomendação da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde (Portaria nº 1.820, de 13 de agosto de 2009) é para que a criança com suspeita de pneumonia, com a indicação médica de antibiótico, receba a primeira dose do remédio na própria Unidade Básica de Saúde. Médicos e profissionais de enfermagem devem garantir que a medicação seja aplicada no ato da consulta e instruir os pais a darem todas as doses corretamente em casa.

ATENÇÃO: Qualquer remédio só deve ser dado para o bebê com orientação do médico.

Estas orientações foram retiradas do Guia do Líder (.PDF)

Ministério da Saúde orienta que primeira dose é imediata!

Assista aos vídeos:

Antibiótico: primeira dose imediata - Ministro da Saúde Alexandre Padilha

Antibiótico: primeira dose imediata - Presidente do CONASEMS e Secretário Municipal de Saúde de Maringá (PR)

Uma criança com suspeita de pneumonia, com a indicação médica de antibiótico, deve receber a primeira dose do remédio na própria Unidade Básica de Saúde (UBS), conforme recomendação da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde (Programa AIDPI – Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância, 2003).

A atenção à saúde da criança menor de 2 meses de idade requer a assistência adequada e no tempo oportuno. Na edição lançada em 2012 do Manual AIDPI NEONATAL, o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde orientam sobre o uso da primeira dose imediata do Antibiotico nos casos de infecções de crianças menores de 2 meses.

Além de disponibilizar uma nota técnica, o Ministério da Saúde publicou a Portaria nº 1.820, de 13 de agosto de 2009, que descreve os direitos e deveres dos usuários da saúde, e orienta para o tratamento no tempo certo.  No caso do Antibiótico para criança com Pneumonia o tempo certo é logo depois do diagnóstico médico, na própria Unidade Básica de Saúde. No Caderno da Atenção Básica nº 28: "Acolhimento à demanda espontânea", pagina 56, está a lista de medicamentos que devem estar à disposição nas Unidades Básicas de Saúde/Saúde da Família/postos de saúde utilizados para o atendimento às urgências clínica. Dentre estes medicamentos destaca-se os Antibióticos (para administrar a primeira dose na própria UBS nos casos de pneumonia em crianças).

A Portaria define no Art. 3º que:

"Toda pessoa tem direito ao tratamento adequado e no tempo certo para resolver o seu problema de saúde.

Parágrafo único. É direito da pessoa ter atendimento adequado, com qualidade, no tempo certo e com garantia de continuidade do tratamento, para isso deve ser assegurado:

I - atendimento ágil, com tecnologia apropriada, por equipe multiprofissional capacitada e com condições adequadas de atendimento".

Todos os documentos estão disponíveis na Internet, endereço www.rebidia.org.br

Leia: 1184 - Entrevista com Regina Reinaldin - Infecções respiratórias / Campanha do Antibiótico (.PDF) e 1141 - Entrevista com Clóvis Boufleur - Campanha do Antibiótico (.PDF)

Saiba mais SBP: Pneumologia

Aqui vamos organizar outras informações como os dados de SP  para publicar.

 

Criança tomando remédio

A campanha “Antibiótico: primeira dose imediata” é uma promoção da Pastoral da Criança, em parceria com  o Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Unicef, Associação Brasileira de Enfermagem (ABEN), Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), Academia Brasileira de Pediatria (ABP), Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas/RS. Seu objetivo é orientar os gestores municipais de saúde, e principalmente a sociedade, sobre a necessidade de ministrar a primeira dose de antibiótico nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) logo após a consulta em especial nos casos de crianças com suspeita de pneumonia.

 
 
saudedafamiliasusministeriodasaudegovernofederalconasemssociedadebrasileiradepediatriaabenepidemio-ufpelsbmfcunicefcriancaesperancajwtgerdauhsbc

Entrevista com Regina Reinaldin - Infecções Respiratórias/ Campanha Antibiótico

Nesta semana, nosso tema é sobre as doenças respiratórias agudas e também sobre a campanha permanente de combate às doenças respiratórias (“Antibiótico, Primeira Dose Imediata”) que a Pastoral da Criança desenvolve nas comunidades.

Leia mais...

 

Entrevista com Clóvis Boufleur - Campanha Antibiótico

A campanha "Antibiótico, primeira dose imediata" é uma promoção da Pastoral da Criança, que tem o objetivo de alertar a população sobre a importância de ministrar a primeira dose do antibiótico nas unidades básicas de saúde, logo após a consulta, em especial nos casos de crianças com suspeita de pneumonia. Quanto mais cedo começar o tratamento, mais fácil é a cura. É a mensagem da campanha que está fazendo uma grande mobilização da sociedade com voluntários e articuladores da Pastoral da Criança, nos conselhos municipais de Saúde de todo o país.

Leia mais...

O médico precisa esperar pelo exame de Raio X para afirmar que a criança está com suspeita de pneumonia e iniciar o tratamento?

Não. Na maioria das pneumonias comunitárias, inicia-se o tratamento imediatamente e reavalia-se a situação da criança na Unidade de Saúde, após um período de 24 e 48 horas.


Quando a criança precisa ser internada por pneumonia, ela deveria tomar a primeira dose na Unidade Básica de Saúde antes de ser encaminhada para a internação?

O tempo entre a transferência, internação e o início de tratamento pode levar horas. Por isso, recomenda-se que o médico avalie a possibilidade de dar a primeira dose de antibiótico na Unidade Básica de Saúde antes de encaminhar para o hospital.


Quando não é possível a presença do farmacêutico nas Unidades Básicas de Saúde para dispensação do antibiótico, pode haver a supervisão do profissional farmacêutico e a entrega ser feita por outro profissional de saúde treinado?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exige o profissional farmacêutico em todas as farmácias. Porém nas Unidades de Saúde sem farmácia, mas que dispõem de um conjunto de medicamentos supervisionados, não há necessidade.


O que acontece quando a pessoa não faz o tratamento com o antibiótico até o fim e não completa as doses definidas pelo médico?

Nesse caso, as bactérias do paciente podem vir a desenvolver resistência ao antibiótico, o que é um problema de saúde pública, pois o uso indiscriminado e incorreto de antibióticos vem crescendo a cada dia.


A bula do Antibiótico Solução (Amoxicilina) descreve que o medicamento deve ser dissolvido com água filtrada ou fervida fria. É possível orientar que o antibiótico pode ser dissolvido com água potável?

Sim. Lembramos que a água de torneira, fornecida pelas empresas de saneamento, são adequadas para beber e para se diluir os medicamentos. Não há necessidade de ferver ou filtrar esta água.


Em algumas situações, pode haver reações alérgicas ao antibiótico. Alguns profissionais de saúde, por não serem médicos, poderiam alegar ter receio de dar a primeira dose por temer reações alérgicas?

Essas reações graves, embora raras, existem. E devido a isso, o correto é que a primeira dose seja dada em uma unidade básica. Por isso as Unidades Básicas de Saúde deveriam dispor de insumos adequados para atender às reações alérgicas na primeira hora após a aplicação de fármacos. É sempre melhor ter reações no serviço de saúde do que ter em casa.


De que maneira o profissional de saúde pode verificar se a mãe ou o responsável entendeu o processo de tratamento?

Pedir que repita tudo o que foi dito anteriormente. Ao utilizar copinhos ou seringas dosadoras, pedir que aponte até que ponto deve ser a dose indicada.


Após a primeira dose, como ajustar o tempo para administrar as outras doses do antibiótico?

Converse com o médico sobre os intervalos e como adequar o horário a partir da primeira dose ministrada na Unidade de Saúde. Nunca alongar (ultrapassar) o horário estabelecido para o antibiótico. Nas primeiras doses é possível diminuir os intervalos, para dar mais conforto à criança. Assim é possível evitar acordar de madrugada, correr o risco de perder o horário e deixar de fazer o tratamento corretamente. O ajuste é feito sempre com a orientação do médico.


Quem consultou com um médico particular ou através do plano de saúde tem o direito de receber a primeira dose imediata na Unidade Básica de Saúde?

Não. Somente quem foi consultado e recebeu receita médica através da Unidade básica de Saúde tem direito a receber o antibiótico gratuitamente. Quem recorreu ao médico particular ou o plano de saúde pode comprar o antibiótico com preços mais acessíveis através da farmácia popular.


Na Unidade Básica de Saúde não foi dado o antibiótico, o que posso fazer?

Você deve se mobilizar e tomar providências. Em um primeiro momento reclamar na UBS, e mesmo protocolar uma pedido de explicação na secretaria de saúde e em ultima instancia procurar os direitos no Ministério Público.


A primeira dose do antibiótico pode continuar sendo ofertada na Unidade Básica de Saúde (UBS) após a aprovação da Lei 13.021/14?

A Lei 5.991 de 1973 garante que o antibiótico e outros medicamentos sejam dispensados nas Unidades Básicas de Saúde por meio do Dispensário.

 

Saiba mais sobre o termo de compromisso da Secretaria aqui.

Se na sua UBS não está sendo dado o antibiótico, informe a Pastoral da Criança aqui ou através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Logo museu da vida horizontal 012

banner2

banner2

educacao etica3

Viva a Vida2

banner rouanet


Oi Visitante, quem é você?