mãe com crianca recem nascida

Normalmente, as novelas e revistas mostram o nascimento de um bebê como um momento de extrema felicidade. As imagens mostram lágrimas, sorrisos, olhares ternos... mas além da alegria, pela chegada de uma nova vida, o que pouco se fala é que o pós-parto é um dos momentos de maior ansiedade na vida de uma mulher. É um momento que exige muito cuidado, especialmente se a mulher for mãe do primeiro filho. As dúvidas são muitas: será que o bebê é saudável? Como amamentar? Como prevenir hemorragias e infecções? Como cuidar de si mesma e do bebê nos primeiros dias? Será que serei capaz? Isso sem contar as inúmeras opiniões e conselhos de avós e outros familiares. Como lidar com a ansiedade e estresse do pós-parto? Como prevenir a depressão pós-parto e complicações, especialmente com relação à amamentação?

A informação, sem dúvidas, é o elemento chave para contornar a situação e ajudar a mulher a lidar com essa nova realidade. Por isso, a gestante, durante o pré-natal, tem que receber todas as orientações sobre o pós-parto e buscar informações sobre como lidar de modo prático com as situações que surgirão após o nascimento do bebê. Os líderes da Pastoral da Criança orientam as gestantes sobre a importância de realizar um pré-natal bem feito e também marcam presença, com visitas domiciliares, no momento do pós-parto, para que as mulheres se sintam mais seguras e confiantes para se cuidarem e cuidarem bem do bebê.

"As visitas, tanto na maternidade quanto em casa, não devem ser frequentes ou prolongadas, pois trazem transtornos para a rotina da mãe e do bebê", explica Regina.

regina reinaldin enfermeira da pastoral da crianca

Regina Reinaldin - Enfermeira da Pastoral da Criança

O período logo após o parto chama-se puerpério, mas também é conhecido como pós-parto ou resguardo. Dura em torno de seis a oito semanas e só termina com o retorno da menstruação. Em nenhuma outra fase da vida acontecem transformações físicas tão grandes em tão curto espaço de tempo, como durante a gestação e o pós-parto. Por isso, logo após o parto, o corpo da mulher precisa de um tempo para se recuperar. Além disso, ocorrem importantes modificações psicológicas. É uma fase bem delicada para a mulher.

A enfermeira da coordenação nacional da Pastoral da Criança, Regina Reinaldin, explica quais são os cuidados necessários neste período.

O que acontece no corpo da mulher no período do pós-parto? Que transformações podem ocorrer nesta época?

O corpo da mulher está voltando ao seu estado normal. O útero regride progressivamente, deixando de ser palpável no abdômen em torno de duas semanas após o parto. Podem ocorrer hemorragias, infecções, febre, não cicatrização dos cortes, dificuldades na eliminação dos lóquios [fragmentos do tecido do interior do útero, muco e sangue] e outras secreções do útero, dificuldade com o aleitamento materno, entre outros.

Que orientações a mulher deve receber no hospital logo após ter ganhado seu bebê? Como deve ser a higiene dessa mãe?

Orientações sobre higiene corporal, aleitamento materno, sinais de alerta e reconsulta. Quando se sentir segura para permanecer em pé, sem se sentir mal, a mãe poderá tomar banho, lavando inclusive os cabelos. Não são necessários cuidados especiais com as mamas das mulheres que amamentam. É importante o uso de absorventes genitais pós-parto e eles devem ser trocados frequentemente.

Regina, gostaria de passar mais alguma orientação sobre o pós-parto?

Gostaria de fazer um alerta: a gestante tem que sair do hospital com todas as anotações sobre o parto no cartão da gestante e levar também, consigo, a caderneta do bebê, em que estão anotadas as condições do nascimento e as vacinas recebidas.

Leia a entrevista na íntegra: 1221 - Entrevista com Regina Reinaldin - Pós-parto (.PDF)

 

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

Programa de Rádio 1221 - 23/02/2015 - Pós-parto

Sul
 
Norte
 

 

Leia também

Importância dos primeiros mil dias de vida