menina coçando a cabeça

Uma das situações que mais chama a atenção quando se fala em piolho e sarna é o desejo que se tem de ocultar o problema. É muito comum se ouvir de uma pessoa de situação econômica elevada, quando um profissional de saúde informa que seu filho tem piolho ou sarna, o seguinte comentário: “Não pode ser. Meu filho não pode ter piolho!”. Isso acontece por quê? Porque convencionou-se pensar que ter piolho e sarna é algo ligado à pobreza ou a falta de higiene e que só atinge uma camada da população, a mais desfavorecida. Nada tão errado, porque todas as crianças podem ter piolho e sarna, até mais de uma vez. É como se diz: Seja rico ou seja pobre, o piolho é um dos parasitas mais democráticos que existem. Associado a isto, vem o preconceito com relação a quem ou a qual lugar poderia ser o foco da transmissão. E o assunto é geralmente encoberto. Ninguém quer falar na escola, por exemplo, que seu filho está com piolhos. Isso é uma pena, pois ajudaria os outros pais e a comunidade a ficarem de olho se há outros casos para tratar e prevenir para que novos aconteçam.

Leia também:
Líder da Pastoral da Criança ajuda família inteira a combater o piolho

Esqueça o preconceito, ajude a prevenir

Tanto a sarna como o piolho podem e devem ser prevenidos. Piolho, por exemplo, não voa nem salta, mas pode estar em pentes, escovas de cabelo, toalhas, toucas, bonés, chapéus, sofás, bichos de pelúcia, almofadas e assim por diante. Com relação à sarna, cuide especialmente da higiene com as roupas.

O mais importante de tudo é o bem-estar da criança. Se ela está com sarna ou piolho, não use remédios que possam comprometer ou agravar ainda mais o problema. Com paciência e medidas simples, é possível tratar e curar a sarna e deixar a criança livre de piolhos.

Para falar sobre este assunto, entrevistamos a enfermeira da Pastoral da Criança, Regina Reinaldin.

regina-reinaldin-enfermeira-da-pastoral-da-crianca

 Regina Reinaldin - Enfermeira da Pastoral da Criança

Como é esse bicho, o piolho? E como age?

O piolho é um parasita, é um inseto que se alimenta de sangue dos animais e dos seres humanos. Tem dois tipos de piolho. Um deles é chamado de piolho do corpo, que vive e põe os seus ovos nas dobras das roupas. O outro tipo de piolho é o piolho da cabeça, que deposita os seus pequeninos ovos junto à raiz dos cabelos. Os piolhos picam a pele e injetam uma pequena quantidade de substância que impede a coagulação do sangue. E sugam até ficarem saciados.

E como é que se transmite o piolho? Existe alguma maneira de evitar que uma criança pegue piolho?

Quando se tem contato com pessoas que tenham piolhos. Compartilhando bonés, chapéus, toalhas, escovas de cabelo ou pentes com alguém que tem o piolho na cabeça. Além dos cuidados com a higiene, na escola, quando surgem os casos de pediculose do coro cabeludo, os professores devem notificar os pais e as crianças que convivem na mesma área, para que sejam tratadas a fim de evitar uma nova manifestação com piolhos.

Enfim, como podemos nos prevenir da sarna, do piolho e outras doenças desse tipo?

São coisas simples, como manter uma boa higiene pessoal, que é uma parte importante na prevenção da sarna. Tomar banho regularmente com sabão e água quente. Manter as mãos e as unhas sempre limpas.

Confira a entrevista na íntegra 1190 - Entrevista com Regina Reinaldin - Piolho e sarna (.PDF)

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

1190 - Piolho e Sarna - 21/07/2014

Sul
 
Norte
 

Ilustração: Bruna Corso; Foto: Marcelo Caldin

Leia também:
Pele saudável é fruto de observação, higiene e cuidados diários
Como matar piolho