cpf meioambiente 2Há alguns meses, a família de Mara Teixeira colhe pimentão, hortelã, tomate cereja, manjericão, mostarda, salsinha, cebolinha, e cada almoço tem sido mais rico e saudável com alimentos vindos do quintal.

Mara, que é líder da Pastoral da Criança na comunidade Nossa Senhora Aparecida, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), assistiu a um programa de televisão e viu uma horta em garrafas pet. Isso serviu de inspiração para que iniciasse uma pesquisa na internet sobre como plantar em sua casa, junto com a experiência de toda vida, com uma infância muito feliz no quintal desta mesma casa - onde tinha abacate, goiaba, banana e ela estendia as roupas pegando uva direto do parreiral. Anos mais tarde, sua sobrinha construiu uma casa no terreno, o que fez com que essa plantação deixasse de existir.

Envolver as crianças e a família toda

Você já teve a experiência de colher uma fruta direto do pé e saboreá-la em seguida? De usar na principal refeição do dia um tempero colhido a poucos metros da sua cozinha? De ver seu filho orgulhoso por colorir o prato com verduras e legumes que ele mesmo semeou, acompanhou o crescimento e recolheu da terra?

Escolher alimentos mais saudáveis para toda a família faz parte da formação de um hábito importante para a saúde. Envolver as crianças nesta escolha desde cedo e incentivar que elas participem do cultivo e do preparo dos alimentos, contribui para o desenvolvimento saudável por toda a vida.

Oportunidades para novos desafios

Em outubro de 2013, Mara saiu da escola onde trabalhava como merendeira e tinha contato com muitas crianças. E também seu cachorro, que cuidava com tanto carinho, morreu. Apesar do sofrimento, Mara passou a ter tempo para se dedicar, por em prática seus conhecimentos com plantas e procurar novas atividades. Passou a ser líder da Pastoral da Criança, envolveu-­se com artesanatos e atividades ligadas à terceira idade, tornando­-se de novo ativa e envolvida com sua comunidade. Vende os artesanatos que produz e expõe nos eventos de Casa Aberta da Pastoral da Criança.

Todos os dias de manhã e à tarde, ela rega suas plantas e gasta para isso cerca de 20 minutos. Relata que água nunca foi um problema. As plantas estão em garrafas pet, vasilhas de plástico e jardineiras. Com a participação da família, vem aprimorando seus conhecimentos sobre separar as mudas para que se desenvolvam melhor. Nos últimos tempos, porém, observaram o aparecimento de pragas na mostarda e estão tentando combatê-­las.

Saiba mais: Passo a passo para fazer uma horta em casa

Dra. Zilda

“Agradeço a Deus porque você tem consciência de que as crianças são o futuro do Brasil e do mundo”.

Papa Francisco

"É necessário encontrar modos para que todos possam se beneficiar dos frutos da terra, não só para evitar que aumente o abismo entre quem mais tem e quem deve se contentar com as migalhas, mas sobretudo, por uma exigência de justiça, equidade e de respeito pelo ser humano”.

Reaproveitar para economizar

Para iniciar o plantio, a líder utilizou terra comprada no mercado, mas percebeu que esta terra não era de boa qualidade e era cara. Então, resolveu criar o seu próprio composto orgânico, misturando a terra do seu quintal com folhas secas, cascas e restos de alimentos em um recipiente de isopor com tampa, forrado com plástico.

Mara recebeu mudas de capim limão e tomate cereja de vizinhos e também doou para a escola e para vizinhos seu manjericão, outros produtos e sementes da horta. Fazendo a secagem das sementes, replantou os tomates e pimentões. Hoje, diz que não precisa mais comprar temperos, pois utiliza do próprio cultivo.

Toda a família é muito envolvida com a horta. Ficam entusiasmados quando notam o crescimento das plantas e mal podem esperar para colhê­-las e consumí­-las. Mara demonstra alegria quando se refere a horta: “É como se eu estivesse embalando um neném”.

 

Mais recentes - Missão