mosquito aedes aegyptO que é a dengue? Como se propaga? O que mais podemos fazer para prevenir essa doença? Todos querem acabar com a dengue, mas isso não é uma tarefa que alguém possa fazer sozinho. Mesmo que uma pessoa tome todas as medidas de precaução, se os vizinhos ou a comunidade não cuidam, essa pessoa ficará igualmente exposta à doença. Por isso, toda ação contra a dengue deve ser conjunta, deve envolver a comunidade, o município.

 Aqui, no site, você vai ficar sabendo sobre os sintomas da dengue, como ela se propaga e as principais medidas de combate aos criadouros do mosquito. Com a informação segura e confiável da Pastoral da Criança, você e sua comunidade poderão agir com mais firmeza e eficácia na prevenção e erradicação dessa doença.

Sobre a dengue

Aprender sobre a dengue é essencial para combatê-la

A dengue é uma das doenças que mais tem impacto na saúde pública. No Brasil, importantes fatores epidemiológicos e socioambientais contribuem decisivamente para a manutenção do mosquito Aedes Aegypti no meio ambiente e a expansão da dengue, com risco de ocorrência de novas epidemias nos próximo anos. 

Um balanço divulgado em abril de 2013, pelo Ministério da Saúde, revelou que 11 estados brasileiros concentravam 74,5% dos casos de dengue notificados nos primeiros três meses daquele ano. De 1º de janeiro a 30 de março (nas 13 primeiras semanas do ano), Rondônia, Acre, Amazonas, Tocantins, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás registraram índices que iam de 304,9 a 3.105 casos da doença por 100 mil habitantes. 

Busdoor dengue

Nas três primeiras semanas de abril, os casos de dengue começaram a diminuir em todas as regiões do país em comparação com o mesmo período do mês de março. Neste ano, o pico da transmissão da dengue ocorreu na primeira semana de março, quando foram registrados 84.122 casos da doença.

Aprender sobre a dengue é essencial para combatê-la. Para isso, é importante saber algumas informações sobre essa doença que todo ano preocupa os brasileiros. Combater a dengue não é tarefa fácil. O controle é bastante complexo, pois vai além do setor da saúde. Somente uma ação conjunta entre poder público, setor privado e população, poderá ser capaz de controlar a doença.

A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, não é transmitida de pessoa para pessoa; o vetor é a fêmea do mosquito Aedes Aegypti, que se infecta ao picar uma pessoa doente. Para a dengue não existe tratamento específico. Diagnosticados alguns sintomas, deve-se procurar imediatamente o serviço de saúde. As pessoas devem fazer repouso e beber muito líquido, inclusive soro caseiro.

É importante também conhecer os sintomas, pois a dengue é uma doença grave e pode matar. A febre é alta e acompanhada de um ou mais sintomas, como dor de cabeça, dor atrás dos olhos, no corpo e nas juntas. A orientação é procurar imediatamente uma unidade de saúde. Após o diagnóstico, se aparecerem sintomas como dor na barriga ou vômito, o retorno à unidade de saúde tem de ser imediato.

Saiba como a Pastoral da Criança faz a prevenção da dengue.

Entrevista com Dr. Sezifredo Paz

 

Sezifredo paz

 Dr. Sezifredo Paz

A cada ano, a dengue vem novamente com toda força, causando mortes e colocando em alerta as autoridades e a população. O Dr. Sezifredo Paz, superintendente em vigilância em saúde da Secretaria de Saúde do estado do Paraná, fala sobre o assunto.

O que é a dengue?

A dengue é uma doença infecciosa, causada por um vírus transmitido por um mosquito, o mosquito da dengue.

Quais são os tipos de dengue?

A dengue clássica, a dengue hemorrágica e também a dengue com complicações. Caracterizam-se pela febre muito intensa, dor no corpo, dor retro-orbital, que é como se a pessoa estivesse com dor atrás dos olhos. Pode aparecer, em alguns casos, dor abdominal forte e hemorragia cutânea nos casos mais graves.

Como acontece a transmissão da dengue?

O mosquito se contamina picando uma pessoa que tenha a doença. Então precisa sempre haver o mosquito da dengue para transmitir a doença. Nunca haverá uma transmissão direta de uma pessoa para outra.

Leia a entrevista na íntegra: 1147 - Entrevista com Dr. Sezifredo Paz - Dengue (.PDF)

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança. Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

Ouça o programa de 15 minutos na íntegra:
1147 - Dengue (SUL)
1147 - Dengue (NORTE)

Previna-se da dengue

Mosquiteiro/rede de proteção

Os inseticida mais usado mundialmente e recomendado pela Organização Mundial de Saúde e ó o Piretróide (Deltametrina). No Brasil a marca mais conhecida é o "K-Othrine" da Bayer.

Como fazer:
Diluir a quantidade recomendada do produto em um balde com 2 a 4 litros de água (colocar 12 ml se for 2 litros de água e 24 ml se forem 4 litros de água). Agitar até formar uma mistura homogênea. Colocar o mosquiteiro/rede de proteção nesta solução por alguns minutos, torcer e deixar secar à sombra. Depois de alguns meses, é necessário repetir o procedimento. Use luvas de borracha para fazer este procedimento.

Caso vá fazer um grande número de redes, é recomendável usar óculos de proteção e máscara respiratória.

Como é praticamente impossível eliminar totalmente o mosquito, é preciso identificar objetos que possam se transformar em criadouros do Aedes Aegypti. Por exemplo, uma bacia ou pneu velho deixado no quintal de uma casa é um risco, porque, com o acúmulo da água da chuva, a fêmea do mosquito poderá depositar os ovos nestes locais. Então, o único modo é limpar e retirar tudo que possa acumular água e oferecer risco.

Em 90% dos casos, o foco do mosquito está nas residências.  Em 45 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas.

O ovo do mosquito da dengue pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado o ovo estiver seco. Caso a área receba água novamente, o ovo ficará ativo e pode atingir a vida adulta em um espaço de tempo entre 2 a 3 dias. Por isso é importante eliminar água e lavar os recipientes com água e sabão.

infografico sobre prevenção da dengue

Infográfico: Bruna Corso
Este infográfico é parte do Jornal da Pastoral da Criança, confira

mulher doente com dor na cabeça

Sintomas da dengue

Dengue clássica

• Febre alta com início súbito.
• Forte dor de cabeça.
• Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos.
• Perda do paladar e apetite.
• Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
• Náuseas e vômitos.
• Tonturas.
• Extremo cansaço.
• Moleza e dor no corpo.
• Muitas dores nos ossos e articulações. 

Dengue hemorrágica

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta:

• Dores abdominais fortes e contínuas.
• Vômitos persistentes.
• Pele pálida, fria e úmida.
• Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
• Manchas vermelhas na pele.
• Sonolência, agitação e confusão mental.
• Sede excessiva e boca seca.
• Pulso rápido e fraco.
• Dificuldade respiratória.
• Perda de consciência. 

Caso tenha algum desses sintomas, procure imediatamente um médico.

Fonte: dengue.org

Imagem cortesia de stockimages / FreeDigitalPhotos.net

Dengue em crianças e gestantes

gestante com crianca abraçando a barrigaDengue em crianças

A dengue na criança pode não apresentar sintomas, apresentando-se como uma síndrome febril clássica viral ou com sinais e sintomas inespecíficos como: apatia, sonolência, recusa de alimentação e de líquidos, vômitos, diarreia ou fezes amolecidas.

Nos menores de dois anos de idade, especialmente em menores de seis meses, sintomas como dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares e dor nas articulações podem manisfestar-se por choro persistente, apatia e irritabilidade, geralmente com ausência de manifestações respiratórias, podendo esses sintomas serem confundidos com outros quadros infecciosos febris, próprios da faixa etária.

Na criança, o início da doença pode passar despercebido e ser identificado o caso somente quando já está em um quadro grave. O agravamento, em geral, é súbito, diferente do que ocorre no adulto, que é gradual, em que os sinais de alarme são mais facilmente detectados.

A criança deve tomar bastante soro caseiro, sucos ou água de coco. Para crianças menores de 2 anos, oferecer um quarto a meio copo de cada vez. Para crianças maiores de 2 anos, meio copo de cada vez. Caso a criança não queira tomar, insistir para que ela o faça. Evitar o uso de refrigerantes e alimentos como beterraba e açaí.

Procure o serviço de saúde assim que notar algum sintoma diferente no seu bebê.

Dengue em gestantes

Pacientes gestantes com dengue devem ser tratadas normalmente, mas necessitam de acompanhamento constante. O médico e a gestante devem estar atentos aos riscos para a mãe e o bebê, principalmente relacionadas ao aumento de sangramentos, especialmente os ginecológicos.

Para o bebê de mãe com dengue, durante a gestação, há maior risco de aborto e baixo peso ao nascer. Por isso, a gestante deve estar muito atenta a qualquer sintoma da dengue, como dor no corpo, febre e dor atrás dos olhos. E procurar o serviço de saúde o quanto antes. 

Em caso de dúvidas, ligue para o Disque Saúde: 0800-611997. A ligação é gratuita de qualquer ponto do Brasil e o serviço funciona 24 horas.

O que você achou desse assunto? Faça um comentário

Imagem cortesia de David Castillo 2 / FreeDigitalPhotos.net

Perguntas frequentes

1) A pessoa que pegar dengue pode morrer? 

A dengue, mesmo na forma clássica, é uma doença séria. Caso a pessoa seja portadora de alguma doença crônica, como problemas cardíacos, devem ser tomados cuidados especiais. No entanto, ela é mais grave quando se apresenta na forma hemorrágica. Nesse caso, quando tratada a tempo, a pessoa não corre risco de morte. 

2) Posso pegar dengue de uma pessoa doente? 

Em hipótese alguma. Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia, nem de fontes de água ou alimento.

3) Existe vacina contra a dengue?

Ainda não, mas a comunidade científica internacional e a brasileira estão trabalhando firme neste propósito. Estimativas indicam que deveremos ter um imunizante contra a dengue em cinco anos. A vacina contra a dengue é mais complexa que as demais. A dengue, com quatro vírus identificados até o momento, é um desafio para os pesquisadores. Será necessário fazer uma combinação de todos os vírus para que se obtenha um imunizante realmente eficaz contra a doença.

Mosquito Aedes Aegypti4) Por que essa doença ocorre no Brasil?

É um sério problema de saúde pública em todo o mundo, especialmente nos países tropicais como o nosso, onde as condições do meio ambiente, aliado a características urbanas, favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes Aegypti. Mais de 100 países em todos os continentes, exceto a Europa, registram a presença do mosquito e casos da doença.

5) O inseticida aplicado para matar o mosquito de dengue funciona mesmo?  E a nebulização (fumacê)?

Sim, os produtos funcionam. Tanto os larvicidas quanto os inseticidas distribuídos aos estados e municípios pela SVS têm eficácia comprovada, sendo preconizados por um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde. 

Os larvicidas servem para matar as larvas do Aedes. São aqueles produtos em pó, ou granulado, que o agente de combate à dengue coloca nos ralos, caixas d'água, ou seja, naqueles lugares onde há água parada que não pode ser eliminada.

Já os inseticidas (fumacê) são líquidos espalhados pelas máquinas de nebulização, que matam os insetos adultos enquanto estão voando, pela manhã e à tarde, porque o Aedes tem hábitos diurnos. O fumacê não é aplicado indiscriminadamente, sendo utilizado somente quando existe a transmissão da doença em surtos ou epidemias. Desse modo, a nebulização pode ser considerada um recurso extremo, porque é utilizada num momento de alta transmissão, quando as ações preventivas de combate à dengue falharam ou não foram adotadas.

6) O que é caso suspeito de dengue?

Considera-se caso suspeito de dengue todo paciente que apresente doença febril aguda, com duração máxima de sete dias, acompanhada de pelo menos dois dos sinais ou sintomas, como cefaleia, dor retro-orbitaria, mialgia, artralgia, prostração ou exantema, associados ou não á presença de sangramentos ou hemorragias, com história epidemiológica positiva, tendo estado nos últimos 15 dias em área com transmissão de dengue ou que tenha a presença do Aedes Aegypti.

Também pode ser considerado caso suspeito a criança proveniente ou residente em área endêmica que apresente quadro febril, sem sinais de localização da doença ou na ausência de sintomas respiratórios. Todo caso suspeito de dengue deve ser notificado.

O que você achou desse assunto? Faça um comentário

Fonte: Ministério da Saúde 

Como a Pastoral da Criança faz

Dra. Zilda

"A dengue é realmente um problema que depende de cada um de nós, porque o mosquito da dengue não sabe se uma vizinha limpou e a outra não, ele vai voando e atacando quem pode. Então, é interessante a gente sempre se reunir com os vizinhos e fazer uma limpeza, para não ter nada de pneu, sapato, balde, ou qualquer coisa com água parada, para que o mosquito não se procrie. Por outro lado, a gente tem que exigir que a prefeitura recolha o lixo e que alguém seja responsabilizado pelos terrenos baldios. Porque não adianta nós nos reunirmos e alguns terrenos descuidados criar mosquitos. 

Papa Francisco

“Hoje as pessoas precisam certamente de palavras, mas sobretudo têm necessidade que testemunhemos a misericórdia, a ternura do Senhor, que aquece o coração, desperta a esperança, atrai para o bem. A alegria de levar a consolação de Deus!”

Ir. Vera Lúcia Altoé

"Olá amigos, a dengue pode ser facilmente prevenida se todas as pessoas cuidarem para que não haja água parada dentro e fora de casa, latas com pouco de água dentro, sem tampa, criando mosquitos. Temos que nos educar e educar também as famílias da prevenção das doenças. Eu gostaria de pedir a todos que também falem com os vizinhos para que todos cuidem. Se uma família cuida e outra não, não adianta, a gente tem que cuidar de toda a comunidade".

Ir. Vera Lúcia Altoé

"Quando vamos de casa em casa, quando estamos na comunidade, procuramos orientar as pessoas e despertar para o grande perigo que a dengue traz para nossa população e para nosso país".

Nossa ação

A Pastoral da Criança, através de seus líderes durante a visita domiciliar, orienta as famílias acompanhadas, a manterem seus quintais bem limpos, sem acúmulo de latas, pneus, garrafas, papeis e outros recipientes que possam acumular água. Os pratos de vasos de flores devem ser removidos, as caixas d'água devem permanecer fechadas com tampa, baldes, bacias, cesto de lixo, etc. 

Os líderes orientam que, em caso de febre, dor de cabeça, dor atrás dos olhos e nas articulações, as famílias devem ir na Unidade de Saúde mais próxima. Não podemos esquecer que o mosquito Aedes Aegypti, mesmo no frio, pode transmitir dengue. Por isso o mosquito deve ser combatido o tempo todo.

Os líderes, através da ação Brinquedos e Brincadeiras, motivam as crianças a não deixarem objetos expostos que possam acumular água e proliferação do mosquito.

Campanha da Fraternidade 2012: A Igreja leva saúde e fraternidade para todos

Nossas histórias

Feira da Saúde na comunidade de Pilão Arcado (BA)

A Pastoral da Criança do ramo Santo Antônio de Pilão Arcado, Setor Juazeiro, Bahia, realizou no dia 12 de novembro de 2011, a terceira Feira da Saúde. O evento foi realizado na Praça Central da Cidade e os líderes da Pastoral da Criança ofereceram aos visitantes orientações sobre diabetes, pressão arterial, palestra sobre gravidez na adolescência, com a enfermeira e líder da Pastoral da Criança, Macileide de Souza. A feira também alertou a população sobre a dengue e as formar de prevenção, como não deixar lixo na rua e água acumulada.

Para a Coordenadora de Ramo, Josenita Santos, a Feira de Saúde foi um sucesso, pois alcançou todas as expectativas e a comunidade participou, “Esse trabalho vem dando certo já há três anos, porque conta com apoio de vários parceiros da Pastoral da Criança”, disse.

Colaboração: João Dias • Comunicador da Pastoral da Criança

Em ação conjunta, Pastoral da Criança visita moradores do Jardim Aeroporto em Aquidauana (MS)

O Jardim Aeroporto, uma das áreas mais precárias do município de Aquidauana, promoveu ação conjunta com diversos profissionais da saúde, para orientação de crianças e mães, moradoras da região. A iniciativa do movimento é da Pastoral da Criança, pertencente à Comunidade Católica de Aquidauana, juntamente com o GESAU (Gerência de Saúde e Saneamento de Aquidauana), FUNASA (Fundação Nacional de Saúde) e o 9° BE Cmb (Batalhão de Engenharia de Combate). Com a chegada do verão, um assunto preocupante para a saúde de Aquidauana são os casos de dengue. Para evitar a proliferação dos mosquitos transmissores, oito agentes participaram da ação realizada no bairro e assistiram junto com o público uma apresentação teatral intitulada "Ensino Arte", exibida pelo ex-agente comunitário Odair e sua equipe. Para a enfermeira responsável pelo GESAU, Andréia Oliveira, “todo tipo de conscientização é importante neste momento, ainda mais no Jardim Aeroporto, que é o bairro com maior registro de casos da dengue".

Saiba mais: Cuidados com a saúde no verão
Saiba mais: Em ação conjunta, Pastoral da Criança visita moradores do Jardim Aeroporto em Aquidauana

 

Histórico de notícias:

Sempre é hora de combater a dengue

Dengue - é fácil combater, só não pode esquecer

Sempre é hora de combater a dengue

Todos juntos no combate da Dengue

Cuidados para prevenir doenças no verão!