1458 relactacao

Foto: Acervo da Pastoral da Criança

Todos sabemos da importância da amamentação exclusiva até pelo menos 6 meses de vida do bebê e da necessidade de reforçarmos essa informação para todas as mães que acompanhamos, pois gera milhões de benefícios para os dois durante toda a vida. No entanto, todos já presenciamos algumas situações em que, alguma mãe precisa parar de amamentar por algum tempo, porque encontrou dificuldades (fissura, empedramento, bebê que chora muito, mastite), porque voltou a trabalhar e precisa adequar os horários, por causa de alguma doença ou acontecimento que tenha que ficar longe do seu bebê ou foi iniciado o uso de outro tipo de leite, por exemplo. Nesses casos, é possível que a mãe que tenha parado de amamentar, volte a dar o peito ao seu bebê, por meio de um processo chamado relactação, que é quando a mãe alimenta o bebê usando outro tipo de leite - como fórmulas (leite de lata), por exemplo, e também o amamenta. Já à translactação é igual a relactação, mas ao invés da fórmula ou o leite humano pasteurizado (que pode ser de outra mãe), utiliza-se o leite ordenhado da própria mãe. Para falar sobre isso, convidamos a Dra. Lisia Schulz Weingaertner, Médica Pediatra e Coordenadora do Serviço de Pediatria do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba, Paraná.

O que é translactação?

É um processo transitório que ajuda a mãe a amamentar através de um complemento, como o próprio leite, ou até mesmo um leite de fórmula. A mãe amamenta com uma sondinha no seio, o bebê recebe esse leite e aprende a mamar e sugar, além de ensinar o cérebro a receber esse aviso de que a mãe precisa produzir leite.

Viva a VidaPrograma de rádio Viva a Vida
1458 - 02/09/2019 - Relactação


Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

Como é feita a relactação?

Pegamos uma sonda de catéter - hoje em dia existem kits prontos, uma ponta da sonda vai no mamilo presa com micropore e na outra ponta fica uma seringa com o leite. Esse leite vai descendo aos poucos até o mamilo e o bebê pode sugar para receber esse alimento.

Qual leite é usado neste método?

Não é indicado o leite de vaca, de cabra ou qualquer outro leite animal. Deve ser o leite da mãe ou de fórmula apropriada para aquela idade.

Em que casos a relactação é indicada e quando é necessária?

Casos em que a mãe não pode amamentar e o bebê precisa ser retirado do seio, como, por exemplo, em casos de mães HIV positivo; de bebê muito prematuro, com baixo peso e que não consegue mamar; bebês que foram adotados e a mãe não produz leite, mas gostaria de amamentar. Nesses casos, inclusive, se a mãe já teve alguma gestação e amamentou anteriormente, ela pode voltar a produzir leite para o novo bebê.

1456 - hortas caseiras

Dra. Lisia Schulz Weingaertner

Por quanto tempo a relactação pode ser feita?

No início até, no máximo, 3 meses, pois é uma situação de transição.

Quais são as chances de uma mulher voltar ou começar a produzir leite?

Geralmente vemos funcionar, a mãe tem que ter persistência para ser possível. Eu diria que a maioria consegue.

Uma mulher que adotou um bebê pode produzir leite?

Se ela já teve uma gestação e já amamentou antes, sim, ela pode produzir leite para o bebê adotado. Temos mais dificuldade com a mãe que nunca teve uma gestação e nunca amamentou.

Leia a entrevista na íntegra: 1458 - Relactação (.PDF)