pasted image 0 1

A Coordenação Nacional tomou conhecimento, por meio de uma notificação enviada ao articulador de saúde, sobre a não entrega de antibiótico no serviço público de saúde quando foi receitado pelo médico.

A mãe disse que precisou comprar o antibiótico devido o atendimento à criança ter acontecido no sábado à noite e ela teria que aguardar até a segunda-feira para ir à farmácia municipal.

Vale destacar que no caso de pneumonia, que é uma infecção respiratória grave, se a criança não receber o tratamento certo e a tempo, pode morrer. Por isso, conforme orientação do Ministério da Saúde, médicos e profissionais de enfermagem devem garantir que a primeira dose de antibiótico seja dada ainda no serviço de saúde e o restante do medicamento deve ser entregue aos pais para a continuidade do tratamento em casa. Também é fundamental instruir a família a darem todas as doses corretamente durante o tempo indicado pelo médico.

Os serviços de pronto atendimento (UPAs) e emergência também devem dar a primeira dose imediata, logo após a consulta. Esta dose é ainda mais necessária se o médico decidir por internar a criança: a primeira dose precisa ser dada antes da transferência para o hospital e, se a criança já estiver no hospital, deve ser dada antes da burocracia de internamento e da criança subir para a enfermaria.

Mais informações podem ser encontradas nos manuais do Ministério da Saúde abaixo:

Manual AIDPI Neonatal

Manual AIDPI Neonatal: quadro de procedimentos

Manual AIDPI Criança: 2 meses a 5 anos

Manual de quadros de procedimentos : Aidpi Criança : 2 meses a 5 anos

Cadernos de Atenção Básica, n.28, vI : Acolhimento à demanda espontânea

Leia mais em: https://www.pastoraldacrianca.org.br/campanha-antibiotico