nelson CFM mar 20192

Dr. Nelson Arns Neumann, Coordenador Internacional da Pastoral da Criança participou, nos dias 19 e 20 de março, na sede do Conselho Federal de Medicina, em Brasília, da reunião da Comissão de Integração de Médicos de Fronteira, que contou com a participação da Dra Silvia Waiãpi, da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e Representante do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Durante a reunião, segundo Dr. Nelson, foi discutido sobre a importância de esforço conjunto entre o Governo e o Conselho Federal de Medicina para combater as doenças negligenciaas, ou seja, àquelas que possuem tratamento e prevenção, mas isso não chega à quem mais precisa. nelson CFM mar 2019 2

Em dezembro de 2017, a Pastoral da Criança recebeu do Ministério da Saúde, durante uma reunião do Conselho Federal de Medicina, a informação de que indígenas, a maioria crianças, estavam sofrendo com infestação de Tungíase (bicho de pé) e solicitou ajuda. A Pastoral da Criança entrou em contato com a CNBB que prontamente convocou uma reunião para tratar o assunto com CIMI, representantes do Ministério da Saúde (área de segurança alimentar e saúde indígena) para estabelecer uma estratégia de intervenção.

O tratamento, embora simples e eficaz, não era possível porque o medicamento, amplamente usado na Europa, não era legalizado no Brasil pela ANVISA. Depois de um trabalho de mobilização e cooperação, conseguimos tratar os Yanomamis graças ao recebimento de 20% do volume necessário da Alemanha, internalizada em "mala diplomática", e o restante manipulado em farmácia de Curitiba. E o efeito, foi fantástico.

A Comissão de Integração de Médicos de Fronteira tem como objetivo: "Garantir aos povos indígenas o acesso à atenção integral à saúde, de acordo com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde, contemplando a diversidade social, cultural, geográfica, histórica e política de modo a favorecer a superação dos fatores que tornam essa população mais vulnerável aos agravos à  saúde de maior magnitude e transcendência entre os brasileiros, reconhecendo a eficácia de sua medicina e o direito desses povos à sua cultura."