asi los vemosVocê sabia que a Pastoral da Criança atua em todos os estados do Brasil e também em outros 17 países? Além disso, participa de ações interinstitucionais para fortalecer sua missão de levar vida em abundância para todas as crianças.

Entre essas ações no âmbito internacional, está a participação no Projeto Centralidad de la Niñez (PCN), composto por três instituições – Pastoral da Criança, Conselho Episcopal Latinoamericano (Celam) e Visão Mundial – que se unem para dar prioridade ao tema da infância. Essa união busca compor uma rede de trabalho para atuar em favor das crianças, contra a pobreza e a desigualdade na América Latina e Caribe. A proposta trabalha na sensibilização e promoção da infância como foco de ação, acompanhamento e compreensão da criança como um ser integral.

CENTRALIDAD

A criança é prioridade

O projeto tem sua base inspiradora no Documento de Aparecida (2007) e teve início quando os participantes identificaram interesses em comum e pontos de encontro nos objetivos relacionados ao desenvolvimento pleno de todas as crianças. “Partindo dessa base, que determina que a criança deve ser prioridade da Igreja, da família e das instituições do Estado, o projeto convoca as três instituições sociais a serem vozes proféticas que clamem pelo desenvolvimento integral da criança”, explica Yomaida Cardona, gerente do rojeto até abril.

O Projeto Centralidad de la Niñez tem três etapas prioritárias: fascinar e mobilizar os parceiros para se vincular ao projeto; articular e escutar as necessidades das conferências episcopais e pastorais; atuar e agregar esforços através de uma rede que trabalha uma agenda conjunta.

Encontros virtuais e presenciais

O projeto conta com uma plataforma virtual que apoia e permite a unificação da rede Ronda de Amor, e também oferece ferramentas para o trabalho e o crescimento desta rede – facilitando, por exemplo, os encontros virtuais (em espanhol) a cada dois meses.

No período de 22 a 26 de março de 2016, em El Salvador, foi realizado o Encontro Sub Regional dos Países da América Central, Haiti e República Dominicana. O tema do evento foi “A pastoral integral da infância: uma proposta de comunhão a partir dos nossos países”. Além de representantes das três instituições desses países, estiveram presentes os parceiros do projeto, Pe. Pedro Hughes (Celam), Dr. Nelson Arns Neumann (Pastoral da Criança Internacional) e Harold Segura (Visão Mundial). Foi um momento para crescer na integração dos distintos países, ver os avanços do projeto e os desafios na temática da criança nas nações participantes, além da criação de agendas de trabalho conjunta para os próximos anos.

No mês de maio de 2016, o tema do encontro foi “A mãe gestante e a primeira infância”. A reflexão, realizada no dia 22, teve como motivação as experiências da Pastoral da Criança e da Visão Mundial na República Dominicana. O terceiro encontro aconteceu no dia 29 de agosto, com a fala de Javier Quesada, da Cáritas Argentina, sobre o projeto "Mochileiros pela infância". Em 26 de setembro, Álvaro Borjas, da Visão Mundial de Honduras, realizou a apresentação intitulada "Fazendo incidência a partir da ternura". No dia 28 de outubro, foi a vez de Marlene Arroyo, da Visão Mundial Peru, expor sobre a Campanha Pacto de Ternura. 17 de novembro foi a data de Mónica Ramirez, da Visão Mundial Guatemala, com o tema "Suba no ônibus da ternura". E em dezembro, Heydi Arévalo, da Visão Mundial Colombia, falou sobre "O florescimento das emoções".

Os encontros acontecem às 10h do Panamá, que correspondem às 12h do horário de Brasília, no Brasil (ou 13h, se estiver vigente o horário de verão). O idioma das apresentações é o espanhol. Para participar dos próximos, é preciso apenas enviar um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Confira a programação de 2017:

  • 14 de março - "Así los vemos: un análisis socio-juridico de la categoria niñez" (Assim os vemos: uma análise socio-jurídica da categoria infância) - Dr. Isaac Revetllat Ballesté, pesquisador e professor, que atualmente é subdirector do Centro de Estudios sobre Direitos da Criança e do Adolescente (CEDIA) da Universidade da Talca (Chile) e Secretário da Associação para a Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (ADDIA).

Boletim

Para registrar e divulgar as atividades do projeto, há um boletim virtual. Confira a última edição (em espanhol).