O calor do verão traz alguns perigos para a saúde das pessoas, especialmente das crianças e idosos. Os líderes da Pastoral da Criança orientam as famílias para tomar mais água, ficar longe do sol forte e de lugares com esgoto, lixo e alagamentos.

O preparo dos alimentos precisa sempre ser acompanhado de higiene, principalmente das mãos. Junto com a limpeza deve-se cuidar para que o calor do ambiente não estrague os alimentos e cause intoxicação alimentar.

 

A dengue é uma doença que fica mais séria no verão. Quantas vezes você já ouviu falar que todo tipo de recipiente que acumula água pode ser criadouro do mosquito da dengue? A mensagem é clara: não deixe o lixo, vasos de flores, material para reciclagem, pneus velhos, pias e reservatório ficarem com água depositada. É nesses lugares que o mosquito nasce.

Agora não basta ouvir esta informação. É preciso se envolver. Comece em sua casa e converse com os vizinhos. Essa doença pode matar e só será vencida com a solidariedade e organização.

Nas regiões mais secas, a poeira pode contribuir para o aumento de infecções respiratórias, como a pneumonia. Se a criança não receber o tratamento certo e a tempo, pode morrer. A pneumonia é mais perigosa nos bebês: com menos de dois meses de idade; que nasceram com menos de dois quilos e meio; que não mamam no peito; que estão desnutridos; que não estão com as vacinas em dia.

Uma criança com infecção respiratória aguda, medicada com antibiótico, deve receber a primeira dose do remédio na própria Unidade Básica de Saúde (UBS), e todas as outras doses corretamente em casa. Converse com o Articulador da Pastoral da Criança junto ao Conselho de Saúde sobre este assunto.

O soro caseiro é uma boa alternativa para evitar as doenças de verão, pois além de prevenir a desidratação, também ajuda a tratar a diarreia e outros problemas que aparecem com o calor. Veja aqui como preparar o soro caseiro

 

alt