A casa de Marinalva Ferreira Carvalho – localizada na Vila Mariana, periferia de São Luís (MA) – está prestes a comemorar o nascimento de um bebê. Sua nora, Jéssica Maria da Silva Costa, de 21 anos, acaba de completar 9 meses de gestação. “Amanhã é a última consulta do pré-natal. Tem tudo para ser um parto normal”, contou a gestante, durante visita domiciliar realizada por líderes da Pastoral da Criança, no dia 12 de agosto.

Sao luiz 2

 Jéssica, aos nove meses, prestes a ganhar o primeiro filho.

Como a atuação da Pastoral nessa comunidade ainda é recente, Jéssica passou a ser acompanhada já no final da gestação. Recebeu os laços de amor e orientações sobre os primeiros mil dias de vida da criança, entre outros cuidados. Ela e a família demonstraram muita consciência sobre a importância do pré-natal, encaminhando a gestação de maneira saudável.

A irmã de Marinalva, Antonia Maria Carvalho Souza, também participa da Pastoral da Criança, no interior do município de São Bernardo (MA), a 370 Km da capital. É líder há aproximadamente dois anos e, mesmo à distância, incentivou a família nos cuidados com o bebê que vai nascer.

Líderes incentivam a realização do pré-natal

Sao luiz 1

 Novas líderes da Vila Mariana (Tânia, Ir. Telma e Rosilene), em São Luís (MA), orientam a gestante Gleiseleia.

Conforme explica a enfermeira Regina Reinaldin, o pré-natal é “uma assistência na área da saúde, prestada para a gestante durante os nove meses de gravidez”. Partindo dessa definição, pode-se dizer que o serviço das líderes da Pastoral da Criança nas comunidades está diretamente relacionado ao pré-natal. E mais, além de orientações de saúde, envolve um acompanhamento emocional, de formação da cidadania, valorização de direitos, compreensão e, principalmente, muito amor.

“Você pensa que lida só com a criança, mas lida com a família como um todo. Com a mãe, com o pai, com a avó. A gente vira um pouco de tudo, às vezes até “psicóloga””, analisa Tânia Maria de Carvalho Lobão de Abreu, líder recém-capacitada e coordenadora na Paróquia de Santa Terezinha, na periferia de São Luís (MA).

“Quando eu tive certeza que estava grávida, já estava com 5 meses. Aí não tive coragem de ir ao médico”, relata Gleiseleia Correia Morais – moradora da Vila Mariana que, aos 19 anos, está prestes a ganhar o segundo filho, Henrique Gabriel. Na primeira gestação, Gleise teve complicações que quase a fizeram perder Ana Beatriz, hoje com 2 anos. Mesmo assim, sentiu medo de realizar o pré-natal completo durante a gravidez atual, indo em apenas uma consulta das seis que são de direito de toda gestante.

Saiba: Exames da gestante

Dra. Zilda

“Reconhecendo e desenvolvendo a sua capacidade de amor e, portanto, de transformação, a Pastoral da Criança deposita na mulher a confiança da mudança e que ela seja a grande agente de sua promoção e da sua família”.

Papa Francisco

“Peçamos ao Espírito Santo a graça de realizarmos as opções concretas na nossa vida de acordo com a lógica de Jesus e do seu Evangelho”.

Tânia, Rosilene de Jesus Ribeiro e Irmã Telma Pereira Santos conversaram com essa gestante e entregaram os laços de amor para explicar como o pré-natal é necessário e incentivar que a mãe não tivesse vergonha de ir ao serviço de saúde, nem de tirar dúvidas com as líderes. Assumiram também o compromisso de acompanhar mais de perto essa criança que está chegando.

Pastoral da Criança: novidade na Paróquia Santa Terezinha, em São Luís (MA)

Essas mulheres, com o apoio de Polyanna Albuquerque na paróquia matriz, fazem parte de um grupo de 15 pessoas que terminaram a capacitação no Guia do Líder no último mês e estão dando início à Pastoral da Criança em sete comunidades da capital maranhense – Santa Terezinha, Santo Antônio, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora da Penha, Nossa Senhora das Vitórias, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Vila Mariana. 

Em todo o Brasil e em outros países, ainda existem muitas mães que não fazem o pré-natal, seja por falta de informação, por medo ou vergonha, dificuldade de acesso ao serviço de saúde, entre outros motivos. Por isso, Ir. Telma acredita que começar a Pastoral da Criança nessas comunidades de São Luís é uma maneira de valorizar a vida, servir ao próximo e comemorar os 10 anos da Paróquia matriz. Esse é um exemplo para ser levado a cada vez mais lugares, com o compromisso de zelar pela saúde das crianças, desde o ventre materno.

Foto: São Luiz

 

Mais recentes - Missão