Quem já não disse ou ouviu a frase: "Ano Novo, vida nova"? A cada início de ano, novas promessas e juras acontecem. Alguns determinam para si grandes desafios, outros estabelecem metas de mudança ou melhoria para o ano que começa. No entusiasmo do barulho dos fogos de artifício, os pensamentos voam e alguns até arriscam se propor uma espécie de "ruptura" com o passado - o ano velho - para criar um novo futuro.

 Contudo, em boa parte dos casos, é possível observar que passado o entusiasmo inicial, a rotina volta com a sua normalidade e a vida continua... nem velha, nem nova, apenas vida, que é a vida de cada um, com seus altos e baixos, com momentos de alegria, de tristeza, com desafios, com derrotas, mas também com vitórias. E esse presente, que é a vida, não deve estar preso à passagem de uma data de um calendário, mas deve renovar-se sempre, cotidianamente, na vivência da esperança, da alegria, da solidariedade e do amor "que faz novas todas as coisas" (cf. Apocalipse 21, 5).

"Comece o ano com fé e otimismo, cuide bem de você e de todos ao seu redor, ame cada vez mais a sua família, os seus amigos, a sua comunidade", orienta Padre André.

Padre andre

Padre André Biernaski

Ano vai, ano vem e, muitas vezes, o tempo vai simplesmente passando como areia que escorre por entre os dedos de nossas mãos. A época da virada é quase sempre marcada por certa reflexão. É quando damos uma última olhada para o ano que passou e, ao mesmo tempo, nos abrimos esperançosos para os dias que virão. Como se o simples fato de trocarmos nosso velho calendário por um novo pudesse nos tornar pessoas diferentes, melhores, mais felizes talvez. Para conversar sobre isso, o entrevistado da semana é o Padre André Biernaski, reitor do Seminário Rainha dos Apóstolos, da Arquidiocese de Curitiba (PR).

Como podemos fazer uma avaliação deste ano que se foi?

Teríamos até muitas avaliações no sentido mais civil, com vários acontecimentos muito interessantes. Copa, eleições, guerras, doenças, ebola, enfim... Mas, no meio disso, temos muitos acontecimentos bons referentes à paz, tanta gente se dedicando com amor. Eu gostaria também de dizer que, no começo de 2014, desejei algumas coisas: amor, paz, alegria e união. Agora eu preciso começar a ver se eu de fato fiz acontecer um pouco na minha dimensão.

O lema da Pastoral da Criança ("Para que todas as crianças tenham vida") é um desejo que se renova em 2015. De que forma nós podemos fazer isso?

O único desejo que eu tenho é que todos estes que trabalham nessa Pastoral, ou que se doam para que especialmente as crianças tenham vida, que tenham a benção e a graça de Deus de não abandonar isso. Eu chamo isso de teimosia das pessoas. E essa teimosia é essencial, que não é teimoso no sentido do orgulho, do egoísmo, do fechamento. Mas, teimoso para a vida, para acreditar no pequeno, naquela ação que parece que não faz efeito. Então, eu desejo uma santa teimosia para o ano de 2015.

Padre André, qual é a sua mensagem de Ano Novo?

Comece o ano com fé e otimismo, cuide bem de você e de todos ao seu redor, ame cada vez mais a sua família, os seus amigos, a sua comunidade, pois cada segundo assim como esse será precioso. E confie tudo no Senhor, porque as suas bençãos confortarão a sua alma. A vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus. Feliz Ano Novo!

Leia na íntegra: 1213 - Entrevista com Padre André Biernaski - Ano Novo (.PDF)

Leia também