Líderes orando juntas

Foto: Marcello Caldin

O Dia Mundial de Oração e Ação pela Criança, acontece anualmente no dia 20 de novembro e tem como objetivo reunir a comunidade e as mais diversas tradições religiosas para enfrentar as situações, entre elas a violência, que afetam as crianças mais vulneráveis.

Essa data foi instituída durante o 3º Fórum Mundial da Rede Rede Global de Religiões pela Criança (GNRC), realizado na cidade de Hiroshima, no Japão, em maio de 2008. A proposta agora, é realizar orações e ações pela defesa dos direitos e a promoção do bem estar das crianças de nossas comunidades durante todo o ano.

Para conhecermos mais sobre o Dia de Oração e Ação pela Criança, conversamos com Ednilson Cunico, assessor técnico da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança.

Qual é a importância da união das diversas tradições religiosas nessa causa comum, que é construir um mundo melhor para meninos e meninas e acabar com as várias formas de violência contra as crianças?

ednilson cunico

 Ednilson Cunico

A sociedade de uma forma geral, tem percebido que uma andorinha só não faz o verão. Existe  um certo individualismo em nossas ações e isso tem trazido muitos prejuízos para as vidas das pessoas. Em consequência, temos um alto índice de casos de depressão, pessoas que entram no mundo das drogas cada vez mais cedo e tantas outras formas de violência. Para amenizar esses problemas que tanto mal causam a vida humana, precisamos despertar a solidariedade e a união entre as pessoas, essas são as condições para que alcancemos a vida plena em todos os sentidos. Então, temos essa iniciativa da Rede Global das Religiões pela Criança, em que várias tradições religiosas procuram trazer uma mensagem de paz, de união, que nos aproximam para pensarmos juntos de como fazer para que nossas crianças já cresçam em um ambiente favorável, fraterno e que percebam que precisamos um do outro para uma vida saudável.

De que maneira as comunidades se envolvem no Dia de Oração e Ação pela Criança?

Nós podemos chamar os diversos grupos, pastorais, associações, entidades e realizar rodas de conversa que abordem quais seriam os tipos de problemas que temos em nossas comunidades. É importante que depois dessa atividade possamos sair com o mínimo de duas tarefas concretas  e que cada grupo assuma a responsabilidade de acabar com todas as formas de violência contra as crianças.

Lembramos também, que cada comunidade, no dia da Celebração da Vida, já realiza as atividades que tem esse objetivo, por exemplo: quando o brincador ou o brinquedista organiza a brincadeira com as crianças e com os pais, ele já está promovendo uma cultura de paz. Por isso, acreditamos que essa ação além de favorecer o desenvolvimento integral das crianças, favorece também o encontro e a interação entre as pessoas.

Como esse dia de oração com a criança e pela criança pode contribuir para uma mudança de comportamento na sociedade e na família em relação a proteção das crianças?

Nós partilhamos a convicção de que todos somos responsáveis por todas as crianças do mundo. Por isso, cada um de nós tem essa responsabilidade na educação das crianças, devemos começar pela nossa família e depois de forma coletiva em nossa comunidade. Queremos que as futuras gerações possam encontrar um mundo com mais união e fraternidade, sem guerras e sem violência.

Leia a entrevista na íntegra: 1363 - Entrevista com Ednilson Cunico - Oração e Ação pela Criança (.PDF)

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra:
1363 - Oração e Ação pela Criança (SUL)
1363 - Oração e Ação pela Criança (NORTE)



Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades

E-mail:*