No final de 2016, a revista científica The Lancet, uma das principais e mais conceituadas do mundo, publicou uma série de estudos sobre o desenvolvimento infantil. Ela trouxe as descobertas mais recentes sobre o assunto e destacou a importância da atenção integral às crianças como forma de melhorar o futuro de um país. Neste texto, vamos entender como podemos contribuir e colocar em prática as evidências destacadas pelos estudos.


O que há de novo em desenvolvimento infantil?

Foco nos cuidados deve ser na primeira infância – da concepção até os 3 anos

É nessa fase que o cérebro humano se desenvolve e responde mais rápido a qualquer estímulo. Essa é também, a fase mais sensível aos fatores de risco, ou seja, qualquer problema que ocorrer, pode gerar repercussões para o resto da vida da criança.

Resultados mais precisos das consequências do atraso no desenvolvimento 

- Tanto a baixa escolaridade materna quanto maus tratos à criança comprometem o desenvolvimento infantil.

- A pobreza e a desnutrição agravam ainda mais situação, podendo gerar consequências irreversíveis para a criança.

- Quanto maior o número de fatores de risco (pobreza, desnutrição, maus tratos, baixa escolaridade materna), maior a gravidade do impacto.

- Crianças em países de renda baixa e média estão expostas a um maior número de risco.

Necessidade de cuidado integral e integrado

Cuidado integral e integrado engloba todos os elementos essenciais para que a criança cresça física, mental e socialmente: nutrição, atenção à saúde, ambiente seguro e protetor, cuidado responsivo, oportunidades de aprendizagem e redução dos efeitos prejudiciais às estruturas e funções cerebrais.

O custo da falta de cuidados adequados no início da vida

A falta de cuidados no início da vida pode gerar problemas de saúde, nutrição e aprendizagem inadequada, o que pode resultar em baixos salários na vida adulta, bem como em problemas sociais.

Intervenções baseadas em evidências para melhorar o desenvolvimento infantil.

Os estudos apresentam diversos exemplos de atuação que contribuem efetivamente para o desenvolvimento das crianças e que englobam diferentes aspectos:

- Intervenções na área da saúde e da nutrição apresentam benefícios adicionais para o desenvolvimento e crescimento das crianças, assim como para reduzir as doenças.
- Conjunto de medidas de apoio e fortalecimento familiar: acesso a serviços de qualidade (cuidados pré-natal, vacinas, nutrição); fortalecimento familiar (cuidados e atenção ao desenvolvimento com estímulos adequados, redução de disciplina rígida, aumento da capacidade de cuidar de maneira sensível às necessidades dos filhos); e apoio (proteção social, proteção da saúde física e mental dos pais e de seu bem-estar, redes de segurança e políticas de apoio às famílias).
- Pacote de aprendizagem precoce e proteção: ambiente adequado em creches e centros de educação infantil, estimulação da capacidade de professores e cuidadores. A ênfase está na qualidade e apoio familiar por meio do empoderamento dos pais, orientações sobre nutrição e cuidados e proteção à criança.


Saiba mais no site da Pastoral da Criança: https://www.pastoraldacrianca.org.br/desenvolvimento-infantil

Você está aqui: