1402 saneamento basico entrevista

Foto: Acervo da Pastoral da Criança

O saneamento básico garante saúde e vida com dignidade para as famílias e comunidades. A falta de saneamento básico pode trazer complicações na saúde de crianças e gestantes, por isso é importante exigir esse direito. Para falar sobre isso, chamamos o Dr. Halim Girade, que trabalhou no Unicef por 18 anos, foi Secretário de Saúde do Estado de Goiás por duas vezes e Secretário Nacional de Desenvolvimento Humano do Ministério do Desenvolvimento Social. Confira:

Dr. Halim, como a falta de saneamento básico afeta a vida das pessoas, principalmente das crianças?


Viva a VidaPrograma de rádio Viva a Vida
1402 - Saneamento básico - 13/08/2018




Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra


Sul

A falta de saneamento básico é extremamente grave. Saneamento básico trabalha com a questão do lixo, coleta do lixo, com esgotamento sanitário, esgoto e água limpa, e ter essas coisas tratadas significa qualidade de vida. Quando não se tem um desses elementos, os seres humanos serão atingidos, nós temos alguns estudos que mostram que de 40 a 60% de internações de crianças tem alguma relação com a falta de saneamento básico.

Halim, por que a falta de saneamento básico parece ser um problema de ninguém?

Em realidade, o saneamento básico é um problema de todos nós, mas a responsabilidade de resolver isso está nas mãos daqueles que detêm o poder de presidência da república, governadores e prefeitos.

E na sua opinião Dr. Halim, o que um município pode fazer para resolver a questão do saneamento básico?

1402 saneamento basico halim girade

 Halim Girade

Algumas coisas os municípios podem fazer, sim, no entanto, o que os municípios recebem não é muito, não. Eles precisam de apoio dos Estados e apoio do Governo Federal. Uma forma de tentar resolver a questão do lixo são os consórcios, os municípios se consorciam para fazer aterro sanitário e isso é uma forma de fazer com que o município tenha os recursos necessários, que são muitos. Não é fácil trabalhar essa questão do saneamento básico. Mas dessa forma os recursos podem ser distribuídos e diluídos um pouco mais entre todos, onde todos os municípios possam entrar com um pouquinho para resolver um problema comum. Grupos de municípios que se reúnem para fazer um aterro sanitário em determinado local, grupos de municípios também que se reúnem para reivindicar recursos junto aos governos estaduais e ao governo federal. Se o prefeito consegue fazer um planejamento adequado, alguma coisa dá pra avançar, sim.

Leia a entrevista na íntegra: 1402 - Entrevista - Saneamento básico (.PDF)