nota 100 ternura
Equipe que participou do encontro para o planejamento da campanha, incluindo (à esquerda) dois representantes do Unicef do México, que demonstraram apoio à campanha

Depois de alguns dias intensos de trabalho na Cidade do México, na sede da Pastoral Social - Cáritas, entre os dias 2 e 4 de maio, o Departamento de Justiça e Solidariedade do Conselho Episcopal Latino-Americano (Dejusol/Celam), a World Vision, a Pastoral da Criança Internacional e a Cáritas da América Latina e Caribe, por meio do projeto Centralidad de la Niñez (PCN), empreenderam com o desenvolvimento da campanha continental "Zero violência, 100% ternura”.

Elvy Monzant, secretário executivo do Dejusol/Celam, explicou que esta campanha continental buscará visibilizar as diversas formas de violência que ameaçam a vida e a dignidade das crianças na América Latina e Caribe e promover a ternura como um modelo de criação e formação para a vida plena das crianças.

"Vamos pensar em todas as nossas crianças, para que não nos dediquemos somente àquelas que estão entre nossas paredes; pensar naquelas crianças que neste momento estão nas ruas mendigando, aquelas que estão sendo abusadas laboral ou sexualmente, que estão sendo maltratadas. São elas que nos convocam, ainda mais pela chave que o Evangelho de Mateus nos apresenta: 'quando eles fizeram isso com um destes pequeninos, a mim o fizeram'. Portanto, ao chamar essas crianças, estamos convocando a presença de Jesus”, afirmou Monzant.

Por suas reconhecidas contribuições para o modelo de criação com ternura, Anna Grellert, da World Vision, como consultora, apresentou várias estratégias para o desenvolvimento do conteúdo da campanha e enfatizou a importância de abordar a ternura como um modelo de criação em todos os níveis da infância, isso como uma maneira inclusiva de tratar do fenômeno da violência de forma mais integral. Grellert apresenta a ternura em contraposição aos modelos de relacionamento centrados na dominação, na violência e em castigos físicos, para gerar novas relações fraternas, solidárias, justas e baseadas no amor.

 Ternura Mexico
Reunião na sede da Pastoral Social - Cáritas Mexicana

Por parte da equipe de parceiros, neste encontro realizado no México, estavam: Anna Grellert, assessora regional na área de desenvolvimento da infância, da World Vision da América Latina e do Caribe; Elvy Monzant, secretário executivo do Dejusol/Celam; Maria Victoria Acevedo, secretária adjunta do Dejusol/Celam; Silvia Correa, da área de relacionamento com igrejas e compromisso cristão, da World Vision México; e Rosario Tapiero, gerente geral do PCN.

Como membros do Conselho de Comunicação estavam: Thaís Mocelin, jornalista do Núcleo de Comunicação da Pastoral da Criança, do Brasil; Victor Marinez, comunicador da World Vision do México; Adalid Zelada, World Vison de El Salvador; Angel Morillo, gestor de comunidade/webmaster do PCN; e Alberto Arciniega, diretor de comunicação da Cáritas Mexicana e representante do Secretariado Latinoamericano e do Caribe de Cáritas (SELACC) nesta área.

A campanha

O público-alvo para o qual a campanha será dirigida inclui famílias, escolas e igrejas. O eixo central da mensagem vai se concentrar em três aspectos: famílias com ternura, escolas com ternura e igrejas com ternura.

A campanha terá a duração de três anos, em 17 países da América Latina e do Caribe, onde pretende envolver importantes organizações que trabalham com a infância, bem como os grandes meios de comunicação. A campanha busca gerar ações de mobilização, mudanças de atitude. E, como apontou Thaís Mocelin, "criar as condições, como temos feito a partir da Pastoral da Criança no Brasil, para incidir sobre as políticas públicas relacionadas à infância".

Para Alberto Arciniega, do SELACC, a campanha vai servir para mobilizar o compromisso das diversas Pastorais Sociais - Cáritas na América Latina e no Caribe, a favor da vida e da dignidade das crianças e, assim, contribuir para a gestação de uma sociedade nova, mais justa e pacífica.

Dra. Zilda

“Tem uma luz que vem de dentro. Essa luz ilumina o caminho e faz com que, aos poucos, todas as pessoas enxerguem bem longe, e avistem como se fosse bem perto, um mundo onde todos se dão bem, sem violência, onde todos são respeitados e a paz para todos ocupa o primeiro lugar”.

Papa Francisco

“Onde reinam a violência e o ódio, os cristãos são chamados a dar testemunho de Deus, que é Amor”

Um caminho em várias etapas

A primeira etapa da campanha focará na sensibilização e na comunicação. Tem-se projetado um lançamento formal em Bogotá, no início da Quaresma de 2017, e, em seguida, continuarão as apresentações nos diferentes países do continente que se somam a esta iniciativa em defesa das crianças. Também no primeiro ano, se desenvolverão workshops sobre criação com ternura para famílias, escolas e igrejas.

Outra ação importante é a assinatura do "Pacto da Ternura", por meio do qual mães, pais, educadores e líderes religiosos se comprometerão a assumir práticas específicas que deixem para trás a violência contra as crianças e tornem possível a criação com ternura. Espera-se a assinatura de 3 milhões de pessoas.

Serão produzidos materiais para televisão, rádio, reportagens para meios impressos e uma intensa campanha nas mídias sociais. Para esta missão, serão feitas parcerias com redes de televisão e outros meios de comunicação de impacto continental, bem como artistas e atletas, que apoiarão com sua imagem e suas mídias sociais a campanha contra a violência infantil.

2018 será o ano da mobilização. Está sendo planejado, para o mês de junho, um festival de curtas-metragens sobre a ternura, previsto para acontecer em Lima, Peru. Amadores e profissionais serão os principais convidados para sensibilizar a sociedade por meio da sétima arte. “Esta será uma festa de encontro, de participação. A ideia não é competir, mas nos encontrarmos no abraço coletivo e divulgar o trabalho de cineastas nessas áreas", explicou Grellert. Embora o Festival vise o encontro, os melhores trabalhos serão reconhecidos. "Todo criador encontra na divulgação do seu trabalho o melhor prêmio, também no reconhecimento por parte do público", disse Victor Martinez, da World Vision.

Finalmente, para 2019, terá uma ação de amor pela infância, que consiste em uma caminhada continental, que foi batizada pela equipe como "Huellas de la Ternura" (“Pegadas da Ternura”). Esta mobilização continental, imitando a passagem da tocha olímpica, visa sensibilizar os governos e as sociedades sobre o tema. Partirá do Canadá no dia 4 de junho de 2018, para chegar em junho 2019 no Chile, como a culminação de uma ação comum, inspirada na dignidade dos pequenos.

O desafio da equipe do PCN e seus parceiros é, certamente, enorme, mas pelas crianças essas ações de amor valerão a pena, pois neles se aposta o futuro da sociedade. É uma ação de amor que encontrará ecos em muitas partes do continente.