1243 CPF SMAM20152Você conhece algum alimento que contém todos os nutrientes necessários para a sua saúde e ainda tem anticorpos que protegem contra doenças? Os líderes da Pastoral da Criança, com certeza, responderiam essa pergunta rápida e facilmente: o leite materno. “Nenhum outro alimento teria todos os nutrientes que o leite materno oferece”, lembra a nutricionista da coordenação nacional da Pastoral da Criança, Caroline Dalabona. O leite deve ser a única opção de alimentação para as crianças até os 6 meses, sem água, chá ou outro tipo de alimentos.

Segundo a coordenadora da Pastoral da Criança na Diocese de Bom Jesus da Lapa, Bahia, Irmã Maria Wojakevicz, as mães que amamentam seus filhos exclusivamente com leite materno até os 6 meses, relatam que é possível perceber uma “diferença muito grande” entre essas crianças e filhos anteriores, que não receberam o aleitamento exclusivo no período. Segundo ela, o fortalecimento do vínculo entre mãe e filho é um dos aspectos positivos relatado pelas mães acompanhadas. “[As crianças] são mais saudáveis, alegres, tranquilas e muito carinhosas com a mãe, mesmo depois do desmame", conta.

Orientação para amamentar melhor

Os líderes da Pastoral da Criança têm mostrado às mães as vantagens do aleitamento materno para o bebê, como a prevenção de doenças e lembrá-las sempre que o leite materno tem todos os nutrientes necessários para um desenvolvimento saudável da criança. O resultado deste trabalho tem mostrado índices satisfatórios e vem crescendo consideravelmente. Em 2014, 70,3% das mães acompanhadas pela Pastoral amamentavam seus filhos até os seis meses exclusivamente com leite materno. Em 2010 este índice era de 67,5%. E em 2006, quando a Organização Mundial de Saúde (OMS) fez uma pesquisa para saber esses números pelo mundo, no Brasil o indicador era de 37%, enquanto no mesmo período, entre as acompanhadas pela Pastoral da Criança chegava a 57,3%.

Dra. Zilda

“A natureza é tão sábia que fez o leite de peito, que deve ser a alimentação exclusiva nos seis primeiros meses, porque ele defende a criança de muitas doenças e alergias. O carinho que a mãe faz no bebê aumenta a capacidade dele amar e se dar melhor com as pessoas para o resto da sua vida”.

Papa Francisco

“A entrega, a verdadeira entrega nasce do amor pelos homens e mulheres, crianças e idosos, vilarejos e comunidades... Rostos e nomes que enchem o coração”.

Mas por que quase 30% das mães acompanhadas não tem o leite como único alimento de seus filhos? “Muitas vezes, as mães dizem que não é muito importante porque elas não mamaram até os seis meses, então porque o filho dela teria que mamar?”, esclarece Alba Lúcia Rodrigues, nova coordenadora da Pastoral da Criança na Diocese de Juazeiro, Bahia. Para ela, que também é capacitadora nas ações da Pastoral, é nesse momento que é possível perceber se os líderes foram bem preparados. Para orientar as mães da maneira correta, os voluntários precisam analisar a situação da família, compreender suas dificuldades, mas garantir a saúde da criança. “Tem que ter o jogo de cintura: dizer para elas – as mães – que muita coisa mudou. Por exemplo, antigamente não existiam essas orientações que temos hoje quanto à amamentação, aos 1000 dias, à gestação, às vacinas...”, exemplifica.

Mais recentes - Missão