hortas-caseirasPrezado líder, a maioria dos alimentos que consumimos todos os dias é produzido em propriedades pequenas, por famílias que tiram da terra o seu sustento. Parte dos alimentos é vendido diretamente pelos agricultores nas feiras e praças, outra parte vai para os supermercados.

Em muitos países a produção de alimentos é parecida com a do Brasil. Nas nossas cidades a segurança alimentar e nutricional das pessoas depende dos pequenos produtores. Com o objetivo de valorizar o trabalho da família no campo, nas florestas, quilombos e áreas indígenas, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou que 2014 é o Ano Internacional da Agricultura Familiar.

Os países devem promover neste ano iniciativas para que os pequenos agricultores possam produzir alimentos cada vez mais saudáveis. O consumo deses alimentos tem impacto na nossa saúde. Existem pesquisas que comprovam que comer alimentos saudáveis, como frutas, verduras e legumes, previne diversas doenças, dentre elas o câncer. A Organização Mundial da Saúde (2003) recomendou a ingestão de, no mínimo, 400 gramas por dia destes alimentos para ajudar na prevenção do câncer. O Guia alimentar para a população brasileira (2006), do Ministério da Saúde, orienta que o aumento do consumo de frutas, verduras e legumes melhora a saúde e previne doenças crônicas como diabetes e pressão alta.

Às vezes, as pessoas ficam em dúvida sobre a qualidade dos alimentos. Uma das preocupações é com o uso de agrotóxicos. Algumas pesquisas apontam que diante desta dúvida ainda é melhor consumir estes alimentos, mesmo com agrotóxicos, do que não consumi-los. Não defendemos o uso de agrotóxicos. O melhor é ter alimento sem agrotóxico. O que destacamos é que na imensa maioria existe uma quantidade de baixa de agrotóxico nos alimentos, e que por isso podemos consumir.

"Comer alimentos saudáveis pode prevenir o câncer"

Neste ano da Agricultura Familiar é preciso pensar como proteger as pessoas que trabalham com os agrotóxicos. Elas são os maiores prejudicados pelo uso de agrotóxicos nas lavouras. As pessoas que aplicam ou manuseiam ficam expostos diretamente aos produtos químicos e a contaminação pode ocorrer pelo contato com a pele ou por via respiratória, principalmente quando não usam os equipamentos de proteção. As conseqüências são graves e os casos de câncer são comuns nesta população.

A Pastoral da Criança incentiva o cultivo de hortas caseiras. Centenas de líderes e famílias acompanhadas colhem na horta parte do que vai para a mesa. Além de promover as hortas, a Pastoral da Criança orienta que os alimentos para o consumo devem ser de qualidade. Os conselhos de saúde e de segurança alimentar dos municípios precisam acompanhar como é feita a vigilância dos alimentos. Com isso, podemos contribuir para mellhorar a saúde de quem consome e de quem produz o alimento.

Clóvis Boufleur
Gestor de Relações Institucionais.

 

Mais recentes - Missão