"Para que todas as crianças tenham vida em abundância"

(Cf. Jo 10, 10).

A missão da Pastoral da Criança é promover o desenvolvimento das crianças, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, do ventre materno aos seis anos, por meio de orientações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, fundamentadas na mística cristã que une fé e vida, contribuindo para que suas famílias e comunidades realizem sua própria transformação. Saiba mais

A Pastoral da Criança participa do Dia Mundial de Oração e Ação pela Criança desde 2009. Essa iniciativa faz parte da Rede Global de Religiões pelas crianças (GNRC) e acontece na semana do dia 20 de novembro de cada ano. Nessa semana, como vocês sabem, são direcionadas orações e ações para a proteção dos direitos e a promoção do desenvolvimento das crianças.

Em novembro de 2013, estivemos reunidos na Coordenação Nacional da Pastoral da Criança, em Curitiba, com uma representante da GNRC, para ver o que mais poderia ser feito junto às crianças e suas famílias para reforçar atitudes que ajudem os pais na educação de seus filhos e filhas. O tema principal da conversa foi ética. Mas afinal, o que é ética?

Para ser fiel à sua missão: "Para que todas as crianças tenham vida em abundância"(Cf. Jo 10, 10), a atitude de todas as pessoas que trabalham na Pastoral da Criança está baseada numa visão de ética que é entendida como uma atitude perante a vida e às outras pessoas, que implica respeito, honestidade, caráter, honra, entre outras qualidades.

A ética requer que cada pessoa seja capaz de se colocar no lugar do outro, em uma relação baseada no diálogo e valorização das diferenças, ou seja, a ética é um limite imposto a mim pelo outro. Esse limite que o outro impõe a mim pelo simples fato de existir orienta as minhas ações. Sendo assim, uma ação somente é eticamente verdadeira, e uma pessoa somente age de modo ético, se o foco não for ela mesma e, sim, necessariamente, o outro. Esta concepção de ética remete ao que Jesus nos ensinou, como está em Marcos 12, 31 "E o segundo mandamento é: 'Amarás teu próximo como a ti mesmo'! Não existe outro mandamento maior que este." Jesus nos mostrou que para sermos verdadeiros cristãos devemos amar a Deus e ao nosso próximo. Isso é a base da espiritualidade do nosso trabalho na Pastoral, só podemos contribuir para vida em abundância amando e respeitando nosso próximo, do jeito que ele é.

Continuamos então discutindo como apoiar as famílias para construírem atitudes éticas nas crianças. Então pergunto: podemos ensinar ética? O que você acha?

Segundo a concepção da Pastoral da Criança, a ética somente pode ser exercida na vida concreta das pessoas, na vida vivida todo dia. Para ela ser ensinada às crianças o mais importante é o exemplo que os pais, os familiares, as pessoas que convivem com ela, como vocês líderes, dão com suas atitudes de solidariedade, honestidade, respeito ao próximo. Mas vamos falar mais sobre isso outras vezes aqui no jornal. E faço um convite a vocês: vamos pensar nas nossas atitudes? Que exemplos estamos dando para as crianças?

Márcia Mamede
Assistente Técnica da Pastoral da Criança