Líder, nas visitas à gestante nos últimos meses da gravidez, é bom conversar com ela e com a família sobre os preparativos para o parto e sobre o nascimento do bebê.
Você pode perguntar se a gestante sabe em que hospital terá o seu bebê. Se ela mora longe do hospital, é bom sugerir que fique hospedada num local mais próximo. Se ela já tem outros filhos, é importante combinar com algum parente ou conhecido para que este cuide das outras crianças enquanto ela estiver no hospital.



Converse também sobre os tipos de parto. Explique que a melhor maneira do bebê nascer é por parto normal, ou seja, pela vagina (por baixo). Quando nasce dessa maneira, o bebê nasce na hora certa, é mais ativo e tem mais força e vontade de mamar o colostro já na primeira hora de vida. Essas primeiras mamadas aumentam as chances da mãe manter o aleitamento materno e dão mais proteção ao bebê.

O parto normal é melhor também para a mãe. Ela sente menos dor depois do parto e se recupera muito mais rápido. Com isso, fica mais disposta para cuidar de si mesma e do bebê. A cesariana só deve ocorrer em situações em que a saúde da mãe ou do bebê estão em risco. Quem avalia esses riscos é o médico, e a opinião da gestante sempre deve ser considerada.



Na hora de ir para o hospital, a gestante precisa levar:

  • sua Caderneta da Gestante;
  • um documento – que pode ser a identidade, carteira de trabalho, certidão de casamento ou de nascimento;
  • seu Cartão do SUS, se tiver;
  • uma sacola com suas roupas, absorventes e algumas roupinhas para o bebê.

O companheiro, as pessoas da família ou os amigos que moram perto, precisam conhecer os sinais de trabalho de parto e saber aonde levar a gestante. Assim, se sentirão mais seguros para procurar o hospital na hora certa.

Os sinais de que a hora do parto está chegando podem ser diferentes de uma mulher para outra e também de uma gravidez para outra. Em geral o trabalho de parto do primeiro filho é mais demorado.



Veja o vídeo Gerando Uma Vida – episódio 8: toda atenção aos sinais para o parto, do Ministério da Saúde.

Líder, na visita domiciliar do sétimo mês, faça com a gestante e a família um plano de parto, conforme orientações da cartela 7B do Laços de Amor. Estas informações devem ficar em um lugar bem visível da casa e serem compartilhadas com familiares, amigos e vizinhos.

Você está aqui:
Você está aqui: