Apoio da Igreja

A Pastoral da Criança é Igreja e, assim como todas as Pastorais, necessita do constante apoio dos seus pastores. Este apoio se dá quando os Bispos e Padres conhecem a missão e a realidade local da Pastoral da Criança. Para conseguir esse apoio os coordenadores devem:

  • Apresentar a missão da Pastoral da Criança às autoridades eclesiásticas: bispos, padres e diáconos;
  • Apresentar a Pastoral da Crianças nas Casas de Formação;
  • Participar das Assembleias do Povo de Deus; Conselhos de Pastorais (Paroquiais e Comunitários) etc.
  • Convidar Bispo e Padres para participar das atividades, reuniões e capacitações da Pastoral da Criança;
  • Buscar um Padre assessor para Pastoral da Criança.

Coordenador com Perfil e Capacitado

Um coordenador deve desempenhar a missão da Pastoral da Criança. Caso tenha algumas dificuldades, estas serão superadas ao formar uma equipe, o que é essencial para que a caminhada seja mais alegre, leve e colaborativa.

Para desenvolver esta missão de coordenação, deve fazer as e-capacitações do Aplicativo da Pastoral da Criança, em especial: e-Guia da gestação aos 6 anos, e-Coordenador Paroquial, em caso de Coordenador Diocesano, também o e-Coordenador Diocesano.

Abaixo, algumas das ações que devem ser realizadas pelo coordenador da instância superior, sob cuidados da autoridade eclesiástica responsável pela coordenação a ser escolhida.

Buscar Pessoas

  • Visitar as comunidades para conhecer as lideranças locais; observar as pessoas interessadas, motivadas e que se destacam na comunidade;
  • Conversar os Padres sobre possíveis candidatos para coordenação de Paróquia e comunidade;
  • Visitar outras organizações, instituições, movimentos da Igreja e outras pastorais para convidar pessoas para conhecer e colaborar com a Pastoral da Criança;
  • Apresentar, nas assembleias avaliativas, o perfil e atribuições de um coordenador.ara convidar pessoas para colaborar na Pastoral da Criança;

Avaliar as Pessoas

  • Observar se tem atitudes coerentes com a Pastoral da Criança e se tem vivência de comunidade;
  • Conhecer pessoalmente o candidato e verificar sua disponibilidade para a missão da Pastoral da Criança.

Caminhar em conjunto com os candidatos

  • Convidar os indicados para participarem das atividades, reuniões e formações da Pastoral da Criança, realizando um pequeno estágio para vivenciar na prática as atribuições de um coordenador;
  • Capacitar o candidato a coordenador no e-Guia da gestação aos 6 anos e no e-Coordenador Paroquial, caso ainda não tenha sido capacitado;
  • Apresentar os diversos materiais da Pastoral da Criança para que ele conheça melhor as ações.

Assumir a coordenação

  • Formar equipe com pessoas que completem o seu perfil: que dominem, por exemplo, elaboração de prestação de contas, sistema de informação, linguagem da igreja etc;
  • Analisar as coordenações e reorganizá-las, quando necessário (Coordenações de Área para as Dioceses; Coordenações de Núcleo para Estados com mais de 7 setores);
  • Participar dos Congressos, Assembleia e demais encontros promovidos pela Pastoral da Criança para se manter atualizado com assuntos pastorais e da Igreja (Diocese).

Formar candidatos para sucessão

  • Preparar as pessoas da equipe para que sejam possíveis candidatos a sucessão (suplentes, capacitadores, coordenadores de paróquia e líderes).

Coordenação Acompanhada e com Recursos Materiais e Financeiros

A principal maneira de acompanhar a situação da Pastoral da Criança é participando junto, ou seja, visitando as coordenações e, principalmente, os líderes; usando os relatórios do sistema de informação, os materiais educativos e criando um plano de ação que ajude na melhoria ou na expansão da Diocese/Paróquia.

Plano de Ação

  • Analisar os relatórios do sistema de informação: FABS, prestação de gastos, capacitadores do guia do líder atuantes, estágio de evolução das comunidades, metas e coberturas, mandato dos coordenadores e planejamento de capacitações;
  • Elaborar plano de ação de acordo com o modelo sugerido pela Coordenação Nacional;
  • Estabelecer metas e ações coerentes a partir de um diagnóstico com base nos relatórios;
  • Delegar atividades para os membros da equipe e capacitadores para acompanharem a execução do plano de ação;
  • Realizar ajustes no Plano de Ação, de acordo com o Diagnóstico e acompanhamento da diocese;
  • Avaliar, durante as assembleias, se os resultados foram atingidos e propor ajustes, quando necessário;

Recursos Materiais e Financeiros

  • Assegurar que as Paróquias e capacitadores tenham os materiais necessários para desenvolverem as atividades (Diocese);
  • Garantir que os líderes estão recebendo o material para o desenvolvimento das ações, principalmente a revista da Pastoral que contribui para o processo de formação contínua (Paróquia);
  • Verificar se a Coordenação Paroquial possui recursos para realizar as visitas (Diocese);
  • Realizar os repasses para as Paróquias que ainda não recebem diretamente na conta e incentivar que o recurso chegue nas comunidades (Diocese);
  • Acompanhar o envio mensal da prestação de contas dos ramos (Diocese);

Líderes Qualificados e em Quantidade Suficiente

O maior tesouro da Pastoral da Criança são os líderes. São eles que levam as importantes orientações sobre cuidados com as crianças, gestantes e suas famílias. No Brasil, ainda existem muitas crianças pobres a serem acompanhadas e, por isso, é importante termos cada vez mais líderes para poder levar vida em abundância. Por isso é missão primordial da paroquial estar próxima e desenvolver ações que facilitem a caminhada do líder.

O Líder

  • Apresentar qual é o papel do líder na comunidade e suas atividades;
  • Apresentar ao líder o Aplicativo da Visita Domiciliar como principal ferramenta de missão;

Líderes em quantidade

  • Realizar mutirões em busca de líderes;
  • Convidar nas missas, com o apoio dos padres;
  • Visitar e fazer convite pessoal para antigos líderes voltarem para a Pastoral da Criança;
  • Realizar encontro com a liderança da comunidade (conversar com associação de moradores para indicarem pessoas com perfil pastoral);
  • Convidar às mães acompanhadas;
  • Estimular que os líderes atuantes convidem pessoas conhecidas (filhos, irmãos, amigos, vizinhos etc);
  • Buscar líderes entre outras pastorais da igreja;
  • Apresentar a Pastoral da Criança para outras religiões e convidar pessoas para atuar como líderes.

Capacitação com Qualidade

  • Ter equipe de capacitação atualizada e comprometida (Diocese);
  • Fazer planejamento das capacitações e preparar o material (Diocese);
  • Ter capacitadores e líderes capacitadores do e-Guia;
  • Esclarecer as atribuições e o compromisso do capacitado antes de torná-lo capacitador ou multiplicador (Diocese);
  • Manter coordenadores, capacitadores e multiplicadores atualizados para que realizem as Oficinas de Formação Contínua Integrada;
  • Acompanhar os líderes que estão sendo capacitados, respeitando o ritmo de aprendizagem, até o completo entendimento das ações;
  • Incentivar que, após a terceira etapa da capacitação, os novos líderes já cadastrem gestantes e enviem as informações via FABS ou AppVisita;

Acompanhamento do Líder

  • Realizar Encontrão de Líderes para fortalecer o engajamento com a missão;
  • Fazer Oficina de Formação Contínua Integrada (OFCI) para os líderes, ao menos uma vez ao ano, trabalhando as dificuldades sentidas na comunidade;
  • Garantir que os líderes recebam os materiais a eles destinados;
  • Analisar, com os líderes, os resultados trimestrais, com base no Estágio de Evolução e Número de Crianças acompanhadas;
  • Participar, com o líder, da Celebração da Vida, visita na comunidade e da Reunião de Reflexão e Avaliação, pelo menos uma vez ao ano;
  • Estabelecer um Canal de comunicação através do , AppVisita ou ainda por e-mail, Facebook, Whatsapp etc;

CICLO:Pastoral da Criança atendendo as necessidades sentidas da comunidade

É envolver toda a comunidade para discutir sobre as necessidades que dizem respeito ao bem comum e buscar formas de como resolver os problemas.

  • Realizar Rodas de Conversa na comunidade, em um momento diferente da Celebração da Vida, utilizando os materiais formativos, tais como a Revista, Dicas e demais materiais, e convidar toda a comunidade (Paróquia);
  • Orientar/informar as famílias, por meio dos líderes, para buscar ajuda e diálogo junto ao Poder Público e sobre seus direitos;
  • Desenvolver articulação e parceria com outras Instituições, Conselhos e associações de moradores (Paróquia);
  • Articular com pessoas, “buscar caminhos”, participar das reuniões da comunidade, engajar-se nas mobilizações da comunidade, utilizar redes sociais para manter contato com as instâncias superiores (Paróquia e Diocese);

LÂMPADA: Percepção positiva da sociedade quanto ao trabalho da Pastoral da Criança

Quem não é visto, não é lembrado! A Pastoral da Criança precisa divulgar os bons resultados, as maravilhas que surgem graças ao desenvolvimento da missão, para que as pessoas entendam a razão de sua existência e apoiem esta missão.

  • Manter transparência - Portal da Transparência Pastoral da Criança;
  • Avisar/Convidar a imprensa nos momentos importantes da Pastoral da Criança;
  • Cadastrar Rádios para divulgar o programa Viva a Vida (Paróquia);
  • Buscar um espaço no site e jornal da Diocese e paróquias;
  • Enviar suas ações para serem publicadas no Espaço das Comunidades e, às vezes, no site da Pastoral da Criança.

Você está aqui: