Introdução de alimentos

Até os seis meses, o leite materno é tudo o que o bebê precisa para ficar bem alimentado. Depois dessa idade, é preciso continuar dando o leite de peito e também outros alimentos.

Os primeiros alimentos a serem oferecidos são as frutas e a comida da família. Veja esquema abaixo:

Ao completar 6 meses: 

Ao meio da manhã - Fruta amassada ou em pedaços.

Almoço - *Comida da família adequada em consistência.

Meio da tarde - Fruta amassada ou em pedaços.

Jantar - Leite materno. 

Leite materno sempre que a criança quiser.

De 7 a 8 meses: 

Ao meio da manhã - Fruta amassada ou em pedaços.

Almoço - *Comida da família adequada em consistência.

Meio da tarde - Fruta amassada ou em pedaços.

Jantar - *Comida da família adequada em consistência.

O leite materno deve ser mantido no intervalo das refeições.

De 9 a 12 meses: 

Ao meio da manhã - Fruta.

Almoço -  Comida da família com as carnes bem picadas.

Meio da tarde - Fruta.

Jantar - Comida da família com as carnes bem picadas.

O leite materno deve ser mantido no intervalo das refeições.

*A criança pode receber a comida da família, mas os alimentos devem ser amassados, desfiados, picados em pedaços pequenos, temperados com pouco sal. Procurar usar mais temperos naturais. 

Lembre-se de oferecer água tratada, fervida ou filtrada a criança ao longo do dia.

 

Orientações importantes:

  • O leite materno deve ser oferecido até, pelo menos os 2 anos, sendo que até o 6º mês, ele é o único alimento de que o bebê precisa, ou seja, não se deve dar a ele água, suco, chá ou outro tipo de leite nesse período.

  • No 6º mês o bebê deve receber 3 refeições ao dia: dois lanches com frutas e uma refeição principal (almoço ou jantar) ou duas refeições principais e um lanche com frutas. A partir do 7º mês, ele já deve receber 4 refeições ao dia. 

  • As frutas são importante fonte de vitaminas. Deve-se dar preferência às frutas regionais e da estação, que são mais frescas e mais baratas. Elas podem ser oferecidas amassadas com o garfo, raspadas, cozidas ou assadas, ou ainda, oferecidas em pedaços para que o bebê possa segurar com as próprias mãos. Sementes ou caroços devem ser retirados e frutas pequenas como uvas precisam ser cortadas ao meio para evitar engasgos.
  • A refeição da família deve ser preparada com óleo vegetal, em pequena quantidade, temperos naturais (cebola, alho, ervas e especiarias da preferência da família) e sal em mínimas quantidades. O gosto pelo sabor salgado é um hábito formado. Se o bebê for alimentado com muito sal, vai ser um adulto que vai querer comer alimentos muito salgados, e no futuro, pode ter pressão alta. Temperos prontos em pó, em cubos ou líquidos não devem ser utilizados.

  • Os alimentos devem ser oferecidos inicialmente amassados, mas sem serem misturados. Não utilizar peneira ou liquidificador. 

  • Açúcar ou alimentos adoçados não devem ser oferecidos até os 2 anos de idade. 

  • Sucos, sejam eles artificiais ou naturais, não devem ser oferecidos a bebês menores de um ano. Para matar a sede a preferência deve ser por água e, para os lanches, frutas in natura.

  • Quem determina o quanto a criança vai comer é ela mesma. Toda criança consegue perceber quando já está com o estômago cheio. 

Atenção: Qualquer sinal de alergia, procure o serviço de saúde.

Você está aqui:
Você está aqui: