ead topo

A partir do sexto mês de vida é preciso iniciar a alimentação complementar (que complementa o leite materno). Neste momento é muito importante cuidar da qualidade da água, lavagem das mãos, limpeza dos utensílios e superfícies onde serão preparados os alimentos e, higienização dos alimentos e garantir o seu armazenamento e conservação adequados para evitar contaminações e doenças, como a diarreia.

A seguir serão apresentados estes cuidados, retirados do novo Guia alimentar para crianças menores de dois anos, do Ministério da Saúde (2019):

  • A água própria para consumo deve ser limpa, não ter gosto, cheiro ou cor de aspecto desagradável. Para garantir a qualidade da água, é importante limpar regularmente caixas d'água, cisternas, filtros ou outros reservatórios que armazenam água em casa. A água fornecida pela rede pública de abastecimento é, geralmente, adequada depois de ser filtrada. Em locais onde não há tratamento de água, ela deverá ser filtrada e tratada com solução de hipoclorito de sódio a 2,5% (misturar duas gotas da solução para cada litro de água e aguardar 30 minutos) ou conforme as orientações do fabricante no rótulo. O ideal é que a água tratada com o hipoclorito seja utilizada no mesmo dia ou, no máximo, no dia seguinte. Na falta do hipoclorito, é preciso filtrar e ferver a água por 5 minutos antes de usá-la. Contar os 5 minutos após aparecerem as primeiras bolhas de fervura. Essa água será usada para o preparo dos alimentos. Se o alimento a ser preparado passar por cozimento com fervura, basta a água ser filtrada. 

  • Quem prepara os alimentos deve sempre lavar bem as mãos com água e sabão, enxaguar e secar com toalha limpa ou papel toalha. Não esquecer de também lavar as mãos das crianças antes de comer. Veja o vídeo sobre a forma adequada de lavar as mãos: https://www.youtube.com/watch?v=krSDE0_KBMs
  • Os antebraços também devem ser bem lavados. 

  • Os utensílios e superfícies que entrarão em contato com os alimentos devem estar bem limpos (fogão, bancada, mesa, pia, talheres, pratos, travessas, etc). Panos de prato e esponjas de louça podem ser fontes de contaminação. Não os utilize quando já estão com aspecto de muito usados. Após o uso, mantenha-os secos e troque-os 1 vez por semana. Procure secar as louças ao natural, sem usar pano de prato. 

  • Quanto à higienização dos alimentos, atenção maior deve ser dada para o que é consumido cru e com casca, como as frutas, verduras e legumes. É preciso eliminar além dos pequenos bichinhos, os germes microscópicos que não conseguimos ver. Lembre-se: higienizar, não é só lavar. Portanto, para limpar bem estes alimentos: 
    • Descarte as folhas e partes estragadas.
    • Lave-os em água corrente tratada, um por um, folha a folha, para remover a sujeira.
    • Deixe-os em uma bacia cobertos com solução clorada* (veja detalhes mais abaixo), entre 10 e 15 minutos. Em seguida, enxágue-os um a um em água corrente própria para o consumo. 

Importante: água limpa e vinagre não são suficientes para eliminar microrganismos e o detergente não deve ser utilizado para esta finalidade. 

  • Mantenha os alimentos sob refrigeração até o momento de servir.

 

* Preparo da solução clorada

Usar água sanitária, hipoclorito de sódio ou produtos feitos para desinfetar alimentos. Dependendo da concentração do produto que você comprar, o modo de preparo muda: 

  • Água sanitária - o único tipo de água sanitária que pode ser usado para higienizar alimentos é o que vem somente com água e hipoclorito de sódio (numa concentração que pode variar de 1,0 a 2,5%). Não usar marcas que contém alvejante e perfume). Leia o rótulo para identificar o produto adequado. 
  • Hipoclorito de sódio - o hipoclorito de sódio é encontrado nas concentrações de 1,0% a 2,5%, em frascos de 1 litro. 

Modo de Preparo:

  • água sanitária com 1,0% de hipoclorito de sódio ou hipoclorito de sódio de 1,0%: 2 colheres de sopa do produto para cada litro de água própria para consumo.
  • água sanitária com 2,5% de hipoclorito de sódio ou hipoclorito de sódio de 2,5%: 1 colher de sopa do produto para cada litro de água própria para consumo. 

- Existem produtos líquidos ou em comprimidos destinados a higienizar alimentos à venda nos mercados. Para usá-los, obedeça as instruções do rótulo da embalagem. 

Atenção: Nunca compre produtos que não têm rótulo, pois podem conter substâncias desconhecidas e prejudiciais à saúde.      

  • Após a higienização, os alimentos podem ser guardados. As folhas, depois de secas, devem ser guardadas em potes para mantê-las frescas por mais tempo. 
  • As sobras são os alimentos não consumidos que permanecem nos utensílios (panelas, travessas ou potes) em que foram servidos. Elas devem ser guardadas na geladeira. Não se deve esperar o alimento esfriar para armazená-lo na geladeira. Caso não haja geladeira, a refeição deverá ser preparada o mais próximo possível do momento em que será oferecida. 

Os restos são os alimentos deixados no prato. Mesmo que não tenham sido tocados pela criança, eles não devem ser oferecidos para ela novamente em outra refeição. Portanto, cuidado com excessos para evitar o desperdício. 

  • Toda a família, principalmente as crianças, não devem abrir o refrigerador a todo momento. Certificar-se de que está sempre fechado e que a porta apresenta boas condições de vedação.
  • Se a família não tiver refrigerador ou este não apresentar condições de temperatura adequada, os alimentos da criança devem ser preparados próximos ao horário de cada refeição. 

 

O Altíssimo deu aos homens a ciência para que pudessem honrá-lo por suas maravilhas.
Eclo 38, 6

Você está aqui: