O cenário atual do desenvolvimento infantil sofre a influência do meio onde as crianças estão inseridas. Atualmente, a longa jornada de trabalho dos pais, a violência das grandes cidades, a falta de saneamento, a limpeza das ruas e as novas tecnologias afetam o modo de viver e brincar das crianças. Esse cenário se torna um desafio para os líderes da Pastoral da Criança, que tanto incentivam e orientam o desenvolvimento infantil. Para ajudar no desenvolvimento integral das crianças, incentivar as famílias e escutar as mães, os líderes da Pastoral da Criança podem, no momento da visita domiciliar:

- Valorizar o que as famílias fazem de bom para cuidar de seus filhos;

- Conversar sobre os cuidados e a educação das crianças;

- Alertar os sinais de perigo para a saúde da gestante e da criança;

- Identificar situações desfavoráveis para o desenvolvimento da criança;

- Estimular a família para conversar e brincar com a criança;

- Falar sobre os 10 Mandamentos para a Paz na Família;

- Procurar, juntos, formas de resolver problemas;

- Incentivar a família para construir brinquedos com a criança.

Na Celebração da Vida ou nas Rodas de Conversa, é bom falar com as famílias sobre quais as necessidades da comunidade para que as crianças tenham oportunidades de brincar ao ar livre e se desenvolver plenamente. Se a comunidade se organizar e criar esses espaços e momentos, todos saem ganhando, principalmente as crianças.

A Ação Brinquedos e Brincadeiras favorece o desenvolvimento integral das crianças. O brincar requer oportunidades para andar, correr, jogar e se divertir. Na brincadeira livre a criança pode tomar a iniciativa, subir em árvores, pular obstáculos, pisar na terra e brincar com água.

Também é possível aproveitar os espaços fechados para realizar brincadeiras divertidas. Brincar de montar quebra-cabeça, passar o anel, joguinho de algodão, contar histórias e tantas outras. Fica mais divertido quando as crianças constroem sua própria brincadeira.


Que tal refletir?

Como percebemos o cenário atual?


Um caso de superação

A líder Maria Graciete da Silva da comunidade Santa Clara, em Natal (RN), começou a acompanhar o menino Artur, a partir dos 3 anos e 8 meses de idade e ele apresentava comportamento impulsivo e agressivo. Como a mãe era ausente em sua vida, o menino era cuidado pela avó, sem interagir da maneira como deveria com outras crianças.

Com a intensificação da visita da líder, com o olhar voltado para os indicadores próprios para a idade dele, foi observado que a criança não tinha oportunidade de brincar com outras crianças, a não ser com os familiares que já estavam em seu convívio no dia a dia.

Quando chegou a fase de entrada na pré escola, a avó proibiu a matrícula do menino e também que ele saísse com a mãe, alegando ser por causa da agressividade que ele tinha em casa. Com a permanência e insistência da líder nas orientações dos indicadores para a idade, bem como pelas atividades promovidas por ela no dia da celebração da vida, o menino começou a apresentar atitudes diferentes.

Com a inauguração de uma creche no bairro, o cenário começou a tomar novo rumo e a líder conseguiu convencer a avó a colocá-lo para estudar. Sempre acompanhando, a líder percebe hoje um novo Artur: mais comunicativo, menos agressivo e, acima de tudo, tendo gosto pela escola.

  • A ação Brinquedos e Brincadeiras na Comunidade incentiva a brincadeira de livre, escolha da criança, promove e defende o direito de brincar e reforça os laços afetivos entre pais e filhos, tão necessários ao desenvolvimento infantil.


  • Os indicadores de Oportunidades e Conquistas servem para valorizar e estimular atitudes na família e na comunidade que promovam o desenvolvimento da criança. Saiba mais no e-Guia.


Você está aqui: