ead topo

Saúde da boca: prevenindo a cárie e as doenças da gengiva

Os dentes são necessários para mastigar, para a boa aparência, para a boa pronúncia das palavras e para a nossa saúde geral.

Quando mastigamos, os dentes fazem da comida uma pasta. Assim, fica mais fácil engolir e o nosso corpo aproveita melhor os alimentos.

A falta de dentes e dentes tortos fazem com que a pessoa tenha dificuldade para falar, pois algumas letras precisam deles para serem faladas, como por exemplo, a letra D e T.  

Os dentes dão forma ao rosto e à boca. É por isso que a falta deles deixa o rosto com aparência de velhice. Além disso, a perda de dentes pode provocar dores de cabeça e de ouvido.  

Os dentes apodrecidos pela cárie, além do aspecto feio e da dor, provocam mau hálito e gosto ruim na boca. 

O dente é um órgão vivo. Dentro dele existem nervos. Por isso, sentimos dor quando o dente está doente. 

Os dentes têm duas partes:  

Coroa é a parte do dente que aparece na boca. Raiz é a parte que prende o dente no osso. 

Não conseguimos ver a raiz do dente porque ela está escondida na gengiva.

A CÁRIE

A cárie é uma doença que ataca o dente e pode ser transmitida da boca de uma pessoa para a boca de outra.  

Como se forma a cárie  

Depois que comemos, os restos de alimentos que sobram na boca fermentam, formando uma placa em volta dos dentes. Nessa placa, crescem bactérias que transformam o açúcar dos alimentos em ácidos.  

Esses ácidos corroem o esmalte dos dentes, dando início à cárie. A mancha branca que aparece no esmalte do dente já é sinal de cárie, embora ainda não doa.

Quando a cárie não é tratada, ela aumenta, fazendo um buraco cada vez mais fundo, que pode atingir e destruir o nervo do dente. Nessa fase, a pessoa sente muita dor.

Além da dor, os dentes cariados podem provocar o aparecimento de:

  • bolas de pus, que às vezes estouram dentro da boca ou no rosto;
  • infecção no osso que segura o dente;
  • infecção no sangue.  

AS DOENÇAS DA GENGIVA  

Com o tempo, a placa bacteriana que se forma sobre os dentes causa inflamação na gengiva e, às vezes, endurece formando uma crosta amarelada ou preta chamada tártaro.

Esse tártaro pode provocar a inflamação da gengiva, que fica vermelha, inchada e sangrando.  

A inflamação provocada pela placa bacteriana e pelo tártaro acaba prejudicando a fixação da raiz do dente no osso. Assim, o dente vai ficando mole e cai.  

 
Como evitar a cárie e as doenças da gengiva
 
 

Para ter dentes saudáveis, evitar a cárie e as doenças da gengiva, três cuidados são muito importantes:

  1. Escovar corretamente os dentes, usar o fio dental e limpar a língua;
  2. Usar o flúor;
  3. Controlar o consumo de açúcar.

ESCOVAÇÃO 

Para iniciar a limpeza da boca, deve-se escovar os dentes corretamente, depois de cada refeição, antes de dormir e também depois de comer alimentos açucarados.

Para escovar bem os dentes, é preciso dedicar tempo e cuidado.  

A escova de dentes deve ter cabeça pequena, fios ou cerdas macios e com pontas arredondadas. Assim, é possível limpar todos os dentes, um de cada vez, sem machucar a gengiva.

Cada pessoa da família deve ter sua própria escova! De tempos em tempos, a escova deve ser trocada, pois ela é como a vassoura: quando os  fios ou cerdas ficam deformados, não limpam mais.

Ao escovar os dentes, é importante limpar a gengiva próxima ao dente, sem forçar o cabo da escova, para não machucar a gengiva.  

 
Escovação correta
 
 

Para escovar os dentes corretamente:

  • Faça movimentos circulares; ou
  • Escove na direção em que os dentes crescem.   

Os dentes de cima são escovados antes dos dentes de baixo, seguindo sempre a mesma seqüência, para não esquecer de escovar nenhum dente. Assim:  


  • Os dentes inferiores são escovados de baixo para cima.  

 

O lado de fora dos dentes (perto da bochecha) e o lado de dentro dos dentes (perto da língua) são escovados primeiro com movimentos circulares e, para completar, com movimentos de varredura.  



Na parte em que os dentes de cima encostam nos dentes de baixo, a escovação é feita com movimentos de vai-e-vem.

É importante escovar com cuidado os dentes do fundo da boca. Pelo menos uma vez ao dia, escovar também a língua.  

FIO DENTAL 

O fio dental ajuda a remover a placa bacteriana que a escova não consegue tirar. 

O fio dental deve ser passado entre o dente e a gengiva, devagar e delicadamente, para não ferir a gengiva.

Quando há sangramento durante a limpeza da boca, é sinal de doença na gengiva. Mesmo que sangre, é preciso continuar escovando os dentes e passando o fio dental. O sangramento é causado pela placa bacteriana que se acumula sobre os dentes, perto da gengiva.  

 

 
 
 
 

Líder, você pode ensinar a gestante e a família a preparar um fio dental caseiro, conforme descrito do conteúdo básico desta etapa.

FLÚOR

O flúor fortalece os dentes e impede a formação da cárie. No Brasil, a maioria das pastas de dente já contém flúor.

Em muitas cidades, a água da rede pública contém flúor. Nessas cidades, as crianças e gestantes não precisam usar remédios com flúor.

Antes de tomar remédio que contenha flúor, é bom pedir orientação ao dentista. Ele sabe indicar a quantidade e o melhor modo de utilizar o flúor.

A aplicação de flúor por meio do bochecho não é recomendada antes dos seis anos. Só a partir dessa idade a criança consegue fazer o bochecho sem engolir o líquido.

 
Acidentes domésticos
 
 

O flúor é como qualquer outro medicamento. Quando usado de forma incorreta ou em quantidade maior do que a necessária, pode fazer mal. É importante guardar o frasco em um local longe do alcance da criança.


Você está aqui: