Foto: acervo da Pastoral da criança/ Museu da Vida

Temos, como já vimos, as brincadeiras que exigem muito movimento e que são realizadas geralmente ao ar livre e para isso temos a proposta das Ruas do Brincar.

Todas as cidades devem oferecer espaços públicos para as brincadeiras das crianças e para a convivência comunitária. Mas praças e parques são poucos e a rua, espaço que está presente em todas as cidades, se tornou perigoso e até violento. No entanto, na maioria das vezes, a rua é o único espaço público aberto que encontramos próximo às residências.

Sendo assim, a fim de ampliar oportunidades para as crianças brincarem juntas e ao ar livre, criamos a proposta das Ruas do Brincar. Esta proposta consiste em encontrar espaços limpos e seguros nas comunidades para as crianças brincarem juntas. Pode ser com o "fechamento" de uma rua, pode ser numa praça, num terreno vazio, em um parque. As famílias são convidadas a levar seus filhos e filhas para brincarem ao ar livre. Os brinquedistas devem organizar isso nas comunidades com o apoio dos líderes, brincadores e das famílias. Podem levar, por exemplo, bolas, cordas, giz ou caco de tijolo para riscar brincadeiras no chão.

Portanto, a proposta das Ruas do Brincar é bem simples para que possa acontecer sempre e ir sendo enriquecida também com o apoio das famílias. Assim, estarão chamando atenção para a importância de encontrar um espaço em que as crianças possam estar juntas, brincar, se movimentar bem, tomar sol. E, também, estarão unindo as pessoas numa atividade comunitária, o que cria laços de amizade mais estreitos.

Você está aqui: