Durante a amamentação há troca de olhares e carinho entre a mãe e o bebê? 

A amamentação é muito importante para o bebê e para a mãe. Além do bebê receber um alimento feito especialmente para ele, é o momento em que os dois ficam mais ligados.

A troca de olhares e carinhos durante a amamentação reforça a ligação da mãe com o seu bebê. Em cada mamada o bebê e a mãe vão se conhecendo mais, se gostando mais. Por isso, é importante você observar como a mãe e o bebê estão se relacionando durante a amamentação.

Fale para a mãe que, quando o bebê olhar para ela enquanto mama, ficará feliz se ela também olhar para ele. E isso é muito bom para os dois. Procure animar a mãe a falar sempre com o bebê, acariciar seu corpinho e olhar para ele enquanto o amamenta.

Desde a gestação, o modo como os pais se relacionam com o bebê já vai formando nele o seu jeito de ser. Nos últimos meses da gravidez, o bebê ouve sons, reage à luz forte perto da barriga da mãe e pode sentir quando ela está muito cansada ou nervosa.

Antes de nascer, o contato do bebê com a mãe é direto. É dela que ele recebe alimento, calor e aconchego na barriga. No momento do nascimento, todas essas sensações conhecidas desaparecem rapidamente, e o bebê vai ter de se acostumar a um novo ambiente.

Olhar carinhoso, palavras suaves, toques delicados e aconchego no colo dos pais fazem o bebê se sentir amado e protegido.

O bebê comunica suas necessidades, principalmente, pelo choro. Ele chora de fome, de dor, de frio ou calor, pedindo aconchego e porque está molhado. Ao ser atendido, aprende que alguém cuida dele e isso dá segurança ao bebê. Aos poucos, os pais aprendem a identificar as necessidades do bebê e assim podem ajudá-lo a se desenvolver.

O bebê fica a maior parte do tempo com os braços e pernas dobrados e as mãos fechadas, como ficava dentro da barriga da mãe. É comum também ele arrotar, soluçar, tossir um pouquinho, fazer pequenos barulhos. Essas coisas fazem parte da vida do bebê.

O bebê se movimenta pouco e quase sempre reage do mesmo modo a alguns estímulos. Por exemplo: quando colocamos o dedo na sua mão, ele agarra com força; quando é tocado, ouve barulho ou tiramos sua roupa, ele faz movimento de abraço ou de susto.

O bebê dorme a maior parte do tempo. Dormindo ele acumula a energia necessária para mamar e crescer. Uns têm sono mais leve, outros têm sono mais pesado. O sono do bebê que é tocado com carinho pelos pais geralmente é mais tranquilo.

A cada dia que passa, os pais e o bebê vão se conhecendo melhor. O bebê é muito ligado à mãe. Ela é sua fonte de segurança e amor. Ele gosta de ficar no colo e de ser embalado por ela. Quando a mãe coloca o bebê perto do seu coração, ele escuta de novo as batidas que conhece tão bem. Assim, lembra-se das sensações que tinha quando ainda estava na barriga. Tudo isso ajuda o bebê a ficar mais calmo e seguro.

Ele também gosta de ouvir a voz do pai. Quando a mãe e o pai falam ou cantam suavemente, estão mostrando ao bebê que ele é amado.

O bebê se acalma quando ouve a voz dos pais, é tocado ou embalado?

O colo responde à necessidade de contato do bebê com os pais e é uma demonstração de amor. Se estiver com algum desconforto, agitado ou chorando, o bebê se acalma quando os pais o pegam no colo, falam, cantam ou o embalam suavemente. Cada bebê tem uma maneira diferente de se acalmar.

O choro é uma forma de comunicação do bebê. Pegar o bebê no colo e verificar por que ele chora não o acostuma mal. Bebê que não é atendido quando chora, geralmente se torna mais chorão. Bebê que é atendido sente que tem alguém que cuida dele e fica mais tranquilo.

A visão e a audição do bebê ainda estão se aperfeiçoando, mas ele escuta e vê parcialmente o que acontece perto dele. É comum o bebê ficar meio vesgo até os seis meses de idade. 

A partir da segunda semana de vida, é bom para o bebê tomar um pouco de sol, todos os dias, antes das nove horas da manhã ou depois das quatros horas da tarde. O ideal é que o bebê esteja só de fralda e fique exposto de 6 a 8 minutos por dia (30 minutos por semana). Se não for possível ficar só de fralda, é importante expor pelo menos o rostinho e as mãos por cerca de 17 minutos por dia (2 horas por semana).

Você está aqui:
Você está aqui:
Você está aqui: