Nós, seres humanos, não  podemos criar  a partir do nada. Precisamos  de alguma  coisa, seja da própria natureza, seja algo que já foi usado, para criar. Na sociedade  em  que vivemos, onde  temos  poucas  oportunidades  de  criar alguma  coisa,  achamos  que  não  somos  criativos. Mas  isso  não  é  verdade.

Tendo algo em nossas mãos e a oportunidade de criar, sentimos a alegria, o poder da criação e nos aproximamos mais de Deus Criador. Aquilo que criamos traz uma parte de nós, de nossas raízes, que reforçam o sentimento de pertencer a um lugar, prender-se às coisas, às pessoas que convivem conosco. E isso contribui  para  aumentar  nossa  segurança e  melhorar  nossa  autoestima.

As “Oficinas de construção de brinquedos” podem ser feitas em conjunto com todos. Os brinquedos que serão feitos nelas estarão identificados com o dia a dia das comunidades; eles valorizarão a expressão própria das pessoas de um lugar, seu modo de ser e fazer.

As crianças, ao brincar com esses brinquedos, podem vivenciar desde cedo a sabedoria e a cultura de seus pais, familiares e de outras pessoas que convivem com ela. Poderão sentir o carinho, a atenção de quem fez o brinquedo.

Elas também verão que as coisas podem ser reaproveitadas quando de uma garrafa de plástico fazemos um carro; que podem ser usadas de diversas maneiras quando uma folha de palmeira amarrada se transforma num cavalinho. Assim vão aprendendo a dar um outro valor às coisas, criando uma consciência crítica em relação ao consumismo exagerado de nossa sociedade.

Em algumas partes que compõe este livro colocamos sugestões de como fazer vários brinquedos, mas temos a certeza de que em cada comunidade muitos outros vão ser criados e encantar as crianças.

Organizando a oficina de brinquedos

Os brinquedos podem ser criados usando material de sucata ou coisas da natureza. Quando falamos de sucata estamos nos referindo a materiais industrializados que foram descartados como: latas; papel, papelão, revistas, jornais; garrafas, potes e tampas de plástico; pedaços de tecido, de madeira, de borracha. Na natureza encontramos, por exemplo: folhas, gravetos, pedras, conchas.

As oficinas podem servir também para o conserto de brinquedos que as crianças quebram ao brincar ou os que forem doados e estiverem danificados. O importante é que os brinquedos quebrados, sujos possam ser reconstituídos, limpos, renovados. Muitas vezes são doadas bonecas sem braço ou perna, sem roupa; carrinhos sem roda; jogos faltando peças. As crianças ao brincar também podem estragá-los, pois são muitas crianças e, geralmente, poucos brinquedos. Oferecer brinquedos quebrados e sujos demonstra pouco caso.

Brinquedos limpos e inteiros ajudam na formação da autoestima das crianças e das famílias, mostram que elas merecem cuidados, amor, atenção, respeito; têm direito a utilizar coisas bonitas, tratadas, limpas.

Algumas providências e cuidados precisam ser tomados para se organizar oficinas de construção ou conserto de brinquedos.

 

Antes da oficina

Em primeiro lugar você tem que conseguir os materiais, seja a sucata ou as coisas da natureza. Em cada lugar vocês vão resolver como fazer para conseguir. Como sugestão lembramos que vo pode pedir aos pais, familiares e líderes para conseguirem o material necessário, quer no trabalho, quer em casa ou recolhendo na natureza. Podem também ser feitas campanhas nas igrejas, junto aos comerciantes do lugar.

Depois de conseguidos os materiais para a oficina, eles precisam ser limpos, organizados e separados de acordo com seu tipo para facilitar sua escolha e a idéia do que pode ser feito. Material apresentado sujo e de qualquer jeito parece lixo e não estimula a se fazer nada com ele.

É preciso conseguir também o material de apoio para confeccionar os brinquedos: tesouras, cola, fita crepe e durex, agulhas, linhas, panos, contact, arames, alicates, pedaços de madeira, pregos, martelos, entre vários outros.

Outra providência é combinar com os pais, familiares o melhor dia, horário e local antes de marcar a oficina. Uma boa idéia é pedir que, se puderem, tragam no dia da oficina algum brinquedo feito por eles.

Os brincadores devem ser convidados a ajudar durante a oficina, para ficarem atentos e disponíveis para as brincadeiras das crianças, pois os pais certamente irão com seus filhos e filhas pequenos e o brincador tem que dar atenção à confecção dos brinquedos.

Durante a oficina

Para começar a oficina, uma boa idéia é conversar com os pais sobre os brinquedos com os quais gostavam de brincar quando eram crianças, lembrar quem os fazia para eles; os brinquedos que eles fazem ou gostariam de fazer para seus filhos. Uma boa conversa anima e vai dando idéias.

Mostrar a sucata, os materiais para eles usarem é importante, bem como mostrar e deixar em exposição os brinquedos que eles trouxeram, o que também é um estímulo.

É necessário ter com certos cuidados com os materiais que vão usar para confeccionar os brinquedos. Isso, porque algumas crianças podem querer fazer brinquedos com os pais ou ficar junto deles, o que é bom, pois aproxima ainda mais pais e filhos. Então vai ser preciso que cada adulto que estiver usando qualquer objeto que possa furar, cortar etc, como tesouras, arames, martelo, pregos fique atento e responsável por eles, não os deixando soltos em qualquer lugar.

Outra conversa, feita com cuidado para não parecer uma crítica ao que for confeccionado pelos pais e familiares, deve ser sobre a segurança dos brinquedos. Sabemos que não brinquedos próprios para determinada idade, pois cada criança brinca com o brinquedo à sua maneira. No entanto, de acordo com a habilidade e os conhecimentos da criança, uns podem interessá-la mais, outros menos, outros podem ser até perigosos para crianças pequenas. Como nas famílias e nos momentos de brincar organizados pela Pastoral da Criança temos crianças de todas as idades, essa reflexão sobre segurança é necessária. Brinquedos que possam machucar, que tenham peças pequenas que possam ser engolidas são perigosos para crianças até os seis anos, principalmente as menores.

A durabilidade dos brinquedos também precisa ser levada em conta, principalmente quando eles forem confeccionados por vocês, brinquedistas e brincadores, para criarem ou aumentarem o conjunto de brinquedos para as crianças. Brinquedos muito frágeis, que não resistam ao manuseio das crianças, vão desperdiçar trabalho e gastar o material que usarem para confeccioná-los, tais como cola, arames, elásticos, etc.

As oficinas de criação de brinquedos são momentos especiais. O fazer em grupo incentiva a cooperação, a solidariedade, ajuda as pessoas a se conhecerem melhor e a formarem laços de amizade. Transformar sucata em brinquedos pode animar também as famílias a se unirem para transformar, para melhor, sua realidade. Cada brinquedo criado puxa a ideia para fazer outro e a oficina vai se tornando cada vez mais rica e interessante.

Os brinquedos, com certeza, farão surgir muita alegria nos olhos das crianças que irão dar “vida” a eles quando colocados em suas mãos.

Você está aqui: