Formação Contínua

Avancem para as águas mais profundas e lançai vossas redes.” Lc 5,4

Quem realiza

Os coordenadores de estado (e adicional), núcleo e diocese e sua equipe, que participam dos encontros regionais e da capacitação para novos coordenadores serão considerados multiplicadores destas oficinas enquanto durar seu mandato. Isso significa que eles são multiplicadores da estratégia e metodologia da OFICI e das novas informações que são apresentadas nos encontros regionais de cada ano.

Estes coordenadores, ao saírem dos Encontros Regionais e da Capacitação, devem:

1 - realizar uma Oficina de Formação Contínua Integrada numa comunidade para ter permanentemente a oportunidade de ouvir e dialogar com líderes e os outros membros da equipe e assim também dar exemplo para outros coordenadores;

2 - reunir os coordenadores de Área, Paróquia, Multiplicadores e Capacitadores para:

  • explicar a estratégia de implantação destas Oficinas na diocese e verificar os que querem se tornar capacitadores da mesma,
  • atualizar os capacitadores do ano anterior que forem continuar no ano em curso ,
  • levantar as necessidades sentidas pelos lideres e equipes da comunidade que serão trabalhadas, pelos capacitadores das OFCIs em cada comunidade. Quando o capacitador sentir dificuldade para trabalhar alguma necessidade, pedirá ajuda ao capacitador ou multiplicador da ação relativa á necessidade.

Na preparação dos capacitadores das Oficinas, além de definirem, com o grupo, como serão trabalhadas as necessidades levantadas nas comunidades, os multiplicadores da Oficina apresentam os temas discutidos na Assembleia Geral e nos Encontros Regionais que precisam ser levados aos líderes e equipe da comunidade.

Estes Capacitadores das Oficinas de Formação Contínua Integrada organizam e promovem estas Oficinas junto aos líderes e equipe da comunidade (articuladores, brinquedistas, comunicadores populares entre outros). Para que essa formação seja produtiva e frutifique, cada Diocese, conforme o número de pessoas da sua equipe, poderá promovê-la em diferentes níveis:

  • na comunidade, com líderes e as outras pessoas das ações que são desenvolvidas na comunidade;
  • na paróquia, com coordenadores comunitários, articuladores, capacitadores nas diversas ações (Guia do Líder, Brinquedos e Brincadeiras, Hanseníase, Alimentação e Hortas, etc);
  • na Área, com coordenadores paroquiais, multiplicadores e capacitadores das diversas ações.

O importante é que os temas da Oficina de Formação Contínua Integrada cheguem rapidamente e com qualidade até o Líder e Equipe da Comunidade.

De que maneira

A Oficina de Formação Contínua Integrada tem por base a realidade das comunidades e as necessidades dos líderes e famílias. Nela são trabalhadas as dificuldades encontradas, novos temas e também são celebradas as conquistas conseguidas. Estas oficinas deverão seguir a metodologia da Pastoral da Criança:

  • grupos pequenos para que possa haver discussões e troca de experiências;
  • realização das oficinas nas próprias comunidades ou em local bem próximo a elas;
  • o responsável pela organização da Oficina na comunidade deve garantir que todos os líderes e as outras pessoas da equipe estejam com o Guia e aplicativo visita e providenciar também outros materiais, principalmente os relacionados com as dúvidas e necessidades levantadas por eles;
  • a carga horária e a quantidade de temas deve ser compatível com a capacidade de atenção dos lideres e outros membros da equipe da comunidade;
  • disponibilidade, no mínimo, de dois capacitadores para realizar o trabalho na comunidade;
  • garantir momento para a oração e fortalecimento da missão da Pastoral da Criança.

As oficinas nas comunidades poderão ter até 15 participantes, com carga horária mínimade duas horas por oficina.

As Oficinas, na Diocese para preparar as equipes que irão ser capacitadoras nas comunidades, poderão acontecer com número um pouco maior de participantes, com máximo de 25 pessoas, também com carga horária mínima de duas horas por oficina. Sendo assim, a Diocese pode fazer as Oficinas por Área ou até por Paróquia.

Exemplos de temas e materiais

Nas Oficinas de Formação Contínua Integrada podem ser estudados vários temas contemplando as várias ações desenvolvidas na comunidade e que respondam às necessidades sentidas pelos líderes e equipe da comunidade, por exemplo:

  • dificuldades com o aplicativo visita, mostrar e analisar a relação entre os indicadores e o trabalho desenvolvido com as famílias (Ação Básica:Tema 115 - 1ª parte do Guia do Líder)
  • espaços na comunidade para a brincadeira das crianças (Ação Complementar- Tema 77 Brinquedos e Brincadeiras),
  • estudar e agir em relação às causas da mortalidade infantil na comunidade e no Conselho de Saúde (Ação Complementar – Tema 444 - Controle Social).,
  • Planejamento (Gestão do Coordenador: Tema 17)
  • Prestação de contas (Missão do Coordenador de Ramo: Tema: 118);
  • devem ser estudados também novos temas e informações apresentados nos Encontros Regionais para aprimorar o trabalho dos líderes e equipe da comunidade.

Importante: Certamente haverá temas importantes para a comunidade mas que não tem material educativo na Pastoral da Criança. Nesses casos, não se pode considerar estes temas como assunto da formação continua, pois se a ação não teve inicio na Pastoral da criança, como pode ser continuação da formação? Por exemplo: os líderes podem sentir necessidade de entender melhor como lidar com os filhos e esposos afetados pelo uso de drogas e álcool. Neste caso, sugerimos fazer Rodas de Conversa sobre o tema , convidando toda a comunidade (e não só as pessoas com formação inicial no Guia do Líder). Para esta Roda de Conversa pode-se buscar palestrantes de outras instituições uma vez que a pastoral da criança não tem experiência nisso.

Para baixar FORMULÁRIO DE CADASTRO DE RÁDIO - PROGRAMA "VIVA A VIDA" clique aqui.

Você está aqui: