A criança se comunica usando pequenas frases? 

A criança de um ano e cinco meses a um ano e onze meses aprende com facilidade muitas palavras novas. Se tiver sido ensinada, já pode mostrar e falar o nome das partes do seu corpo: cabeça, umbigo, mão, pé.

Se a família conversar com a criança, ela pode aprender também a juntar duas ou três palavras para formar pequenas frases: “papá bola” (papai, me dá a bola), “mamã saí rua” (mamãe, vamos sair para a rua). É bom que as pessoas da família procurem entender o que a criança quer dizer. Assim estão animando-a para que aprenda a falar melhor.

A criança continua muito interessada em conhecer e usar tudo o que vê ao seu redor. A curiosidade ajuda a criança a aprender melhor. Ela faz com as coisas o que vê as pessoas fazendo: usa o sapato da mãe, coloca o cinto do pai.

O pensamento da criança está mais desenvolvido, e ela mostra isso nas atividades que faz. Por exemplo, quando quer pegar uma coisa que não alcança, não fica mais esperando alguém para pegar para ela. Agora, por conta própria, usa outra coisa para alcançar o que quer. Pega uma colher de pau para puxar o livro que está na estante, por exemplo.

A criança aprende a dizer “não”. Se os adultos deixam ao alcance dela coisas perigosas ou muitas coisas em que ela não pode mexer, vão ter de dizer “não mexa” e “não pegue” a todo momento. Como a criança imita os adultos, vai falar “não” para tudo que pedirem a ela. Para não ter que dizer não a tudo, é melhor os pais não deixarem ao alcance da criança muitas coisas que ela não pode mexer, principalmente as perigosas, e mostrar com o que ela pode brincar. Assim, ela aprende no que pode e no que não pode mexer, mas não ouve “não” para tudo.

Limites, dados com firmeza, sem agressão e repetidos sempre, são importantes para o desenvolvimento dela. 

A habilidade da criança com as mãos aumentou. Ela já consegue abrir tampas e fazer rabiscos num papel ou no chão.

Ela gosta de brincar empilhando, derrubando, montando e desmontando coisas. A família pode arranjar para ela pedaços de madeira de tamanhos e formas diferentes e bem lixados. Esse tipo de brinquedo desperta muito o interesse da criança, pois ela pode brincar com os pedaços de madeira de várias maneiras diferentes.

Nessa idade, a criança, em geral, se interessa por saber como são seus órgãos genitais. Ela faz isso do mesmo modo que utiliza para conhecer as outras coisas: olhando e pegando. Ao tocar nesses órgãos, ela vai ter sensações agradáveis. Os pais não devem brigar com a criança quando ela mexe nos órgãos genitais, e sim distraí-la com outras brincadeiras. Dessa forma, sua curiosidade vai diminuindo aos poucos.

A criança tem espaço que ofereça segurança para andar, correr e brincar?

A criança anda cada vez melhor, já dá pequenas corridas e adora subir em tudo. Nas escadas, sobe engatinhando e desce sentada. Se alguém dá a mão, ela é capaz de subir a escada em pé. A criança que é ajudada aprende melhor.

A criança gosta de andar puxando coisas amarradas num cordão ou empurrando brinquedos. Também gosta de brincar imitando os animais: anda como um cachorrinho, galopa em um pedaço de pau, etc.

Nessa fase, ela gosta de brincar cada vez mais com outras crianças, mas ainda pode brigar pelos brinquedos. A paciência dos pais é muito importante nessas horas. Bater não educa e só piora a situação.
Brincar com água, areia e terra acalma a criança. Ela fica muito tempo explorando, aprendendo como são e o que pode fazer com esses materiais. Mas os locais onde a criança brinca precisam estar limpos.

Pois ele dará ordem a seus anjos para te guardarem em todos os teus passos. (Sl 91,11)

Você está aqui: