ead topo

O bebê de nove a onze meses ainda depende muito da mãe ou de quem cuida dele. Continua gostando de ficar sempre junto dos pais. Como não pode ficar o tempo todo com eles, gosta muito de brincar com coisas que os pais usam: pentes, escovas, panelas, rádio. Brincando com caixas, vasilhas, tigelas, panelas, escovas, bacias, colheres e brinquedos, o bebê descobre duas coisas importantes:

  • Para que servem os objetos: o copo para beber, a panela para cozinhar, o pente para pentear, a bola para jogar.
  • Como os objetos são: duros ou moles, grandes ou pequenos, ásperos ou lisos, leves ou pesados.

O bebê aprende também quando os pais e as pessoas da família falam para ele como são e para que servem os objetos.

O bebê usa gestos para se comunicar: aponta, bate palminhas, dá adeus?

Quando a família dá atenção e procura entender o que o bebê quer comunicar, ele aprende a usar gestos para dizer e pedir o que quer. Quando ele aponta pedindo alguma coisa, é bom que os pais falem o nome do que foi apontado, pois assim ele pode aprender o nome das coisas que vê.

Ele entende, cada vez mais, o que as pessoas dizem a ele. Ainda que os pais possam distrair o bebê para ele não fazer o que é proibido, ele vai tentar fazer novamente. Quando os pais falam “não”, o bebê pode até parar o que está fazendo, mesmo que logo depois ele faça, de novo, a mesma coisa. Ao agir assim, o bebê mostra que está começando a saber o que é proibido e a ter noção de limites.

Em cada família os pais têm sua maneira de lidar com o começo da desobediência do bebê. O melhor sempre é manter e repetir as proibições que fazem, sem usar de violência, como dar palmadas e sacudir. Limites têm que ser dados, mas com firmeza e atitudes de amor.

As pessoas da família dizem o nome dos objetos e falam sobre as atividades que fazem com o bebê?

O bebê tenta imitar o que ouve a família falar e já pode repetir algumas palavras do seu jeito. Fala “dá” quando quer alguma coisa; chama a mãe e o pai — “mamã, papá”. Mas também pode começar a falar só mais tarde. O importante é que as pessoas falem com ele sobre as coisas do dia-a-dia, para que, no seu tempo, ele comece a usar a fala como principal instrumento para dizer o que quer e o que sente.

Quando uma pessoa pergunta ao bebê por alguém que saiu, por exemplo: “Onde está o papai?”, e ele olha, procurando, isso mostra que ele já não precisa estar vendo o pai para saber que ele existe. Mostra que já guarda algumas coisas na sua memória.

As pessoas da família arranjam espaço para o bebê aprender a se movimentar por conta própria?

Nessa fase o bebê não para quieto, pois está aprendendo a se levantar e se movimentar por conta própria, principalmente em pé. Por isso, precisa de um espaço seguro que lhe permita tentar se movimentar de várias maneiras. Se tiver qualquer pessoa, uma mesa ou uma cadeira, por exemplo, em que possa se agarrar, ele vai tentar ficar em pé. Mas poderá cair várias vezes, pois ainda não tem equilíbrio. Na maioria das vezes, ele não se machuca ao cair.

Para o bebê se movimentar com segurança, é bom que os pais organizem um espaço na casa. Melhor do que proibir o bebê de se movimentar é arrumar um jeito de ele fazer isso. Tirar do alcance dele os objetos que não pode pegar, bloquear o acesso à cozinha ou a outro local perigoso com uma tábua ou cadeira são alguns exemplos.

O bebê anda com apoio? 

Para o bebê aprender a andar também é importante contar com a ajuda das pessoas. Ele gosta quando seus pais e irmãos o ajudam e animam a andar, pois aprecia a atenção deles. Como tudo que aprende, primeiro ele vai andar com ajuda para depois andar sozinho.

O bebê também já demonstra sentimentos. Fica com ciúme se a mãe pega outra criança no colo. Fica triste quando brigam com ele. Fica alegre quando os pais mostram que gostam do que ele faz. Gosta muito de brincar com os irmãos e com outras crianças, mas não gosta de emprestar ou dividir brinquedos.

Tomar sol, brincar fora de casa e respirar ar puro ajudam o bebê a comer e dormir melhor. Ele também aprende mais, pois vê outras crianças, pessoas e coisas diferentes. Quando sair com os pais de bicicleta, ônibus, carroça ou carro, o bebê deve estar bem seguro, para evitar que sofra acidentes.

Tu me deste teu escudo salvador, tua mão direita é meu apoio, multiplicas sobre mim tua bondade. Sl 18,36

 

Acidentes domésticos

O bebê tenta se movimentar pela casa toda, e a cozinha é o lugar que mais chama a sua atenção. Lá é onde a mãe ou quem cuida dele passa muito tempo, e ele encontra coisas interessantes para brincar. Por isso, é na cozinha que com frequência acontecem os acidentes com a criança.

A família deve cuidar para que cabos de panelas fiquem virados para dentro do fogão. É preciso muito cuidado com o forno quente, para o bebê não encostar nele e se queimar.

Se o bebê se queimar, os pais devem fazer compressas com água fria no local da queimadura para diminuir a dor. Não passar nada em cima da queimadura sem receita médica e nem furar as bolhas, para não infeccionarem.

É preciso tirar de perto do bebê coisas que ele possa pegar e se cortar, como vidro, tesoura, facas.

São também perigosas coisas que ele pode colocar na boca e se envenenar, como: remédios, querosene (gasolina), água sanitária, soda cáustica. Por isso os produtos de limpeza não devem ser guardados em garrafas de refrigerante. Se o bebê tomar remédio ou produto de limpeza, deve ser levado imediatamente ao serviço de saúde.


Você está aqui:
Você está aqui: