ead topo

A obesidade infantil é o excesso de gordura no corpo da criança, o qual pode trazer consequências graves para sua saúde, como problema nos ossos, colesterol alto (gordura no sangue), diabetes, pressão alta e problemas no coração. A criança pode também vir a ter problemas psicológicos, pois muitas vezes ela é rejeitada pelos amiguinhos da escola.

A obesidade pode ser causada pelo consumo de uma alimentação muito calórica (com muita gordura e açúcar), falta de atividade física ou algum problema de saúde. Além disso, problemas que acontecem nos primeiros mil dias de vida da criança também podem ter influência nas causas da obesidade infantil, como a desnutrição materna, uso de cigarro na gestação e falta de aleitamento materno. Leia mais sobre os Primeiros mil dias de vida na 1etapa B - A gestação.  

É importante levar a criança na Unidade Básica de Saúde para a consulta com o médico.

Para prevenir e combater a obesidade infantil, oriente a família a evitar alimentos como biscoitos recheados, sorvetes, pudins, balas (bombons, rebuçadas), chicletes (pastilhas), doces, frituras, salgadinhos de pacote, refrigerantes, sucos em pó ou de caixinha e leites com achocolatados ou farinhas. Também é importante criar oportunidades para as crianças brincarem e se movimentarem em espaços adequados e com outras crianças. Crianças precisam se exercitar para gastar energia.

 
 
 
 

Alimentos ultraprocessados não devem ser oferecidos para a criança até os dois anos de idade.

Após os dois anos de idade os alimentos ultraprocessados não devem ser proibidos, porque pode aumentar ainda mais a curiosidade da criança, mas também não podem ser dados todos os dias. Oriente os pais ou responsáveis para deixar esses alimentos para o fim de semana ou dias de festa e colocar limites quanto ao horário e quantidade.

Saiba mais o que são estes alimentos ultraprocessados no vídeo do Ministério da Saúde. 


Você está aqui: