ead topo

Bebês sadios, que só recebem leite de peito até o sexto mês de vida, não necessitam de qualquer forma de suplementação de ferro até a introdução de outros alimentos. 

A anemia por falta de ferro ocorre com frequência após os seis meses de idade porque nessa faixa etária as crianças precisam de mais ferro para o seu crescimento adequado, mas o consumo de alimentos ainda é pequeno para suprir essa necessidade.

 
 
 
 

Os bebês que nasceram prematuros ou com baixo peso precisam de maior atenção, pois têm menos reserva de ferro.

A carência de ferro é mais comum nos bebês em aleitamento artificial, mas também pode acontecer naqueles que recebem leite materno.

Quando o aleitamento da criança se faz com o leite de vaca natural, o risco da deficiência em ferro é maior, porque nesse tipo de leite a quantidade de ferro também é baixa e o aproveitamento pelo corpo é ruim.

A anemia diminui a resistência do corpo, deixando o bebê mais exposto a infecções, por isso é importante iniciar a introdução de novos alimentos de forma adequada, além de usar a suplementação de ferro.

O Ministério da Saúde do Brasil recomenda que todos os bebês com mais de seis meses recebam suplementação de ferro, diariamente, até completar dois anos de idade. Também recomenda suplementação de Vitamina A para as crianças acima de seis meses do Nordeste e de alguns municípios do Norte e Sudeste. Esses suplementos são gratuitos e podem ser encontrados em todas as Unidades Básicas de Saúde.

Pois eles também rogarão ao Senhor para que os dirija no diagnóstico certo e faça a cura. Peca na presença daquele que o criou quem não se submete ao tratamento do médico. (Eclo 38, 14-15)

Você está aqui: